[QUADRINHOS] “Silvio Santos – Vida, Luta e Glória”, de R. F. Lucchetti e Sérgio M. Lima (resenha)

Eu sou filho dos anos 80, nasci em 1982 mas minhas lembranças mais antigas datam de 1986 pra frente. Em um canto de minhas memórias mais longínquas habita um senhor sempre sorridente e brincalhão, usando terno alinhado, cabelo bem penteado, e uma presença de palco magnética.

Sei que não estou enganando ninguém, pois o título ali em cima já entregou de quem eu estou falando, e creio que, pra você que está lendo essa resenha, ele dispensa apresentações. Quem cresceu nas últimas décadas assistindo TV aberta já esbarrou um bocado de vezes com o Silvio Santos animando a plateia nos domingos, ou em algum programa semanal ou diário do SBT.

Também não é nada impossível que você já conheça parte de sua história, pois estamos falando de um homem que é praticamente um mito da TV brasileira.

No início dos anos 2000 foi lançada A Fantástica História de Silvio Santos, biografia escrita por Arlindo Silva que fez muito sucesso na época. Mas, para a surpresa deste que vos escreve, esta não foi a primeira obra autorizada por Silvio Santos para contar sua história. Durante a entrevista que fiz no início do ano com o Artur Vecchi, editor da Avec Editora, descobri que a primeira obra impressa a relatar episódios da vida de Senor Abravanel foi Silvio Santos – Vida, Luta e Glória, uma história em quadrinhos escrita por Rubens Francisco Lucchetti, e desenhada por Sérgio M. Lima em 1969, ou seja, mais de uma década antes primeira transmissão do SBT (ocorrida em 19 de agosto de 1981, pouco mais de um ano antes do meu nascimento).

Eu não tive dúvidas ao decidir que resenharia esta HQ. Não porque sou profundo conhecedor da história do biografado, mas porque minha curiosidade pra ler sua história na forma da minha arte favorita foi muito grande.

Não me decepcionei. Primeiro por ter em mãos um documento histórico em forma de quadrinhos. A obra passou por um processo de restauração feito por uma equipe das Faculdades Integradas Rio Branco antes de sua republicação no início deste mês.

A HQ também ganha pontos por ter sido feita com base em entrevistas que o próprio autor fez com Silvio Santos, portanto, é uma biografia cujo biografado participou diretamente do processo criativo.

No que diz respeito à arte, Sérgio M. Lima soube traduzir pra linguagem visual as palavras sucintas de Rubens, tornando a leitura agradável. Claro que, por ser uma HQ estrelada por Silvio Santos, parte de seu apelo se deve ao protagonista, que pontualmente aparece falando diretamente com o leitor, entre um episódio e outro, como se ele próprio estivesse nos contando sua história. Esse elemento metalinguístico coube muito bem aqui.

Independente de ser uma biografia “incompleta” – afinal, desde sua primeira publicação já se passaram 48 anos! – é uma obra que merece um espaço na sua prateleira por seu valor histórico, e por ser ela própria um retrato do tempo em que foi publicada, no qual empreendedores de ramos tão distintos quanto o mercado de quadrinhos, o rádio e a televisão, ousavam se unir para contar histórias e entreter seu público, mesmo que “apenas” documentando a trajetória de uma das figuras mais icônicas do entretenimento brasileiro.

Além disto, não é todo dia que você pode dizer que tem uma história em quadrinhos estrelada pelo Silvio Santos na sua coleção. Só isto já vale o investimento.

Onde comprar:
Amazon | CulturaSaraiva

Deixe uma resposta