[TOP 10] As Melhores Histórias em Quadrinhos do Batman

melhores-quadrinhos-batman-cover

Em seus 75 anos de existência, o Batman é o super-herói que mais estrelou histórias em quadrinhos consideradas clássicas e leituras essenciais, não apenas para os fãs do gênero, como também para qualquer um que aprecie grandes obras da narrativa gráfica. Daria tranquilamente para fazer uma lista com dezenas delas, mas aqui nos restringimos a separar apenas 10 das aventuras mais marcantes do Cavaleiro das Trevas, levando em conta não apenas a qualidade das tramas, como a importância delas na mitologia do herói, e sua contribuição em torná-lo o super-herói mais conhecido de todos os tempos. 

Leia também:

As Dez Maiores Mudanças Sofridas Pelo Batman
Os Maiores Vilões do Batman de Todos os Tempos
Batman: o que 2014 ainda reserva para o Cavaleiro das Trevas

melhores-quadrinhos-batman-queda-do-morcego10 – A QUEDA DO MORCEGO

Escrita e ilustrada por diversos autores e artistas.

Alguns podem até discordar da inclusão desta na lista, mas é preciso levar em conta a importância da saga, que durou um ano inteiro, e envolveu todas as principais séries mensais ligadas ao Batman.

A trama começa com Bane libertando todos os internos do Asilo Arkham a fim de levar o Batman à exaustão, e derrotá-lo em seu momento de maior cansaço físico e mental. O resultado é bastante conhecido: Bane quebra a coluna do Batman, deixando-o incapaz de continuar como o Cavaleiro das Trevas, e passa seu manto para Jean-Paul Valley, o vigilante então conhecido como Azrael. Valley vai aos poucos perdendo a sanidade, até chegar ao ponto de não hesitar em matar seus inimigos. Em paralelo Bruce Wayne luta para reerguer-se, e no final tem que enfrentar Valley para recuperar seu manto e o direito de voltar a ser o Batman.

A saga inteira tem suas falhas, especialmente em seu desenvolvimento, devido às mudanças de escritores e artistas, o que fez oscilar a qualidade das tramas e desenhos. E mesmo que tenha sido imaginada como um correspondente d’A Morte do Superman, como evento catalizador de mudanças no status quo do Batman nos quadrinhos, suas intenções foram mais profundas que a saga envolvendo o Homem de Aço.

Dennis O’Neil, um dos principais responsáveis por elaborar a trama de A Queda do Morcego, disse que um dos principais objetivos da saga foi examinar como o Batman lidaria com vigilantes dispostos a matar seus oponentes, como foi o caso de seu sucessor. A história serviu para observar se os leitores preferiam um Batman que poupa seus inimigos, ou um herói que os elimina definitivamente. E também para analisar se o Batman seria mais efetivo sem sua resolução de nunca matar seus adversários. Todas estas questões foram abordadas durante a fase em que Jean-Paul Valley tornou-se o Batman. Mas talvez a maior pergunta levantada pela série seja: o que torna o Batman o Batman?

E se ainda restam dúvidas da importância da saga, ela foi uma das principais inspirações de O Cavaleiro das Trevas Ressurge, a conclusão da trilogia cinematográfica de Christopher Nolan.

9 – BATMAN PRETO E BRANCOmelhores-quadrinhos-batman-preto-e-branco

Escrita e ilustrada por diversos artistas.

Como o próprio nome sugere, trata-se de uma antologia de histórias curtas em preto e branco estreladas pelo Batman. É uma das melhores provas da versatilidade do personagem, que aqui ganha várias releituras de escritores e artistas diferentes, em tramas que vão do drama sombrio à comédia escrachada, todas remetendo a uma das inúmeras fases que o personagem teve nos quadrinhos, cinema, TV, entre outras mídias.

Uma das que mais se destacam é a história metalinguística de Neil Gaiman e Simon Bisley, estrelada pelo Batman e o Coringa nos bastidores das cenas que protagonizam nos quadrinhos.

melhores-quadrinhos-batman-silencio8 – BATMAN: SILÊNCIO

Escrita por Jeph Loeb, ilustrada por Jim Lee.

