[TOP 10] Super-Heróis (e heroínas) Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transsexuais dos Quadrinhos

lbgt-super-heroes

(texto original de Alan Kistler, traduzido e adaptado livremente por Rodrigo F. S. Souza)

Direitos Iguais!

Felizmente estamos vivendo num mundo onde o amor tem se tornado mais sobre o sentimento em si do que sobre o sexo das pessoas envolvidas. E para celebrar o Dia do Orgulho LGBT de uma forma bem nerd, traduzi a lista abaixo, feita pelo site Newsarama, que fala de alguns dos mais representativos personagens gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais dos quadrinhos.

Todos os personagens aqui listados ajudaram a tornar o mundo fantástico dos super-heróis dos quadrinhos um pouco mais realista ao adicionar mais diversidade às suas páginas, ampliando o apelo das mesmas a um público maior e antigamente ignorado.

ESTRELA POLAR

lbgt-super-heroes-Northstar-Profile-shot

O primeiro super-herói gay da história da Marvel Comics, Jean-Paul Beaubier era um esquiador profissional que passou a usar seus poderes mutantes de voo, resistência a ferimentos e super-velocidade para tornar-se o herói Estrela Polar. Ele foi introduzido em 1979 nas páginas de Uncanny X-Men como um membro da equipe de super-heróis canadenses Tropa Alfa, da qual foi integrante por muitos anos.

Criado por Chris Claremont e John Byrne, ele foi imaginado como gay desde o início, mas isto não foi abertamente revelado até 1992, depois de um personagem confrontar Estrela Polar questionando-o sobre o quanto pessoas famosas e influentes poderiam atrair uma atenção maior para questões LGBT e o alastramento epidêmico da AIDS. Como resultado, o Estrela Polar “saiu do armário” durante uma conferência de imprensa e tornou-se um porta-voz dos direitos LGBT. Mais tarde ele publicou uma autobiografia intitulada Born Normal (Nascido Normal, em tradução livre), pouco antes de unir-se oficialmente aos X-Men.

O personagem ganhou muita publicidade uns anos atrás ao casar-se com Kyle, seu namorado de longa data, em Astonishing X-Men #51 (história publicada no Brasil em X-Men Extra #136.1 em abril do ano passado, pela Panini Comics).

APOLO E MEIA-NOITE

lbgt-super-heroes-Apollo-Midnighter

Introduzidos em Stortwatch, da Wildstorm, os vigilantes letais conhecidos como Apolo e Meia-Noite primeiro pareciam apenas homenagens divertidas ao Superman e ao Batman. Assim como o Homem de Aço e o Cavaleiro das Trevas são frequentemente chamados de Os Melhores do Mundo, Apolo e Meia-Noite eram uma dupla formidável, e já eram parceiros há anos.

Mas o escritor Warren Ellis intencionalmente não contou aos leitores (nem aos desenhistas) quão “abrangente” era o uso da palavra “parceiros” no que dizia respeito a estes dois. Depois de acompanhar por um ano várias provas de quão perigosos e competentes eles eram, descobrimos que eles na verdade eram um casal. Depois de um tempo eles até mesmo se casaram e adotaram uma criança.

Em 2011 a DC Comics reiniciou seu universo principal criando Os Novos 52, e integrou os personagens da Wildstorm – anteriormente um selo da DC, assim como é o Vertigo – à nova continuidade. Na nova versão dos Stormwatch, Paul Cornell, primeiro escritor da série, mostrou como os dois heróis se conheceram, sendo Apolo um homem com uma força que rivalizava à do Superman, mas que se preocupa em como as pessoas reagirão caso descubram que ele é gay, e o Meia-Noite um estrategista violento que não está nem aí para o que os outros pensam. A série terminou em abril deste ano, mas espera-se que este poderoso casal gay reapareça no futuro.

