[ÁUDIO-DRAMA] “Seja um idiota” de Ailin Aleixo.

Muito embora tenha sido atribuído de forma equivocada ao Arnaldo Jabor – e, por isso, peço desculpa adiantada, pois, para produzir essa adaptação, segui a primeira versão do texto pelo qual me encantei na internet –, esse fragmento da crônica “Só os idiotas são felizes” de Ailin Aleixo é luminoso, inspirador e realista.