Este pode até não ser o melhor trabalho de Jeph Loeb, autor que adora envolver a maioria dos melhores vilões do Batman em suas histórias. Mas, diferente de Vitória Sombria, sequência de O Longo Dia das Bruxas – seu melhor trabalho com o herói -, Silêncio foi uma história independente de seus trabalhos anteriores com o Batman, que apresentou novos personagens e novas surpresas ao longo da trama.

Uma das grandes realizações de Silêncio é o vilão que dá nome à saga, e sua conexão com Bruce Wayne. Dos inimigos mais recentes do herói, sem dúvida é um dos mais marcantes, tanto devido ao cuidadoso trabalho de Loeb em sua criação, quanto ao trabalho de Jim Lee na arte, que está entre os melhores de sua carreira.

melhores-quadrinhos-batman-longo-dia-das-bruxas7 – O LONGO DIA DAS BRUXAS

Escrita por Jeph Loeb, ilustrada por Tim Sale.

A grande sacada de O Longo Dia das Bruxas é sua estrutura: cada edição corresponde a um feriado de cada mês do ano, no qual o assassino Feriado mata uma nova vítima. Isto faz com que todo mundo em Gotham, desde o Batman, passando pela polícia, os gangsteres e os super-vilões, queira deter o criminoso.

Além de ser uma das melhores histórias do Batman já escritas, O Longo Dias das Bruxas foi a principal fonte de inspiração para Christopher Nolan desenvolver o relacionamento entre o Batman, o Comissário Gordon e Harvey Dent, visto no filme O Cavaleiro das Trevas. Embora o mistério dos assassinatos seja o mote de toda a trama, ele serve como pano de fundo e catalizador da deterioração do relacionamento do trio de aliados, que culminará na transformação de Harvey Dent no Duas Caras. A história tem uma pegada de tragédia literária poucas vezes vista num quadrinho, e é, sem dúvida, um dos melhores trabalhos de Jeph Loeb.

Uma das grandes realizações de Loeb aqui foi introduzir novos personagens à mitologia do Batman, e fazê-los interagir de maneira bem natural e orgânica com outros criados há décadas.

O Longo Dia das Bruxas funciona como uma ótima leitura complementar a Batman Ano Um. E vale a pena ler sua continuação, Vitória Sombria, que cobre o período imediatamente posterior ao abordado nesta história, incluindo o surgimento do primeiro Robin, Dick Grayson.

melhores-quadrinhos-batman-filho-do-demonio6 – O FILHO DO DEMÔNIO

Escrita por Mike W. Barr, ilustrada por Jerry Bingham.

A história que começa como mais um embate entre o Batman e Ra’s Al Ghul, e termina com a revelação de que o herói engravidou Talia, filha do vilão, por muito tempo foi considerada fora da cronologia oficial do Cavaleiro das Trevas nos quadrinhos, até Grant Morrison escrever Batman e Filho, seu primeiro arco como escritor da principal série mensal do Batman. Isto fez com que O Filho do Demônio fosse integrada definitivamente à cronologia.

Damian Wayne, o último e – até o momento – falecido Robin, e protagonista do longa de animação O Filho do Batman (leia uma crítica sobre ele aqui), deve sua existência a esta história, que é uma das leituras obrigatórias pra quem deseja conhecer a origem de um dos personagens mais importantes da história recente do herói nos quadrinhos.

melhores-quadrinhos-batman-morte-em-familia5 – MORTE EM FAMÍLIA

Escrita por Jim Starlin, ilustrada por Jim Aparo.

O arco que mostrou a morte de Jason Todd, o segundo Robin, é um dos mais famosos da história do Batman. A história começa com Bruce e Jason tento uma discussão, que leva o garoto a ir atrás de sua mãe. O Coringa, em certa altura, captura o Menino Prodígio, que é brutalmente espancado pelo vilão com um pé de cabra, e preso a uma bomba, que explode em seguida.

É muito conhecida no mundo dos quadrinhos a história de que Morte em Família é resultado de uma votação por telefone em que a DC perguntou aos fãs do Batman se eles queriam que Jason morresse ou não.