A QUESTÃO

lbgt-super-heroes-Renee-Montoya-Question-1

Apesar de Reneé Montoya ter sido criada pra ser uma nova personagem de Batman – A Série Animada, sua primeira aparição nos quadrinhos do universo principal da DC ocorreu pouco mais de 6 meses antes do desenho animado estrear. Nos anos seguintes ela virou uma aliada do Batman e um membro do Departamento de Polícia de Gotham City, tornou-se detetive e um dos principais integrantes do elenco da excelente série em quadrinhos Gotham City Contra o Crime (Gotham Central, no original, série publicada no Brasil pela Panini Comics em DC Especial #5, 8, 11, 13, 14 e 16 entre 2004 e 2007, e que já passou da hora de ser republicada por aqui), onde o escritor Greg Rucka revelou que ela era gay, fato que levou sua família e alguns de seus colegas de trabalho a se afastarem dela.

Depois de passar por uma fase difícil e deixar a força policial, Reneé tornou-se amiga e aprendiz de Vic Sage, o vigilante conhecido como o Questão. Por meses eles viajaram juntos e ela conquistou um novo equilíbrio em sua vida enquanto ampliava suas habilidades de combate. Ela também descobriu que Vic estava morrendo de câncer. Depois que ele faleceu, Reneé pegou sua máscara sem rosto e tornou-se a nova Questão.

Desde o início d’Os Novos 52, Montoya não foi vista, e parece que agora o legado do Questão tem um origem mais ancestral e mística. Os fãs da personagem ainda esperam ansiosamente que ela reapareça na nova continuidade.

SHATTERSTAR E RICTOR

lbgt-super-heroes-Shatterstar-and-Rictor

Quando apareceu pela primeira vez nas páginas de X-Factor, um spin-off de X-Men, Julio Esteban Richter era um mutante nascido com o poder de disparar energia sísmica de seu corpo. Usando o nome Rictor, ele se uniu ao jovem grupo conhecido como Novos Mutantes e mais tarde trabalhou com a X-Force original. Lá ele conheceu Shattersar, um guerreiro super-humano do planeta Mojoworld.

No início Shatterstar alegava ser emocionalmente assexuado, o que não era uma completa surpresa, levando em conta sua vida como guerreiro no Mojoworld. Jeph Loeb, então escritor de X-Force, mais tarde insinuou que ele nutria sentimentos por Rictor e que tinha intenção de revelar isto, mas acabou saindo da série antes de ter a chance. Anos depois o escritor Peter David trouxe Rictor e Shatterstar para a nova série X-Factor e tornou oficial o romance dos dois.

Os anos de Shatterstar na Terra mexeram com sua mentalidade e ele desenvolveu a capacidade de ter sentimentos românticos, deixando de ser assexuado e passando a identificar-se como bissexual e poliamoroso.

DANIELLE BAPTISTE

lbgt-super-heroes-Danielle_Baptiste

No universo dos quadrinhos da Top Cow, a Witchblade é uma manopla mística de poder incrível, transmitida através de eras, que escolhe apenas mulheres como sua hospedeira. Sua usuária mais famosa é a policial Sara Pezzini. Mas quando ela teve que lidar com sua maternidade, Sara descobriu que podia passar a Witchblade por um tempo para uma nova hospedeira: Danielle Baptiste.

Danielle era uma mulher impulsiva e impetuosa de Nova Orleans, que tinha sonhos com a Witchblade e sabia que ela era parte de seu destino. Mais tarde Sara pegou a manopla de volta, e Dani passou a se relacionar com Angelus, a força feminina primordial da luz do universo, e tornou-se instrumental para ajudar Sara a equilibrar a luz e a escuridão da Witchblade.

WICCANO E HULKLING

lbgt-super-heroes-Hulkling-Wiccan

Quando os Vingadores se dissolveram por vários meses, uma nova equipe de heróis adolescentes surgiu para preencher a lacuna. Estes Jovens Vingadores incluíam o místico Wiccano e o super-poderoso transmorfo Hulkling.

