[QUADRINHOS] Placas Tectônicas – Para Fazer Você Tremer de Rir (EM CORES)

Placas Tectônicas Não é uma HQ qualquer.
Na verdade, vai muito longe e muito além de qualquer definição ou ideia de leitura comum.

É preciso que você saiba, antes de mais nada, que é uma autobiografia feita da melhor forma possível.

Me identifico com você, Miga… xoxo

Placas é engraçada, irreverente, totalmente livre de formas engessadas e pré-determinadas, cheia de cores esparramadas aqui, ali, acolá, despudorada, violentamente livre, agressivamente realista e dinâmica… e com certeza, a leitura mais engraçada da minha existência de 26 anos literários.

platas-tectonicas-margaux-motin-nemo-capaLer Placas Tectônicas é, além de uma excelente forma de rir muito com tiradas geniais de uma autora que não tem medo de expressar tudo o que traz na mente, uma maneira muito eficaz de sentir-se uma pessoa normal. Afinal, das duas, uma: ou você passa a se sentir uma mulher mais normal por identificar-se com muitos dos hábitos de Margaux, e sente que não está só em suas pequenas e grandes loucuras…

OU

Nota que Maurgaux é completamente louca, que você JAMAIS faria nada do que ela faz e, por essa razão, pode se considerar uma pessoa completamente razoável.

Viu?

Acredite. Até o fim desse post, você vai querer ler Placas Tectônicas, no mínimo, para fins terapêuticos.

Levante as mãos, vamos passear pela montanha-russa!

Placas Tectônicas é bem simples: é a história de uma mulher na faixa dos 32 anos de idade, recém- divorciada e com uma filha pequena, que decide viver a vida de sua forma, experimentando novas coisas, novos pequenos prazeres, liberdades que antes lhe eram negadas pelas convenções cotidianas ou pela vida conjugal, pequenas ou grandes vontades que ela deixou de lado por questões de convenção social. Assim é Placas Tectônicas. Uma HQ coloridinha sobre uma mulher que decidiu curtir a vida adoidada.

Vai… Ela foi até educada.

Se livra logo desta droga!

12921048_1096393243715721_906707098_nE ela e sua filha foram felizes para sempre, vivendo em seu admirável mundo novo.

CALMA AÊ!

Como assim você vem até aqui e lê só isso sobre possivelmente a melhor HQ da atualidade para mulheres, meninas, meninos, homens que buscam compreender mulheres e todo o universo? Não é tão Simples.

Margaux separa-se e decide viver com sua filhinha uma vida, digamos… mais light… – o que não é exatamente algo que todo mundo entende…

Ser artista cansa. Somos seres incompreendidos por essa sociedade chata e careta que não aceita o pijama como roupa social.

 

 

Em caso de dúvidas, a moça de orelhas de Minnie e pantufas é a Margaux. *Em caso de dúvidas, aos 26 anos, eu faço a mesma coisa.

raquel de pantufas

Não disse???

E uma mulher de mente livre como Margaux não sofre essa má compreensão somente por parte de sua própria mãe. Sua pequena filha, com suas terríveis necessidades infantis, também corta o barato da mãe, necessitada de reviver sua juventude, a todo momento com suas tolas carências de infante pré-escolar. Pobre Margaux. Mal pode se sentir com 14 anos novamente.

“Olha aqui, KIRIDINHA, você pode ser parecida até com a Inês Brasil. Só deixa eu terminar minha performance.”

“Caralho, esqueci de dar banho e trocar as roupas dela de novo… Ei… Minhas pantufas!”

Mas, no fim das contas, notamos durante toda a história que mãe e filha possuem um relacionamento equilibrado, seguro e muito maduro. Margaux é um exemplo de responsabilidade, estabilidade mental, inteligência e caráter para sua pequena filha, além de ser um bastião em sua formação pessoal. Mas a vida tem lá seus momentos…

Ela já sabe contar… Eu sei onde estão os ovos, os leitores sabem… você é indefensável.

“Se você pensa que sou uma vadia, espere até conhecer minha mãe” – se eu ganhar uma dessas um dia, será o último presente que minha filha me dará.

