[QUADRINHOS] Os Jetsons foram reformulados pela DC, e Rosie ganhou uma nova (e dramática) origem.

Esta semana saiu nos Estados Unidos edições especiais onde alguns heróis da DC Comics se encontraram com personagens da Hanna-Barbera. O destaque destas HQs, além dos crossovers entre os universos, foram histórias curtas complementares, estreladas por outras versões reformuladas de personagens da Hanna-Barbera.

Uma que chamou bastante atenção foi a história estrelada pelos Jetsons, presente em Booster Gold/Flintstones. Na história, escrita pelo casal Amanda Conner e Jimmy Palmiotti, e desenhada por Pier Brito, o futuro onde vive os Jetsons foi completamente reimaginado.

Pra começar, a história revela o motivo por que a cidade onde vivem os Jetsons é formada por casas flutuantes: em algum ponto do passado deles, ocorreu um dilúvio que inundou toda a superfície da Terra, forçando os sobreviventes do cataclismo a elevarem suas casas acima do nível do mar.

Além desta, outra novidade da reformulação da família do futuro é a primeira aparição de Rosemary Jetson, a mãe de George. Na HQ descobrimos que a senhora de 124 anos está prestes a morrer, e que ela tem um vínculo muito forte com Judy, sua neta adolescente.

Talvez a ideia mais inesperada da história seja o debate que acontece entre a avó e a neta sobre o que a primeira fará com sua consciência e suas memórias assim que a vida deixar seu corpo moribundo. No futuro dos Jetsons, as pessoas têm a opção de fazer cópias digitais de suas mentes, para que continuem vivendo após a morte de seus corpos. Este é um conceito que remete ao episódio San Junipero, da 3ª temporada de Black Mirror, o que é mais do que se esperaria da reimaginação de um desenho animado infantil.

Mas não pára por aí. No final da HQ descobrimos que Rosemary decidiu que a cópia digitalizada de sua “alma” seria transplantada para um robô. Preciso mesmo dizer qual robô é este? Bom, acho que a imagem abaixo é o suficiente pra responder a questão:

 

Semelhante aos Flintstones, os Jetsons ganharão uma série mensal, que fará parte do novo universo Hanna-Barbera, que a DC Comics vem desenvolvendo desde o ano passado. Deixo aqui registrado meu desejo de ver esse material sair por aqui em algum momento, pois tal iniciativa tem um objetivo muito parecido com o das excelentes Graphic MSP: criar reinterpretações modernas de personagens antigos, que fizeram parte da infância de muitos de nós, e torná-los relevantes para um público mais adulto. Até aqui, parece que o pessoal da DC está acertando mais do que errando.

E você, o que achou dessa nova versão dos Jetsons? Diga nos comentários!

Deixe uma resposta