[SÉRIES] Orange is the New Black – 3ª Temporada e a Luta pelo Feminismo

orange is the new black season 3 promo

A 3ª Temporada de Orange is the New Black estreou no dia 12 de junho, e já no primeiro episódio veio trazendo muita polêmica por tratar de aborto, onde a temática deste era justamente o Dia das Mães.

Para quem ainda não conhece, a série é uma comédia dramática original do Netflix, criada por Jenji Kohan e baseada no livro homônimo de Piper Kerman. A trama gira em torno da protagonista Piper Chapman (Taylor Schilling) numa prisão feminina federal, e narra de maneira engraçada todas as dificuldades que uma mulher pode passar dentro de uma situação como essa.

Nesta temporada, mais do que em qualquer outra, o feminismo esteve extremamente presente, direta ou indiretamente, em assuntos que são considerados “tabus”, e por vezes, até mesmo desnecessários.

orange is the new black season 3 screen shot 01Como dito anteriormente, o aborto foi o primeiro desses assuntos polêmicos. Em um diálogo, Big Boo / Carrie Black (Lea DeLaria) discute com Caipira / Tiffany Doggett (Taryn Manning) sobre os diversos abortos que a personagem fez, e sobre o peso na consciência que ela levava por isso. Com ótimos argumentos, usando até referências políticas e econômicas, Big Boo mostra os diversos lados positivos do aborto, visto a falta de condições psicológicas e financeiras para que Caipira criasse seus filhos.

orange is the new black season 3 screen shot 02Outro assunto problemático tratado foi a misoginia (termo que até então eu nunca havia ouvido em qualquer outra série ou filme). Misoginia pode ser definida como ódio, repulsa e desprezo ao feminino, e ao que o circunda. Com piadinhas “inocentes”, chegando até em atitudes bem drásticas, essa cultura de aversão às mulheres foi muito bem trabalhada ao longo da série, podendo ser vista em muitos episódios.

orange is the new black season 3 screen shot 03Muitos tipos de preconceito são relatados na séries. Dentre eles, podemos citar agora a Transfobia (discriminação às pessoas transexuais e transgêneros), e que obviamente foi trabalhado em torno de Sophia Burset (Laverne Cox). Após um incidente dentro da prisão, Sophia passa a ser ameaçada, e muitas começam a se questionar se ter um “homem” entre elas era seguro. As medidas tomadas a partir de então, são de extremo ódio e com muito preconceito disfarçado de bondade.

orange is the new black season 3 screen shot 04Novamente com Doggett, uma problemática é envolvida. Casos no passado e presente da personagem mostram o quanto uma mulher pode ficar abalada com abusos físicos e psicológicos, chegando até mesmo a acreditar que esses abusos seriam culpa dela, e não do agressor. Esse “mal entendido” é, infelizmente, demasiadamente presente em nossa sociedade atual, e muito ressaltado pelas feministas, que têm o intuito de dar apoio às vítimas e de dizimar essas violações. Na série, mais uma vez, Doggett contou com a ajuda de Big Boo para não vitimizar o verdadeiro culpado, e para se conscientizar que ela nunca havia pedido pelos abusos.

Além desses assuntos citados, a série ainda aborda diversos outros aspectos da luta pelo feminismo. Com muita sutileza e humor, mostra como piadinhas machistas podem ser de extremo mal gosto, mostra também a busca da mulher pelo prazer (demonstrando que prazer não é algo que apenas homens buscam, e que é extremamente normal e aceitável que elas também o procurem), entre outros temas que podem ser facilmente captados com um pouco de atenção.

Mas não só de problemas machistas vive a série. Os problemas penitenciários também são bastante abordados nesta temporada. Com a mudança de administração, todo o sistema passa a enfrentar alterações drásticas, que por muitas vezes acabam gerando grandes confusões.

A série como um todo é super recomendada, assim como as tantas outras originais da Netflix. A dica é: para quem ainda não assistiu, assista prestando atenção não só na comédia, mas também nas observações que a série pode passar, de uma maneira muito mais sutil que na realidade. Para quem já assistiu, assista novamente, agora tentando assimilar todos esses fatores citados, para que tenha mais conhecimento sobre a causa, e que formule melhores argumentos para esse grande problema que é o machismo nosso de cada dia.

nota-4

2 thoughts on “[SÉRIES] Orange is the New Black – 3ª Temporada e a Luta pelo Feminismo

  1. Não gostei da forma como eles trataram sobre o aborto nessa temporada. Acho que seria melhor ter mostrado o assunto como uma escolha que cabe a cada mulher, sem justificar sobre as consequências que essa escolha dela traria ao mundo, se ela não tivesse feito.

    Sobre o episódio que mostra a infância e adolescência de Doggett, achei um dos melhores episódios dessa temporada.

    OITNB têm vários assuntos interessantes ainda para abordar e a série está crescendo a cada temporada.

    • Tenho que concordar com você! A forma que justificaram a favoritação pelo aborto não foi das melhores. Expor as causas e consequências para a mulher seria bem melhor. Mas de qualquer forma acho super interessante terem abordado o tema, mesmo que não da melhor forma. E confesso que os problemas que rodearam a vida de Doggett mexeram muito comigo, e pra mim, foi a história mais impactante de todos os personagens!

      Obrigada por ter lido e exposto sua opinião, e espero vê-la novamente por aqui. Até mais!

Comments are closed.