E, é claro, há todos os desafios que uma mãe divorciada deve enfrentar para dizer, da forma mais adequada, à sua jovem filha, de que forma ela foi concebida e trazida ao mundo. Puberdade e sexo não são assuntos exatamente fáceis de serem tratados, sobretudo com crianças. Existe toda uma psicologia para lidar com esse assunto. Não é como se simplesmente você pudesse jogar no google e resolver…

Você está fazendo isso errado…

Ok, agora que já jogou no google, só pelo amor de Deus, não clica em um programa brasileiro chamado Telecurso 2000…

Céus…

Mas é claro que as alegrias e dificuldades da vida de uma mulher em reforma interior vão bem além do relacionamento entre mãe e filha. Pode, por exemplo, surgir um novo amor, alguém que fará o coração de nossa autora bater mais forte.

Nesse momento, Margaux mostra-se madura, segura de si, completamente no controle da situação, porque, em primeiro lugar, está lidando com um amigo que se tornou um namorado. E os dois sabem exatamente lidar com os limites um do outros.

Olha, que fofo! Olha que escroto!

Ahhh, o amor…

Quase posso ouvir uma trilha sonora para eles:

Além disso, é sempre importante saber até que ponto vai o amor, a paixão, o amor que move as pessoas uma de encontro à outra… claro, da forma mais madura e sutil possível. O amor é um sentimento maduro e sadio. Assim, deve buscar raízes maduras e sadias, e essas condições só podem sem conseguidas com diálogos longos, cheios de muita complexidade e muitos pensamentos de maturidade, capacidade de ouvir o outro, paciência e, claro… a capacidade de esperar o momento certo para cada coisa. 

collectionbd-bleupaillette-blog-lorient-margauxmotin

“Você me ama, que eu sei. Anda, confessa, confessa, confessa” “TÁ, EU TE AMO, TÁ BOM ASSIM??!”

Depois de 5000 tentativas de reatar via facebook, ele precisou bloquear, Miga… sei como é…

É claro que todo relacionamento, por mais perfeito e maduro que seja, pode chegar ao fim por diversos motivos.

Acontece.

E em algum momento, por mais que doa, por mais que choremos e detestemos a situação do término de um relacionamento que outrora tanto nos fez bem, é necessário que haja a resignação.

(não sem antes stalkear todas as redes virtuais, fazer perguntas indiscretas a amigos, ficar em casa como um trapo comendo todos os carboidratos possível e reclamando com a melhor amiga enquanto ela te impede de ligar bêbada para a pessoa amada.)

É um processo difícil.

tumblr_n0vtxcmwd51r4d857o1_500Tem uma hora que tudo fica tão enrolado que é necessário começar a juntar as partes de nós, como se fôssemos um mundo inteiro, separado em ilhas que colidem vez por outra.

Ou talvez a melhor definição seja, realmente, Placas Tectônicas. Unidas da maneira certa, colocadas nos locais certos, podem equilibrar nossos sentimentos, nossas emoções, nossas energias. Colocadas nos locais errados, estarão prontas a provocar verdadeiras catástrofes.

Ser mulher é ideal quando não se quer apenas ser criança o tempo todo, ou não se precisa ser adulta o tempo inteiro. Não ser sexy sempre, não ser mãe o tempo todo, não ser a eterna intelectual. Que tal um pouco de cada na dose certa e quando for realmente necessário?

É preciso reavaliar sua mente… E seu corpo! Que tal tentar coisas novas??

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

É finalmente assim que você vai se achar…

superthumb

Se reinventar… e se ver…

ParaBD_1_24762

Feliz… em si mesma…

images

De uma louca para outra,

Obrigada, Margaux Motin, por essa viagem louca e alegre, cheia de risadas e tão criativa.

20160219151137nerdgeekfeelings


platas-tectonicas-margaux-motin-nemo-capaEditora Nemo

Páginas: 256

Formato: 17 x 24 cm

Acabamento: brochura

Pré-vendas em: Amazon • Submarino • Saraiva

One thought on “[QUADRINHOS] Placas Tectônicas – Para Fazer Você Tremer de Rir (EM CORES)

  1. Caralho! Me interessou bastante. Já pus na lista de leituras..

Comments are closed.