[TOP 5] Momentos do mais puro ROCK’N ROLL onde você MENOS ESPERARIA

ARE YOU READY TO ROCK?

E então aconteceu que desde o início dos tempos Deus e o Diabo competem para ver quem é o mais fodão e incrível. Não sei porque eles fazem isso, vai ver a assinatura da Netflix deles foi cancelada ou algo do tipo, sei lá mesmo.

O que importa é que essa competição se arrasta desde o inicio dos tempos: Deus criou a música, o Diabo inventou o Rock’n Roll. O Diabo inventou a Scarlett Johansson, Deus criou a procuradora geral da Criméia,  Natalia Poklonskaya.

E nesse momento todos concordaram que Deus venceu e foram fazer outra coisa, provavelmente jogar Minecraft ou eu sei lá. SEJE como for estou aqui para falar da coisa que é mágica e radical neste mundo: O ROQUE EM ROLL! E não, não é um post sobre o assistente do Silvio Santos tendo um caso com a irmã do Megaman…

Mas qualquer um pode falar sobre rock, o que eu vos trago hoje é algo muito mais especial e mágico: PEROLAS DO ROCK, mas não qualquer perola e sim momentos de nirvana e sublimação musical alem da sua simples compreensão mortal… escondidas em obras pelas quais você não daria a menor pataca furada. Duvida?

Então prepare seus receptores aurículares porque é hora do mais puro ROCK NA VEIA MANOLO!

original-group

5o LUGAR – OS PODEROSOS MORFADORES POWER RANGERS

Sim, começamos nossa jornada da epicidade musical pela bela e pacata Alameda dos Anjos em que monstros saídos diretamente de produções baratas japonesas pisoteavam orfanatos e asilos quase que com base semanal. Power Rangers ficou eternizado na memória de muitas pessoas por ser o primeiro contato com os heróis Super Sentai japoneses (coitados dos americanos que tiveram uma infancia sem TV Manchete, tsc tsc tsc) num hibrido americano com montagens dos videos japoneses e isso todo mundo lembra.

O que pouca gente efetivamente lembra é que a música tema da série é tão absurdamente foda que no momento em que ela foi composta 1548 virgens engravidaram e deram a luz no mesmo instante. A letra pode não ser a maior obra prima da humanidade, mas os solos de guitarra são a pura arte pela qual Satanas morreu por nós!

4977859_f520

4o LUGAR – tema da fase STORM EAGLE, MEGAMAN X (SNES)

Megaman sempre foi conhecido por ser um excelente jogo de plataforma tanto quanto por ter uma trilha sonora arregaçadora de almas, ainda mais se considerarmos a palheta sonora limitada do Nintendinho na época (não a toa o personagem tem o nome de Rockman no Japão).

Quando o Super Nintendo, com seu poder gráfico e sonoro pelo menos 8000 vezes maior que o seu antecessor, saiu houveram mais algumas especulações para fazer uma versão de Megaman para o SNES mas a Capcom foi muito mais ousada que isso: ela chutou o balde, reimaginou o jogo inteiro e criou uma versão melhor, mais legal e mais badass da série chamada Megaman X (sim, uma versão futurista de um jogo que já era futurista).

E Megaman não seria Megaman se não tivesse uma trilha sonora que fizesse os planetas se alinharem e os anjos chorarem lagrimas de iogurte, o qual a Capcom entregou com sucesso uma pequena obra prima do Rock’n Roll. E dentre todas as músicas repletas de vitória temos que elogiar a icônica e molhadora de calcinhas música tema da fase Storm Eagle!

hqdefault

3o LUGAR – ABERTURA DE DIGIMON ADVENTURES

Quando Pokémon saiu e vendeu oito quadrilhões de unidades o próximo passo lógico era fazer um anime disso. Para surpresa de ninguém o anime fez tanto sucesso quanto o jogo e logo começou uma nova corrida armamentista para ver quem seria o “próximo pokémon” (mais ou menos como hoje as editoras correm para descobrir qual vai ser o próximo “Jogos Vorazes”) e nisso um caralhossauro de animes com essa temática foi lançada.

Digimon foi um deles e diferente de todos os outros conseguiu ser tão quanto senão melhor (essa é uma discussão um pouco mais complicada) do que Pokémon. Mas o que importa para efeitos deste tópico é que você lembra da abertura vergonhosa e doentia que a Angelica cantava, né? Se seu cerebro bloqueou essa coisa, não por isso…

 Verdade que a música foi gravada em cima da versão americana que já não é era lá essas obras primas, mas a Angélica conseguiu elevar a coisa a uma excelencia merdistica impressionante

Então porque eu estou falando disso? Porque um dia acidentalmente (mesmo) eu apertei a tecla sap enquanto assistia Digimon e fiquei chocado ao descobrir que a série original tinha uma música de abertura que era o mais puro fucking awesome rock’n roll! AIR GUITAR!

Verdade seja dita, até onde eu acompanhei as séries de Digimon sempre tiveram uma trilha sonora muito boa (mais ainda se lembrarmos o lixo que o rock japones normalmente é). Mas a minha pergunta é: que espécie de Deus permite que uma música dessas exista e nós tenhamos que ouvir a Angélica miando?!?

BOB ESPONJA O FILME

2o LUGAR – EU SOU AMENDOBOBO (Bob Esponja, o filme)

Calma que eu não surtei. Ainda. Talvez você goste de Bob Esponja, talvez não.
O que importa realmente é que esse filme, que é sobre uma jornada de auto-conhecimento do Bob Esponja para conhecer o David Hasselhoff, encerra com uma apresentação épica quando o poder do metal salva o dia! \m/

Você pode questionar (ou não) a qualidade do longa, mas a metalicidade desse rock está além do seu mero julgamento! Ah, e quer saber? O filme é bem divertidinho sim e você é um puta dum mala se acha que não!

 Nada é pareo para o poder do ROQUE!

tumblr_lxsbc54uy21qcxocoo1_500

1o LUGAR – BELLZEBOSS (Tenacious D)

Dificilmente você elencará Tenacious D como o maior músical de todos os tempos, o que só prova que você não entende absolutamente nada de música. O épico baseado na história real da formação da banda do Jack Black tem uma trilha sonora roqueiristicamente arregaçadora com direito a participações do Dio assim como do Liam Lynch e do Dave Grohl. Desculpe, mas não, eu não conheço nenhum fillme do Gene Kelly em que o Dio cante então isso meio que encerra a questão.

Seja como for o filme é fiel a essencia verdadeira do Rock’n Roll e tem um dos mais belos discursos motivadores que eu já vi na minha vida:

“Caras, ter uma palheta satanica não vai fazer o rock de vocês melhorar em nada… porque Satã não está em uma palheta de guitarra, ele está dentro de cada um de nós. Aqui dentro, nos nossos corações. Ele é o que nos faz não querer ir trabalhar, ou fazer exercicios, ou dizer a verdade. Ele é o que nos faz querer farrear e fazer sexo adoidados a noite toda. Ele é a pequena voz na sua cabeça que diz “VAI SE FODER” para todas as pessoas que você odeia. Agora vocês podem ficar aqui fora e brigar como dois bebês chorões, ou podem entrar lá como amigos e detonar. O que vai ser?”

Nossa, é uma das coisas mais bonitas que eu já ouvi, obrigado por existir Satã! Como você pode não amar uma obra prima dessas?

E para coroar o filme ele encerra com um DUELO DE ROCK contra o próprio TRANCA-RUA em pessoa, representado por ninguém menos que o vocalista do Foo Fighters. ARTE. PURA ARTE.

Se o capeta criou esse tipo de música, que Deus o abençoe!