Independente da antipatia que muitos têm pelo personagem, que alguns anos atrás foi ressuscitado, sua morte é um dos momentos mais icônicos da história do Batman nos quadrinhos, que o herói considera uma de suas maiores falhas.

melhores-quadrinhos-batman-piada-mortal4 – A PIADA MORTAL

Escrita por Alan Moore, ilustrada por Brian Bolland.

A história concebida por Alan Moore para, em parte, revelar a origem do Coringa, contém alguns dos momentos mais sombrios já imaginados numa história em quadrinhos. Em grande parte o medo que as aparições do vilão desperta é devido a esta história.

A trama alterna entre flashbacks que contam a origem do Palhaço do Crime, e um jogo de gato e rato no presente, entre o Batman e o Coringa, que sequestra e tortura o Comissário Gordon, forçando-o a assistir a agonia de sua filha Barbara (na época a Batgirl), após ser baleada, despida e – como fica implícito – estuprada pelo vilão.

A Piada Mortal foi publicada pouco tempo antes de Morte em Família, o que potencializou seu impacto, além de reforçar a vilania e crueldade do Coringa, e sua importância na mitologia do Batman.

melhores-quadrinhos-batman-asilo-arkham3 – ASILO ARKHAM

Escrita por Grant Morrison, ilustrada por Dave McKean.

Grant Morrison é um escritor cujos trabalhos dividem opiniões. Sua fase como escritor do Batman por mais de sete anos é amada por uns e odiada por outros. Mas talvez um de seus melhores e mais aclamados trabalhos seja um dos primeiros em que trabalhou com o Cavaleiro das Trevas, e grande parte de sua rica galeria de vilões. Depois de Asilo Arkham foram raras as vezes que algum autor capturou de maneira tão completa, intrincada e atordoante toda a loucura condensada na famosa prisão para criminosos insanos de Gotham City.

Grande parte da atmosfera da história é devida ao trabalho brilhante de Dave McKean na arte, com seu estilo camaleônico que se adequava à psique de cada vilão retratado, e o tipo de loucura que o cercava.

Mas talvez a melhor descrição da obra seja a do próprio Morrison, presente neste trecho de sua introdução à edição especial de 15 anos da graphic novel:

“A intenção era criar algo que fosse mais como uma peça de música ou um filme experimental do que uma típica aventura em quadrinhos. Eu queria abordar o Batman de um ponto de vista mais onírico, emocional e irracional, como uma resposta ao tratamento mais literal e ‘realista’ dos super-heróis, que estava em voga na época, depois de O Cavaleiro das Trevas, Watchmen, e outros quadrinhos.”

melhores-quadrinhos-batman-ano-um2 – BATMAN: ANO UM

Escrita por Frank Miller, ilustrada por David Mazzuchelli.

Ano Um continua sendo uma das melhores histórias do Batman já contadas devido à sua capacidade de manter-se atual e icônica em sua reimaginação da origem do herói pós-Crise nas Infinitas Terras.

Sua importância é tão grande que ganhou uma das adaptações mais fiéis de um quadrinho para animação, e apenas ano passado a DC abriu mão desta versão da origem do Cavaleiro das Trevas para acolher a nova imaginada por Scott Snyder e Greg Capullo na atual saga Ano Zero (da qual falaremos em breve aqui).

Além de não estrelar quase nenhum dos vilões mais famosos do Batman (com exceção de uma jovem Selina Kyle), Ano Um também se destaca por alternar seu foco entre James Gordon e Bruce Wayne. Ambos chegam a Gotham ao mesmo tempo e encontram a cidade num estado deplorável de corrupção e vício.

A ideia do “Batman como um símbolo”, que foi popularizada por Christopher Nolan em Batman Begins, é um dos conceitos centrais de Ano Um, que por sua vez é uma das histórias que melhor exploram esta ideia.

Em paralelo, a forma como a trama aborda e desenvolve Gordon é outro dos pontos que se destacam. Miller traça o tempo todo paralelos entre Gordon e Bruce, ao tempo tempo que salienta seus diferentes modos de combater o crime e a corrupção de Gotham. Um dos melhores momentos de Ano Um é estrelado por Gordon, quando ele come de porrada um policial corrupto duas vezes maior do que ele, e Miller usa a sequência para comparar e contrastar o alcance da determinação de Bruce e Gordon  em fazer justiça.

