[SÉRIES] Game of Thrones S04E03 – Um programa de família

759999_got_mp_092513_ep403-53251

Após o final impactante do episódio passado, temos no terceiro episódio da quarta temporada da série um capítulo mais “tranquilo” no qual vamos digerir a grande reviravolta, e compreender suas principais consequências, bem como progredir um pouco (beeem pouco) a história em outras partes do mundo. Pra falar a verdade, eu tive até dificuldade de achar um título para esse post, de tão pouco que acontece no episódio. Haja encheção de linguiça, viu. Mas claro, como de costume, antes de entrar em detalhes, vamos abrir a porteira dos spoilers!

spoilers-everywhere_o_2928157

Já começamos mostrando o que aconteceu com a Sonsa Stark, que foi estrategicamente removida do local pelo cavaleiro/bobo da corte no momento que Joffrey bateu as botas. Como logo descobrimos, quem instruiu o gordinho a fazê-lo foi Littlefinger (que também forneceu o colar que a Sansa ganhou do cara e usou no casamento, e cujas pedras quebram facilmente). Entre isso e o fato de ele saber tudo o que havia acontecido antes de dar tempo da notícia chegar (e estar com o barco pronto, e ter tudo preparado pra extrair a Sansa em um piscar de olhos quando a merda ocorresse) depreendemos um fato simples mas muito importante: ele sabia com antecedência dos planos de envenenar Joffrey no casamento. Ou seja: foi assassinato mesmo, planejado e premeditado, e Littlefinger no mínimo estava a par do assunto. Hum…

O restante de Porto Real se mobilizou pra seguir em frente, cada um a seu jeito. Tywin Lannister não perdeu tempo pra colar no novo rei e garantir que ele não vai ser porra-louca que nem o mala do Joffrey – e, como um pequeno ~bônus~, Jaime demonstra seu luto tocando o foda-se e simplesmente estuprando sua irmã-amante praticamente em cima do cadáver de seu sobrinho-filho. Parabéns, Capitão Manopla, você acaba de jogar na latrina toda a simpatia que vinha coletando desde que se libertou do cativeiro. Temos também Oberyn mostrando mais uma vez o quão putanheiro e bissexual ele é (OK, cara, nós já entendemos, de boa) e o quanto ele odeia Tywin Lannister e o Montanha pelo assassinato de sua irmã (idem). Tyrion aparentemente se ferrou bonito mesmo, não tá vendo como escapar (ora vamos, ele sempre dá um jeito…) e, em uma cena bastante tocante, recompensa a fidelidade de seu escudeiro Podrick mandando-o se escafeder de Porto Real antes que sobre pra ele também.

 

Incesto, diversão para toda a família

Incesto, diversão para toda a família

Mais ao norte, é um tal de famílias felizes gravemente interrompidas pela crueldade do homem. Arya e o Cão, já quase uma dupla de seriado policial dos anos 80, chegam em uma fazendinha feliz com uma família toda bacana que os acolhe generosamente e oferece um lar para eles… até que o Cão senta a porrada no fazendeiro (pelo menos não mata, o que já me surpreendeu) e rouba o dinheiro do cara. Na Patrulha da Noite, Sam e Goiva estão depenando frangos e cuidando do bebezinho alegremente… até que, com medo de que os companheiros patrulheiros estuprem a minazinha (um medo fundamentado, na minha opinião), Sam tem a brilhante ideia de mandá-la morar em uma casa de baixa reputação. Logo ali por perto, após uma ceninha mega forçada de paz e alegria familiar entre fazendeiros, logo chegam os selvagens tocando o terror geral e comendo a mãe do moleque (não, não nesse sentido, o que é pior). Não é um bom dia para ser um fazendeiro feliz em Westeros, com certeza.

Em Pedra do Dragão, após tomar um esporro do rei Stannis Baratheon por perder seu componente material das magias (o pobre bastardo Gendry), Ser Davos vai ter sua aulinha de alfabetização com a princesa petulante lá e tem uma ideia envolvendo o Banco de Ferro de Braavos que você tem que ter uma puta memória pra entender (dica: procure exatamente uma temporada atrás). Enquanto isso, lá pro finalzinho, eles até lembram de mostrar um pouco da Daenerys, que por acaso dá nome ao episódio (Breaker of Chains, ou “Quebradora de Correntes”), em uma cena rápida que consegue enrolar mais um pouco antes de ir pra conquista de Meereen, a terceira e última das cidades da Baía dos Escravagistas. Pelo menos o novo intérprete de Daario Naharis tem aqui uma chance a mais de mostrar a que veio, despachando o campeão de Meereen de uma maneira excelente. Nota: no livro, quem entra nessa luta é um personagem chamado Belwas que não está na série. Achei que ficou boa a substituição dele pelo Daario, se bem que o negócio de mijar em direção à cidade ficou meio estranho vindo do espadachim suave e estiloso.

E, pra quem tinha alguma dúvida, o Rei da Friendzone consolida de uma vez por todas seu título.

E, pra quem tinha alguma dúvida, o Rei da Friendzone consolida de uma vez por todas seu título.

Curta nossa página no [Facebook] e nos siga no [Twitter] para mais bugigangas do universo Nerd Geek!

4 thoughts on “[SÉRIES] Game of Thrones S04E03 – Um programa de família

  1. Achei a hora que a Daenerys escolhe o campeão dela uma fala bem forçada. Idem pro diálogo do Tywin com o reizinho novo.

  2. Ambas são inovações da série… acho que o roteirista desse episódio andou pisando na bola. Muita gente reclamou também do aparente estupro de Jaime contra Cersei – no livro, a cena acontece em outro momento (logo que ele chega a Porto Real) e é consensual, e portanto não ficou sem noção como a cena da série.

    • A cena do estupro incomodou porque pareceu forçado demais até pra série. Passou a impressão que fizeram ela só porque não tinham nada mais chocante pra apresentar no episódio, daí “improvisaram”.

      E tenho que concordar com o Ricardo, a Daenerys pode ser a mais fodona da série, mas a atriz sempre dá um ar de imponência às cenas dela que nem sempre combinam com a situação retratada.

      E o bate-papo entre o Tywin e o neto ficou bem artificial mesmo, até para um personagem frio como o primeiro. Mas este acho que é mais por falta de talento do moleque, que não soube oscilar as emoções de maneira mais convincente.

  3. Quanto à cena do Tywin com o neto, tenho que concordar… alguma coisa tá errada quando a personagem que provoca mais empatia na cena é a Cersei. O moleque parecia que tava numa aula de História como todas as outras.

Comments are closed.