[TOP 5] Filmes do cinema japonês

Que o mundo oriental é bem diferente do ocidental todo mundo sabe, com uma cultura bem diferente da nossa em diversos segmentos. Enquanto nós buscamos o “máximo de realismo” em produções audiovisuais visando o convencimento ao espectador de que aquele produto fictício é “bem feito”, os asiáticos, em especial os japoneses, não se preocupam com essa conexão com a realidade.

Por isso que séries e filmes de Tokusatsu, por exemplo, utilizam roupas bem caricatas, pessoas fantasiadas, efeitos especiais toscos, já que a ideia é apenas que o espectador “entenda” o que a cena quer dizer.

Se nós acreditamos que os filmes divertidos e de ações são os melhores, os asiáticos preferem os emocionantes, sendo que no Japão eles apelam em “tudo” para arrancar lágrimas do espectador, levando muitos de nós a acharmos um pouco (ou bastante) cafona.

Os do gênero de ação também são diferentes, já que nós temos produções em que as batalhas são espécies de “coreografias”, enquanto no Japão eles tentam reproduzir brigas bem semelhantes à realidade.

Como acreditamos que o cinema asiático é “pra lá” de interessante, justamente por todas essas diferenças , decidimos escolher cinco filmes de estilos variados que você deve assistir.

1. Kaiji: The Ultimate Gambler (2009)

Baseado em um mangá homônimo, o filme em live-action japonês conta a história de Kaiji Ito, um homem que está com problemas financeiros e que tenta arrumar uma solução para seus problemas da maneira mais arriscada o possível: apostando em jogos de cassino.

Para isso, ele vai participar de competições nos jogos de cartas, jogos de roleta e outros. Com grande ênfase no suspense e realismo quanto à reprodução dos jogos de cassino, este é mais um bom longa metragem do cinema asiático.

2. Dare Mo Shiranai (2004)

Conhecido por nós brasileiros sob o título de “Ninguém pode Saber“, o Dare Mo Shiranai é considerado um dos melhores filmes japoneses pelos amantes “cults“. Bastante simplório, o longa conta com poucas locações e visível baixo orçamento, além de não utilizar recursos como música ou a interpretação exagerada dos atores para emocionar o público.

Mesmo assim, este consegue ser um dos filmes mais tristes de todos os tempos, e isso não é um exagero, já que as crianças-protagonistas vivem situações bem “deploráveis”, devido a uma mãe que simplesmente abandona seus filhos por ter encontrado um novo amor em um lugar distante. Ela deixa uma boa quantia em dinheiro para o filho mais velho e simplesmente “some”.

Curiosamente, ele é baseado em uma história real, que causou grande repercussão no Japão no final dos anos 80. Talvez por isso, o diretor Hirokazu Kore-Eda tenha feito o drama ao estilo documentário. Indispensável para os fãs de cinema, independente do país de origem.

3. Tada Kimi Wo Aishiteru (2006)

Diferente do Dare Mo Shiranai, este já busca emocionar os espectadores por métodos mais tradicionais, incluindo músicas e discursos melodramáticos. Com duas horas de duração, a primeira parte é um pouco “arrastada”, já que o objetivo é desenvolver o casal de protagonistas e contar um pouco do seu dia-a-dia, não tendo muita ação.

Já na segunda metade, o longa ganha um excelente ritmo e é capaz de “arrancar lágrimas” até mesmo dos corações mais gelados. Some isso ao carisma dos personagens e uma excelente trilha sonora, e este é mais um filme que deve estar na sua lista. Perfeito para emocionar a sua namorada que adora uma história romântica que pode até ser um pouco “brega” pra muita gente, mas não deixa de ser divertida.

4. Rashomon (1950)

Voltando um pouco no tempo, Rashomon é um grande clássico do cinema japonês, e responsável por levar o diretor Akira Kurosawa para Hollywood nos anos cinquenta. Lançado em 1950, ele tem uma estrutura narrativa não-convencional em que “a verdade” tem a ver com a perspectiva de cada um dos personagens.

Na trama, um assassinato acontece. Há o assassino, o morto que é um samurai, a esposa dele, e uma testemunha. Cada um vai contar o que aconteceu diante do seu ponto de vista, e mesmo que nenhum deles esteja necessariamente mentindo, as histórias acabam sendo completamente diferentes, apesar dos personagens serem os mesmos.

O filme foi tão influente que a psicologia “pegou emprestado” o nome de Efeito Rashomon para designar uma situação em que não é possível saber o que aconteceu, já que as pessoas julgam de modo diferente o que ocorreu.

5. 5 centímetros por segundo (2007)

O único “anime” da lista, o que mais chama a atenção neste longa-metragem é a beleza do visual, com cores muito bem distribuídas e deixando o “mundo real” sem graça. Apesar de ser uma animação, ele tem como público-alvo os adultos, não contando com magias, poderes e nem nada do gênero, mas sim uma trama envolvendo vários personagens.

Sendo uma história de vida e amor, ele é daqueles longas que você “para pra pensar” ao longo de toda a semana, contando os dramas dos personagens, questões como ansiedade, depressão, medo etc.

O que achou desse post? Diga nos comentários!