Wiccano é Billy Kaplan, o mais velho de três irmãos. Graças às estranhas energias e influências da Feiticeira Escarlate (uma mutante mística e integrante dos Vingadores), Billy ganhou poderes mágicos. Hulkling é Teddy Altman, que descobriu que não era humano mas na verdade um híbrido filho de dois aliens: a Princesa Anelle dos Skrulls (transmorfos de pele verde) e o Capitão Mar-Vell dos Krees (guerreiros de aparência humanóide com força e vitalidade superiores).

Na série original dos Jovens Vingadores, seu criador e escritor Allan Heinberg pretendia revelar que os colegas de equipe Billy e Teddy eram um casal na edição 12. Mas para a sua surpresa, vários fãs entenderam as pistas das duas primeiras edições e rapidamente concluíram a verdade.

Um tempo depois os Jovens Vingadores se dissolveram após uma desastrosa missão, e meses mais tarde Hulkling pediu o Wiccano em casamento e, naquela mesma noite, os dois tornaram-se oficialmente Vingadores. Isto tudo aconteceu nas páginas de Vingadores: A Cruzada das Crianças, que foi a primeira história em quadrinhos que mostrou Teddy e Billy trocando um beijo, quase sete anos depois que foram introduzidos.

O casal se destacou na última série dos Jovens Vingadores, da dupla Kieron Gillen e Jamie McKelvie, com uma subtrama importante girando em torno do relacionamento deles.

KAROLINA DEAN E XAVIN

lbgt-super-heroes-Karolina-and-Xavin

Criada por Adrian Alphona (Ms. Marvel) e Brian K. Vaughn (Y: O Último Homem), Karolina Dean (também conhecida como Lucy in the Sky) foi introduzida nas páginas de Fugitivos como um dos vários adolescentes que descobriram que seus pais eram membros de um grupo secreto de super-vilões. Kar, uma pacifista vegana de espírito livre, descobriu que seus pais não eram apenas atores famosos de Hollywood, mas também que eram invasores alienígenas da raça Majesdanian. Como herança genética ela pode manipular e expelir energia solar, sendo sua forma natural luminosa e fluida, parecida com uma pessoa composta de arco-iris.

Kar mais tarde conheceu um príncipe Skrull chamado Xavin, que teve um casamento arranjado com ela anos atrás. Xavin amou Kara e devotou-se a ela, mas ela lhe explicou que era atraída por mulheres. Sendo um Skrull, Xavin era capaz de mudar de forma, e resolveu o problema tornando-se uma mulher. Kar foi contra isto e ficou preocupada por Xavin ainda usar sua forma masculina durante os combates por ela/ele ser mais intimidadora. Mas depois de um tempo, Xavin passou a transformar-se numa mulher durante momentos estressantes ou quando seu corpo revertia à sua forma padrão. Assim, Karolina convenceu-se de que Xavin mental e verdadeiramente se via como uma mulher agora, e o relacionamento do casal começou a amadurecer a partir de então.

Infelizmente, algum tempo depois, um grupo de Majesdanianos chegou para aprisionar Karolina, culpando-a por crimes contra sua raça. No lugar de deixá-la sofrer, Xavin deixou Kar inconsciente e assumiu sua aparência, sendo presa e levada embora no lugar dela.

Recentemente, nas páginas de Academia Vingadores, Karolina começou a ter um romance com Julie “Arco-Íris” Power. [nota do tradutor: pô! e ela nem pra tentar resgatar o(a) Xavin? 🙁 ]

MIKAAL TOMAS

lbgt-super-heroes-Mikaal-Tomas-Starman

Existiram vários heróis da DC Comics que usaram o nome Starman (o primeiro deles foi Ted Knight, co-criado por Gardner Fox e Jack Burnley). Nos anos ‘70, um novo Starman, parcialmente inspirado em David Bowie, foi introduzido. Este Starman era um alienígena de pele azul com um medalhão de tecnologia avançada e armas. Ele sumiu dos quadrinhos e foi amplamente esquecido até James Robinson começar a escrever sua agora famosa série em quadrinhos do Starman, estrelada por Jack Knight (filho de Ted), e fazer o então portador do nome encontrar-se com os Starmen anteriores.

Mikaal Tomas (ou Michael Thomas), nosso herói de pele azul, primeiro apareceu com amnésia, mas logo relembrou seu passado, e revelou suas aventuras contra guerreiros high-tech e romances com exóticas mulheres alienígenas. Assumindo uma nova vida na Terra, mais tarde descobrimos que ele estava namorando um homem chamado Tony.

Quando Jack Knight lhe perguntou se ele era bissexual, Mikaal apontou que sua biologia e educação alienígenas não o forçavam a se ajustar aos padrões da sexualidade humana. Mais tarde ele decidiu identificar-se como gay.

GRAVIDADE E PODEROSO

lbgt-super-heroes-Gravity-Kid-and-Power-Boy

No século 31 da DC Comics, uma nova era de campeões nasceu, muitos dos quais servem à famosa equipe interplanetária Legião dos Super-Heróis. Na Legião, diversos personagens tendem a usar codinomes simples e divertidos como Satúrnia, Cósmico, Penumbra, Etérea, Karate Kid, etc. Junto com a Legião principal existe a Legião dos Heróis Substitutos (eles realmente tentam) e a Academia da Legião.

A Legião dos Super-Heróis já teve membros gays antes, mas recentemente dois estudantes da Academia da Legião se destacaram para os leitores: Jedediah Rikane, também conhecido como Poderoso (Power Boy, no original), com super-força e quase invulnerável, e Tel Vole, conhecido como Gravidade (Gravity Kid, no original), capaz de manipular a gravidade. Enquanto o Gravidade era um estudante promissor e muito sério, cujas ações mais tarde fizeram dele um forte candidato a tornar-se um Legionário oficial, o estudante veterano Poderoso teve a adesão rejeitada pela Legião.

Ao sair da Academia, o Poderoso decidiu assumir uma posição na Polícia Espacial em outro lugar. Ao invés de continuar seus estudos, Gravidade também decidiu sair da Academia, e seguir Poderoso como um cônjuge que acompanha o marido quando é transferido de cidade. Este compromisso entre eles rendeu ao casal de super-heróis muitos fãs.

BATWOMAN

lbgt-super-heroes-batwoman

A Batwoman original foi Kathy Kane, dona de um circo e aventureira, que aparentemente decidiu adotar a vida de vigilante fantasiada pela diversão proporcionada (e pra atrair a atenção do Batman). Ela foi introduzida em 1956 como resposta aos críticos de quadrinhos que alegavam que o Cavaleiro das Trevas era homossexual e que suas histórias eram, em parte, propagandas gays. Depois de vários anos de desventuras divertidas, Kathy Kane sumiu dos quadrinhos.

50 anos depois da primeira aparição de Kathy, uma nova Batwoman surgiu no mundo da DC Comics. Kate Kane (uma parente de Kathy) era uma mulher que havia perdido a mãe e a irmã para sequestradores quando era criança. Mais tarde, Kate se alistou no Exército dos Estados Unidos, assim como seu pai antes dela, mas sua política de Não Pergunte, Não Conte a envolveu em uma situação onde ela teria ou que se assumir lésbica, ou permitir que alguém investigasse sua sexualidade. Kate saiu do armário e deixou o exército.

Um encontro que teve com o Batman convenceu Kate de que ainda havia um meio de empregar suas habilidades e torná-las úteis. Com o auxílio de seu pai, Kate declarou guerra aos criminosos de Gotham como a Batwoman. Ela já teve um caso romântico como Reneé Montoya e, recentemente, com Maggie Sawyer, uma velha amiga do Superman. Os Novos 52 não alteraram a história de Kate, que agora estrela sua própria série em quadrinhos.

Seu relacionamento com Maggie continua amadurecendo, e as duas estão noivas agora – uma trama que promete impactar tanto nas páginas de sua própria série, como em sua participação na semanal Batman Eternal.

2 thoughts on “[TOP 10] Super-Heróis (e heroínas) Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transsexuais dos Quadrinhos

  1. Pingback: 12 personagens LGBT de quadrinhos de super-heróis que você precisa conhecer | Diálogos Políticos

Comments are closed.