Ano Um é, sem a menor dúvida, uma das melhores histórias de origem já concebidas para um super-herói, cujo valor histórico e icônico dificilmente será superado.

1 – O CAVALEIRO DAS TREVAS

melhores-quadrinhos-batman-cavaleiro-das-trevas

Escrita e ilustrada por Frank Miller.

Num espaço de dois anos, Frank Miller escreveu duas das histórias mais seminais do Batman. O Cavaleiro das Trevas foi lançada antes de Ano Um, e muitos acreditam que seu trabalho na primeira foi fundamental para tornar a segunda tão memorável.

O Cavaleiro das Trevas é estrelada por um Bruce Wayne que se aposentou de sua vida como vigilante dez anos atrás. Mas logo acontecimentos sombrios conspiram para que ele ressuscite o Batman para encarar uma nova era de crime em Gotham City.

A trama apresenta todos os elementos presentes numa história clássica do Batman: novas ameaças que parecem grandes demais para enfrentar; aparições marcantes de antigos vilões; novos personagens e apetrechos, tudo isto feito de maneira retumbante.

Mas o que realmente tornou O Cavaleiro das Trevas uma história única foi o modo como ela fugiu das histórias tradicionais do Batman. Talvez o ponto em que isto fica mais evidente seja seu clímax. No lugar de uma batalha final contra algum de seus vilões clássicos, como o Coringa ou o Duas Caras, ele enfrenta o Superman, num embate que é, sem a menor dúvida, um dos mais clássicos e memoráveis da história dos quadrinhos.

Em 2012 a graphic novel foi adaptada em dois longas de animação, muito fiéis à trama original, e muito possivelmente será uma das principais fontes de inspiração de Zack Snyder no vindouro Batman vs. Superman.

Mas independente disto tudo, O Cavaleiro das Trevas não somente é uma leitura obrigatório pra qualquer fã do Batman que se preze, mas também para qualquer amante dos quadrinhos.

MENÇÕES HONROSAS

melhores-quadrinhos-batman-contos-do-demonioContos do Demônio: é uma coletânea reunindo as primeiras histórias em que o Batman conheceu e enfrentou o vilão Ra’s al Ghul e sua filha Talia, escritas por Dennis O’Neil, e muitas delas desenhadas por Neil Adams, dupla criativa responsável por algumas das melhores histórias do Batman na década de 70. Não apenas sua relação com Talia, mas seus diversos embates com o imortal Ra’s – incluindo a clássica luta de espadas entre o herói e o vilão – tornam estas histórias fundamentais para quem tem interesse em conhecer uma parte importantíssima da mitologia do Batman.

Batman / Batman e Robin / Corporação Batman de Grant Morrison: a influência do trabalho de Morrison na história recente do herói é indiscutível. Além de apresentar ao mundo Damian Wayne em seu primeiro arco, o autor escocês reintroduziu vários conceitos e personagens de fases obscuras do Batman, como o Clube dos Heróis, que mais tarde evoluiu para a Corporação Batman. Além disto, Morrison ousou escrever mais de um ano de histórias em que Dick Grayson usou o manto do Morcego, e transformou Damian no Robin, e a mãe do menino, Talia Al Ghul, numa das maiores vilãs do Cavaleiro das Trevas. Seus mais de sete anos como um dos principais escritores do herói revisitou um pouco de cada fase do personagem nos quadrinhos, servindo como uma grande homenagem à riquíssima e, por vezes, contraditória mitologia do personagem. Saiba um pouco mais sobre o trabalho do autor com o Batman neste artigo.

melhores-quadrinhos-batman-ano-zeroAno Zero: embora seja uma saga ainda em publicação nos Estados Unidos – que começou a sair no Brasil em março – , muitos apostam no trabalho de reformulação e atualização da origem do Batman, que o escritor Scott Snyder e o desenhista Greg Capullo estão fazendo, como um jovem clássico dos quadrinhos. A DC vem depositando tanta confiança no trabalho da dupla, que finalmente optou por substituir Ano Um por ela como origem oficial do herói dentro da cronologia dos Novos 52. Em breve falaremos mais sobre Ano Zero aqui no Nerd Geek Feelings.