[QUADRINHOS] Open Bar, de Eduardo Medeiros (resenha)

Embora já tenha falado nessa HQ anteriormente em um Capacitor de Fluxo (extremamente mal-feito, por falta de tempo), achei que valeria a pena volta a essa História em Quadrinhos tão engraçada, cheia de referências e cheia de pequenas lições importantes para todos.

Ah, mas pra quê esse trabalho todo de novo?

Do Roteiro

Eduardo Medeiros é um desses autores cujas mentes eu adoraria explorar.

Por quê?

Bem, sua HQ Open Bar poderia ser apenas uma história de cisa caras ferrados na vida, amigos desde a infância e que, por azar ou sorte, conseguiram ter um bar deixado como herança pelo pai do Barba (um dos protagonistas).

Só isso já seria o suficiente para entreter a todos os leitores, e deixar qualquer um louco para ler a história, mas o autor se supera ao cruzar as histórias, fazendo digressões (voltando no tempo) para explicar peças fundamentais da história, ressaltando detalhes que serão importantes páginas adiante.

Isso sem falar em toda construção super complexa que faz lembrar a Guideline dos episódios de Simpsons. A história tem 500 plots, vários braços que te levam a histórias diversas… e de algum jeito mágico, o autor nos guia a uma coisa só no fim.

Da estética

Não sei se classificaria a estética utilizada nos desenhos e nas cores escolhidas como uma forma de remissão a uma produção cinematográfica. Caro, Eduardo Medeiros, se sua intenção foi essa: parabéns.

O tempo todo, durante a leitura, não apenas em razão da arte utilizada mas também pelo enredo dinâmico e os cortes em que ocorrem os “flashbacks”, nos sentimos assistindo a um filme ou a alguma série muito boa.

Se sua intenção não foi essa AT ALL, consulte um médico. Você não pensa como as outras pessoas.

Das referências

Você sabe de onde realmente vem o Mestre dos Magos e em quê ele trabalha?

Sabe onde realmente caiu a turbina do avião de “Donnie Darko“?

Conhece o grupo de Nerds que talvez sejam os atuais donos do DeLorean?

Conhece as implicações de ir a uma convenção Nerd sem ser Nerd?

Conhece o Efeito Borboleta?

QUER DEIXAR O JACK BURTON FORA DISSO?

Pois é. A HQ tem tantas referências que o Capitâo América poderia ficar louco ao lê-la. (Nesse caso, estaria em um manicômio em vez de enfrentar Thanos)
Compre já sua edição, abra sua cerveja e desfrute de Open Bar!


Panini Comics

Brochura

25,8 x 16,6 x 1,4 cm

272 páginas

Compre aqui


Raquel Pinheiro (Raposinha) é míope profissional, CANCERIANA, redatora, revisora, tradutora, escritora, professora de língua inglesa, viciada em café e artista plástica. Além disso é troll nas horas vagas e é viciada em cheirar livros.