[TOP 10] Batman: Seus Melhores Coadjuvantes

batman-melhores-coadjuvantes

Embora alguns vejam o Batman como um lobo solitário, ele sabe do que precisa pra cumprir sua missão de vida. Bruce Wayne pode ter todas as engenhocas que o dinheiro pode comprar, mas uma das coisas de que ele mais precisa, e que não cabe em seu cinto de utilidades, são seus amigos.

Da introdução do Robin, o Menino Prodígio original, passando por sua parceria com James Gordon, e seu relacionamento oscilante com a Mulher-Gato, o Batman tem um grupo seleto de pessoas nas quais ele confia. Esta extensa Bat-família ajuda o Batman a ser quem ele é, e a defini-lo através de seus associados.

O elenco de coadjuvantes do Batman recentemente cresceu com a inclusão de duas novas parceiras femininas em Batman #28 (saiba mais sobre esta história aqui). Enquanto isto a série de TV Gotham contará não apenas com James Gordon como protagonista, mas também com Harvey Bullock, Oswald Cobblepot, Selina Kyle, entre outros.

Confira abaixo uma lista com dez dos melhores coadjuvantes do Batman nos quadrinhos.

10 – DRA. LESLIE THOMPKINS

batman-melhores-coadjuvantes-leslie-thompkins

Com todas as lutas em que o Batman se mete, fita isolante e os pontos feitos pelo Alfred ajudam até certo ponto. A Dra. Leslie Thompkins é a médica da família Wayne, frequentemente tratando dos ferimentos sofridos por Batman e seus associados em sua guerra ao crime. Mas ela é mais do que isto.

Introduzida por Dennis O’Neil e Dick Giordano em 1976, Thompkins é uma amiga da família e foi colega de Thomas Wayne na faculdade de medicina, e uma das figuras maternas de Bruce após o assassinato de seus pais. Foi este evento trágico que levou Thompkins a montar sua própria clínica para ajudar os pobres e indigentes de Gotham City.

E ela não tem medo de enfrentar o Batman, levando-o a assumir em mais de uma ocasião a culpa por suas ações e por trabalhar como um fora da lei. E também já o criticou por sua tendência a levar crianças como Robin, Salteadora e Batgirl para situações perigosas, ainda que mantenha sua porta aberta para ele sempre que o herói precisa dela.

No Universo DC dos Novos 52, as únicas aparições de Thompkins ocorreram em flashbacks Jason Todd no título Capuz Vermelho e os Foragidos, mas seria uma surpresa caso ela se destacasse futuramente em algum título do Batman.

9 – TIM DRAKE

batman-and-robins-tim-drake

Para alguns, Tim Drake é apenas um na longa linhagem de meninos-prodígio a assumir o manto do Robin e lutar ao lado do Batman. Para fãs que passaram a ler quadrinhos nos anos ‘90 e 2000, Tim Drake é o Robin definitivo.

Ele é “o mais inteligente da Bat-família, o pensador e planejador”, disse o escritor Fabian Nicieza ao Newsarama em 2010. É claro que Bruce Wayne/Batman continua sendo quem é, e Tim ainda não chegou lá, mas aos 17 anos ele tem um intelecto mais desenvolvido que o de Bruce na mesma idade. Isto não quer dizer que Dick Grayson ou Barbara Gordon são burros, claro que não são, mas o nível de raciocínio de Tim é um pouco mais… denso… que o dos outros. Dick é superior em raciocínio imediato, e Barbara é melhor em raciocínio operacional, enquanto Tim é superior em raciocínio compreensivo e abrangente.

Diferente de seus predecessores, a fase de Tim Drake como Robin (e atualmente como Robin Vermelho) o mostrou como um herói mais holístico, absorvendo experiências e treinando como uma esponja, não importando com a fonte [dos conhecimentos]. Aos nove anos ele foi capaz de desvendar que a identidade secreta do Batman é Bruce Wayne, e na adolescência, a contragosto, ganhou o respeito do arqui-inimigo do Batman: Ra’s al Ghul.

