[CINEMA] Elis (crítica)

Por uma grande felicidade do destino, pude ontem assistir à prometida cinebiografia de Elis Regina, um excelente filme que tratou com muito cuidado e ressaltou aspectos positivos da vida da maior cantora que o Brasil já teve, e que decidiu ousadamente enxugar outros pontos não tão bons assim. E o que vi me emocionou demais!

[REFLEXÕES] Naturalmente está acontecendo dentro da sua cabeça, mas por que é que isto deveria significar que não é verdadeiro?

Dentre tantas e tantas personagens do universo literário, uma das mais singulares e sábias e que carrega consigo milhares de fãs mundo afora é, sem sombra de dúvida, um bruxo muito simpático, amigo de Nicolau Flamel: o digníssimo senhor de barba comprida e óculos de meia-lua Alvo Percival Wulfrico Brian Dumbledore.

[SÉRIE] WE NEED TO “GET DOWN”

Netflix virou sinônimo de surpresas gratas quando se trata de suas produções originais. Exemplos recentes não faltam para comprovar tal fato. Com The Get Down, todavia, não foi diferente. Na série produzida por Baz Luhrmann e protagonizada por Justice Smith com Jaden Smith no elenco, já temos um grande paradoxo.

[ANIMES] Meu anime ideal (ou SHINSEKAI YORI)

Um corpo artificial sendo cuidadosamente esculpido com uma perfeição mecânica é a cena dos créditos iniciais de Ghost in the Shell (ou o “Fantasma do Futuro” no Brasil because huehuehue br). Uma das cenas mais icônicas de todos os tempos na história da animação. Isso toda a malta sabe. O que talvez menos gajos saibam é que a música…

[CINEMA] White God: Nice é um sintoma

Por Laura Hoffman White God é um drama húngaro de Kornél Mundruczó que trata de um futuro distópico que nos apresenta a pré-adolescente Lil, que mora com sua mãe. Todavia, quando esta viaja a trabalho, ela passa a morar com o pai, com quem não tem muita afinidade.