[TECNOLOGIA] Piada pronta – Homem é preso por pilotar Hoverboard com Licença Suspensa. ¬¬

McFly, eu já te disse pra não voltar mais aqui!

Apesar da piadinha cretina pronta, a notícia é verdadeira.


Em Janeiro, uma lei entrou em vigor em Cobb County, GA, Estados Unidos, que exige que pilotos ou operadores de hoverboard tenham carteira de motorista, seguro, além da obrigação de registrar o veículo. Além disso, os pilotos de Hoverboard deverão ter mais 16 anos de idade, e não podem estar bêbados ou fazendo uso de nenhum psicotrópico.

Aladin McFly!

Colocado dessa forma, pode parecer meio absurdo, mas se pararmos para pensar no nível de estragos que um McFly bêbado poderia fazer a si mesmo e aos transeuntes e demais motoristas, dá para rever a ideia de exagero. As medidas são ponderadas, e eu até ousaria dizer que deveriam ser aplicadas no Brasil – até para as bicicletas, porque aqui, alguns ciclistas (estou me incluindo) andam mais retardadamente do que a Meg Ryan em Cidade dos Anjos.
A Califórnia também aprovou legislação semelhante, com a exceção de exigir uma carteira de motorista. A lei oferece a primeira definição legítima de um “hoverboard”, que é aludido como um “skate eletrônico mecanizado” sob a lei. A legislação também define áreas onde Hoverboards são ilegais.

No caso de que fala essa notícia, o piloto ousado (veloz e furioso… ou só babacão mesmo) foi detido pela terceira vez, justamente por operar um veículo sem licença. Ele realmente é contumaz… A lei saiu em janeiro. Nem terminamos fevereiro e o cara já foi preso TRÊS VEZES.
Muitos moradores do condado de Cobb chamaram a lei de “ridícula”, afirmando que o governo local está ultrapassando seus limites e deliberadamente aprovando legislação para regular como o público vive suas vidas. Mais uma vez, creio que não seria demais lembrar que qualquer veículo malconduzido pode causar mortes.

Na verdade, qualquer coisa malconduzida. Mas não falaremos de política Brasileira aqui.

Um residente do condado de Cobb, John Bethancourt, disse que comprou todos os seus três hoverboards para o Natal e que sua família não tem absolutamente planos de seguir esta lei.

“Esta lei é tola, desnecessária, e apenas mais um regulamento governamental inútil”, afirmou Bethancourt. “Vamos apenas chamá-lo do que realmente é – outro imposto. Meus filhos adoram montar em seus hoverboards ao redor do bairro, e vou continuar a deixá-los fazê-lo. Se o governo, ou qualquer outra pessoa, quiser negar a meus filhos esse direito, eles podem vir me reembolsar o dinheiro que eu gastei.”

Deixe uma resposta