Embora a continuidade atual dos Novos 52 tenha estabelecido que ele nunca foi um Robin, mas sempre foi o Robin Vermelho, Tim Drake ainda é uma parte importante da mitologia da DC. Ele assumirá um papel de destaque em Gotham na série semanal Batman Eternal, que começou a sair no início de abril.

8 – DAMIAN WAYNE

batman-and-robins-damian-wayne

A obstinada guerra ao crime de Bruce Wayne como Batman começou quando se viu órfão sobre a sombra sangrenta dos corpos sem vida de seus pais. A presença dos pais de Bruce naquele dia teve um grande papel na definição do homem que ele se tornou, então que tipo de pai ele seria? Que tipo de filho ele teria que criar?

Estas foram questões levantadas por Damian Wayne. Introduzido por Grant Morrison e Andy Kubert numa edição de 2006 da série Batman, ele foi literalmente o filho que Bruce Wayne não sabia que tinha. Concebido numa única noite amorosa de Batman e Talia al Ghul, e em seguida mantido em segredo do mundo, Damian foi educado pela Liga dos Assassinos para ser o guerreiro definitivo. Impetuoso e não refinado, Damian ainda assim enxerga a verdade na jornada de seu pai e abandona a Liga para lutar ao lado dele e ganhar sua aprovação.

Na continuidade atual da DC, Damian continua a projetar uma corajosa e rebelde sombra sobre a Bat-família. Ele morreu tragicamente em batalha (mais detalhes aqui), embora, graças à mágica da clonagem nos quadrinhos, sempre existirá a esperança de Damian retornar.

7 – BARBARA GORDON

old_commission___batgirl_by_marciotakara-d6gc7dq

Embora geneticamente ela seja filha de James Gordon, o Batman é um outro tipo de figura paterna de Barbara Gordon, que já combateu o crime como Batgirl e Oráculo.

Barbara Gordon foi criada originalmente em meados dos anos ‘60 quando a série do Batman de Adam West estava clamando por uma perspectiva feminina do mundo dos heróis. Barbara foi introduzida à continuidade dos quadrinhos em Detective Comics #359 de 1967, numa história com o crepitante título A Estréia de Um Milhão de Dólares da Batgirl, que a mostrava como uma filha do comissário de polícia que vestia-se como uma versão feminina do Batman para um baile a fantasia, e que terminava impedindo uma tentativa de sequestro enquanto estava fantasiada. Apesar de advertida pelo Batman a parar de combater o crime fantasiada, os dias de Barbara como heroína estavam apenas começando.

Trabalhando como bibliotecária durante o dia, por décadas Barbara combateu o crime como Batgirl, tanto em aventuras solo como em parcerias com o Batman. Em A Piada Mortal de 1988, ela foi o alvo do Coringa em sua tentativa de punir James Gordon, ficando paraplégica após levar um tiro à queima-roupa. Levou um tempo para que este evento trágico fosse assimilado pelos leitores e pelos editores da DC, mas um ano depois o escritor Jim Ostrander começou um novo capítulo de Barbara como a cadeirante, mas altamente capaz, Oráculo. Parte hacker, parte controladora de tráfego, Barbara tornou-se a principal fonte de informações do Batman e de outros heróis enquanto se adaptava a sua condição, e aprendia técnicas de combate que ela podia usar mesmo presa a uma cadeira de rodas.

A Barbara Gordon dos Novos 52 recuperou sua habilidade de andar e reassumiu sua identidade de Batgirl, mas ainda não ficou claro se ela algum dia chegou a assumir o papel de Oráculo nesta nova cronologia. Independente disto, ela voltou à ativa e a chutar bundas mais uma vez, apesar de recentemente ela estar em dúvida se continua ou não a ser uma integrante da Bat-família, depois de saber que pode ter sido responsável pela morte de seu irmão.

6 – JASON TODD

batman-melhores-coadjuvantes-jason-todd

Já é difícil manter-se à altura quando você é constantemente comparado com outra pessoal. E é ainda mais difícil voltar dos mortos. Mas Jason Todd fez as duas coisas e viveu para contar a história.

Introduzido originalmente nos anos ‘80 como um substituto para Dick Grayson (que na época havia acabado de virar o Asa Noturna), Todd encontrou o Batman pela primeira vez quando foi pego roubando os pneus do Batmóvel. Admirando sua ousadia, Batman acolheu o indigente Jason Todd e o preparou para tornar-se o segundo Robin. Embora menos acrobático que seu predecessor, Todd tinha um espírito mais agressivo por ter crescido nas ruas. Mas no final Todd nunca conseguiu ser como o Robin original e os fãs votaram por telefone para que ele fosse morto pelo Coringa.

Mas Jason Todd não continuou morto. O personagem voltou à vida após a saga Crise Infinita. Desde então, Todd tem sido o filho pródigo da Bat-família, que nunca volta pra casa, lutando à sua maneira como um anti-herói violento que nunca se encaixa ao molde de um coadjuvante tradicional do Batman.

Recentemente a DC deu a Jason Todd espaço para respirar como o líder de uma equipe no título Capuz Vermelho e os Foragidos. Ele também lutou ao lado do Cavaleiro das Trevas em Corporação Batman contra o exército de Talia Al Ghul.

5 – MULHER-GATO

Catwoman_by_anjum

Quem mais pode pôr-se na pele de Bruce Wayne e ainda assim permanecer do seu lado como Selina Kyle? Ao longo de seus anos lutando contra e ao lado do Batman, ela mostrou ao herói que é mais do que apenas uma vilã, e mais do que somente uma de uma longa lista de mulheres que envolveram-se com Bruce Wayne.

Originalmente inspirada na atriz Jean Harlow, a Mulher-Gato evoluiu de uma Betty Page genérica para uma versão feminina e moderna do Robin Hood, usando seu arsenal de habilidades para eliminar injustiças, embora através de métodos muitas vezes ilegais.

É complicado dizer para onde vai o relacionamento de Bruce e Selina. É difícil defini-lo. Já vimos ambos se entregarem aos braços um do outro diversas vezes, assim como vimos ambos lutarem entre si, tornando sua dinâmica uma das mais peculiares da história dos quadrinhos.

Selina e Bruce da Terra-2, por sua vez, se casaram e tiveram uma criança – que agora é conhecida como Caçadora na Terra-2 dos Novos 52.

Pelo que foi visto no flashforward de Batman #28, ficou claro que o papel de Selina em Gotham City está mudando consideravelmente, e ela está se tornando mais importante do que nunca. Talvez no futuro ela esteja numa posição mais elevada neste top 10.

4 – DICK GRAYSON

batman-melhores-coadjuvantes-dick-grayson-asa-noturna

Confiança é um ponto importante. E de todos os heróis ao lado dos quais o Batman lutou, Dick Grayson é aquele em quem ele mais confia. Ele conhece todos os seus segredos, e em mais de uma ocasião foi-lhe confiado o manto do Batman quando Bruce não pôde assumi-lo.

Originalmente introduzido em 1940 como uma injeção de juventude na sisuda Detective Comics, Dick Grayson foi o primeiro Robin e, para muitos, o melhor. Longe de ser apenas uma versão infantil do Batman semelhante a alguns ajudantes, o Robin de Dick Grayson era ágil e enérgico com uma tremenda habilidade atlética.

Com o passar dos anos Grayson deixou de ser o Robin para adotar o codinome Asa Noturna, e mostrou que, apesar do que aprendeu com o Batman, ele não tinha medo de seguir seu próprio caminho. Embora tenha participado de aventuras solo e ao lado dos Novos Titãs, o lugar do Asa Noturna continua sendo ao lado do Batman, não como um ajudante, mas como um companheiro.

E atualmente, graças a eventos da saga Vilania Eterna, Grayson está prestes a sofrer uma nova mudança de status no Universo DC, onde se tornará um agente da organização Espiral, deixando de ser o Asa Noturna.

3 – COMISSÁRIO GORDON

batman-melhores-coadjuvantes-james-gordon

O Batman combate o crime fora dos limites da lei, e o comissário de polícia James Gordon é o único que pode equilibrar as necessidades da lei com as de Gotham City como um todo.

Introduzido na primeira aparição do Batman, em Detective Comics #27 de 1939, Gordon é um dos mais antigos aliados confiáveis do Cruzado Encapuzado. Semelhante ao Inspetor Lestrade de Sherlock Holmes, ele é o aliado de Batman dentro do sistema, quer ele goste ou não. Na maioria das vezes é Gordon que chama o Batman através do Bat-sinal para consultá-lo sobre um caso que a polícia não pode resolver, mas em diversas ocasiões Gordon ajudou o herói quando ele precisava.

Este ano reserva a Gordon um bocado de apuros, já que ele foi preso em Blackgate acusado de ter provocado uma grande tragédia no início de Batman Eternal. Além disto, o personagem será o protagonista da série de TV Gotham.

2 – ALFRED

batman-melhores-coadjuvantes-alfred

Alfred Pennyworth não é um simples mordomo. Ao longo de várias histórias ele revelou-se um ator aposentado, um médico de guerra e um agente das Forças Especiais Britânicas. Mas acima de tudo ele é o principal confidente e a figura paterna de Bruce Wayne.

Originalmente introduzido como alívio cômico para contrabalançar com a sisudez do Batman, Alfred tornou-se uma multi-facetada e estabilizante força para o Patrão Bruce. E de todas as pessoas listadas aqui, ele é o único que não tem medo de discordar do Batman, oferecendo uma visão cínica e mais “pé-no-chão” das metas elevadas do Batman quando ele precisa.

Em 2005 uma resenha de Batman Begins de Rob Mackie para o The Guardian definiu o Alfred como “o Batman do Batman,” salientando quão essencial o personagem é, tanto para Bruce como para o próprio Batman. Embora ele nunca vá vestir um uniforme e sair para combater o crime, Alfred luta contra a injustiça de sua própria maneira e torna o Batman tão bom quanto ele é.

1 – THOMAS E MARTHA WAYNE

batman-melhores-coadjuvantes-thomas-martha-wayne

Como pode um casal de personagens apenas vistos em flashbacks serem os coadjuvantes mais importantes da vida do Batman? É tudo por conta do efeito que eles tiveram. Através de suas vidas e de suas mortes trágicas, eles foram a fagulha que gerou a motivação para transformar o garoto rico em um vigilante. Tire qualquer outro personagem da vida do Batman e ele continuará sendo o Batman, mas se Thomas e Martha Wayne não fossem quem são nos quadrinhos, o Batman jamais teria existido.

Thomas Wayne era um talentoso cirurgião e um dos poucos bem-feitores de Gotham City. Ele e Martha eram a realeza de Gotham. Suas mortes do lado de fora de um cinema desviou Bruce para um caminho que o levaria a tornar-se o Batman. Em Batman: Vitória Sombria (leia uma resenha dela aqui), de Jeph Loeb e Tim Sale, a dupla criativa propôs que o assassinato do casal de uma família tão importante iniciou uma série de eventos que levaram Gotham a transformar-se na cidade sombria que conhecemos hoje, mostrando aos criminosos que não havia limites para seus crimes, e aos policiais que eles não podiam resolver tudo.

Em várias histórias fora da continuidade foi mostrado que talvez Bruce tenha se inspirado em seu pai para tornar-se um herói encapuzado, com Thomas Wayne aparecendo com uma fantasia e combatendo o crime em Ponto de Ignição, O Primeiro Batman (republicada recentemente no encadernado Batman – Arquivo de Casos Inexplicáveis, da Panini Books), e atualmente em Terra 2.

Fonte: Newsarama