[QUADRINHOS] O Espetacular Homem-Aranha: O Retorno de Peter Parker

amazing-spider-man-1-2014-marcos-martin-cover-fragment

Nesta quarta-feira, a tempo de pegar carona com o lançamento de O Espetacular Homem-Aranha 2, a Marvel espertamente relançou a série The Amazing Spider-Man, trazendo de volta a mente de Peter Parker ao seu corpo com super-poderes aracnídeos, após o controverso ano e meio em que o Doutor Octopus tomou conta dele e de sua vida.

Leia também:

Para aqueles que temiam um reinício que ignorasse todas as mudanças causadas pelo ex-vilão na vida de Peter Parker, uma boa notícia: Dan Slott começa a nova série exatamente do ponto em que a série Homem-Aranha Superior terminou. Portanto, acompanhamos Peter aos poucos se atualizando sobre as muitas novidades que se acumularam no último ano, e tentando se adaptar a elas.

amazing-spider-man-1-2014-anna-maria-marconi-meets-original-peter-parkerO autor foi esperto em aproveitar essa desorientação de Peter diante de seu novo status dentro do Universo Marvel, e usar o protagonista como ponto de identificação do leitor de primeira viagem. Assim como Peter, quem começar a acompanhar o Homem-Aranha nos quadrinhos a partir desta edição o encontrará lidando com as muitas consequências do período em que Octopus esteve controlando seu corpo. Com isto em mente, Slott usa esta primeira edição para recapitular rapidamente todos os subplots pendentes da fase Superior, entre eles: o fato de Peter agora ter um diploma de doutorado, ser dono de uma empresa, e estar namorando com a encantadora Anna Maria Marconi (sim, eu adoro a personagem, e ai do Peter se magoá-la!), que pra complicar ainda mais sua situação descobre a aliança que Octopus comprou com a intenção de pedi-la em casamento antes de ceder seu lugar a Peter no final de Homem-Aranha Superior.

Como se tudo isto não fosse o bastante pra dificultar este reinício de Peter como Homem-Aranha, ainda há todas as pessoas que Octopus irritou enquanto esteve no lugar do herói, com as quais ele terá que lidar nas próximas edições, como J. Jonah Jameson, agora ex-prefeito de Nova York, o vilão Electro (claramente escolhido porque também é o vilão do filme que estreou ontem nos cinemas), e a Gata Negra, além do surgimento de duas novas ameaças, que foram rapidamente introduzidas aqui.

A edição já abre com o que promete ser a mais nova ideia polêmica introduzida por Slott na mitologia do Homem-Aranha: a revelação de que houve uma segunda pessoa que foi picada pela aranha radioativa que deu os poderes para Peter. Uma personagem feminina cuja identidade só será revelada na 4ª edição, que terá ligação com a saga Original Sin, que começa este mês. Resta saber qual explicação o autor inventou pra garota não ter aparecido até hoje.

amazing-spider-man-1-2014-awkward-peter-parker-moment

Realmente constrangedoras…

Pra afastar-se da pegada mais séria e sombria do Homem-Aranha Superior, Slott encheu essa primeira edição com tiradas de humor, e situações constrangedoras envolvendo Peter, para que não restem dúvidas de que o Homem-Aranha original voltou pra valer. Graças a esse tom mais cômico o traço muito estilizado e caricato de Humberto Ramos acaba se mostrando bem adequado para esta primeira história, que diverte mais do que tenta gerar grandes mudanças na vida de Peter.

Os maiores destaques desta edição de estréia são as histórias complementares, que ficam à cargo de alguns escritores e artistas convidados. “Recapturing That Old Spark”, estrelada por Electro, é uma das que mais se sobressaem pela arte e as cores de Javier Rodriguez. Crossed Paths”, estrelada pela Gata Negra, só serve para plantar o plot que será melhor explorado na edição 3. “How My Stuff Works” é um cursinho rápido sobre os poderes do Homem-Aranha, claramente voltado para leitores principiantes. “Homecoming. Sort of” é um preview da série do Homem-Aranha 2099 que estréia em junho, e é outra que se destaca pela arte de Will Sliney. “Kaine” serve pra promover a série dos Novos Guerreiros, onde o Aranha Escarlate, clone de Peter, é um dos integrantes. E “Learning To Crawl”, talvez a que mais desperta curiosidade, introduz um novo personagem, que remonta aos primeiros dias de Peter Parker como Homem-Aranha, e que será melhor explorado na edição 1.1, que sai na próxima semana.

No geral é uma edição de estréia muito boa, que se deixa o leitor de primeira viagem um pouco perdido quanto ao que está rolando no universo do Homem-Aranha, é intencional, pois esta sensação faz parte do status atual de Peter. E as histórias complementares dão conta de pincelar um pouco mais sobre o personagem e seus inimigos e aliados. As subtramas rapidamente mencionadas aqui prometem um fôlego renovado e uma vida bem atarefada para o herói nos próximos meses, e histórias mais descontraídas que as da fase anterior.

THE AMAZING SPIDER-MAN #1

Roteiros de:
Dan Slott (“Lucky To Be Alive”, “Recapturing That Old Spark”, “Crossed Paths” e “Learning To Crawl”), Christos Cage (“Recapturing That Old Spark” e “Crossed Paths”), Joe Caramagna (“How My Stuff Works”), Peter David (“Homecoming. Sort of”) e Chris Yost (“Kaine”)
Desenhos de:
Humberto Ramos (“Lucky To Be Alive”), Javier Rodriguez (“Recapturing That Old Spark”), Giuseppe Camuncoli (“Crossed Paths”), Chris Eliopoulos (“How My Stuff Works”), Will Sliney (“Homecoming. Sort of”), David Baldeon (“Kaine”) e Ramón Pérez (“Learning To Crawl”)
Cores de:
Edgar Delgado (“Lucky To Be Alive”), Javier Rodriguez (“Recapturing That Old Spark”), Antonio Fabela (“Crossed Paths” e “Homecoming. Sort of”), Jim Charalampidis (“How My Stuff Works”), Rachelle Rosenberg (“Kaine”) e Ian Herring (“Learning To Crawl”)

Nota: 8,0

Confira abaixo uma galeria das capas variantes que esta primeira edição ganhou: