[QUADRINHOS] Mensur, de Rafael Coutinho (resenha)

Entre cicatrizes físicas e emocionais, um herói em busca de valores em um mundo degradado passa por situações que põe em prova sua moral e seu senso de ética e honra. Moral e honra, são os principais pontos da HQ Mensur, de Rafael Coutinho.

A trama conta a história de Gringo, que de inicio se mostra como um viajante, que realiza qualquer trabalho (mesmo que degradante) para poder sobreviver. Mas, ao longo da narrativa, podemos construir melhor o enredo em nossas cabeças, pois vamos percebendo, aos poucos, os detalhes da história. Com isso temos Gringo, um médico formado em Ouro Preto – MG, que durante 10 longos anos se submeteu a atuar em subempregos, para fugir de seu erro passado.


De sua juventude podemos colher lembranças, flashbacks de seu tempo na república. Ali fora fundada uma sociedade secreta, onde ele, seus colegas e um professor se reuniram para praticar o Mensur, um estilo de esgrima praticado desde o século XVI nas universidades europeias (principalmente Alemanha, Áustria e Suíça).

Aqui eu gostaria de fazer um adendo, antes de prosseguir com minha linha de pensamento. Toda esta questão de honra e moral estão intrinsecamente ligadas ao mensur, que, como já disse, era um estilo de esgrima praticado na Europa. Mas como era praticado e os princípios da sociedade secreta é que chamam a atenção.

Com o braço que empunha a espada erguido, e o outro fixo às costas, homem contra homem em uma disputa de autocontrole e honra. Os golpes somente eram deferidos no rosto do oponente, quanto maior o número de lacerações no rosto, mais honrado você era.

E é justamente esse sentido de honra que move o nosso protagonista. Não vacilar perante os golpes, e ser marcado com a Schimisse (cicatriz), carregando com isso um emblema de coragem, era só uma parcela do código moral de um mensurem. A outra parcela era nunca falar sobre a sociedade secreta.

Nota do editor: inevitável não lembrar de Clube da Luta lendo isto.


Não haveria história se não houvesse traição, e aqui podemos retornar á HQ. Essa “traição” resultou na dissolução do grupo secreto. Cada um seguiu sua vida. Trabalharam, enriqueceram e se esqueceram da honra. Gringo não. Ele assumiu a culpa e, em busca de manter vivos os valores de ética e da moral, passou a viver em conflito consigo mesmo (em sua memória cabe uma nostalgia sentimental pelo pacto de cavalheiros, mas em sua mente há uma profunda aversão à espada e ao pacto que levou ele e os amigos por uma vida errônea). Aspirando ser correto como a espada o ensinara, a justa medida de ser, mesmo tendo se formado em medicina, procurou por empregos considerados degradantes (limpador de piscina, removedor de entulhos dos tuneis de mineração), tentando fazer jus a essa honra, o que se chocava com as injustiças que ocorrem no mundo.

Até mesmo seus próprios colegas foram se esquecendo dos ideais de honra e moral, e à medida que o poder e o status social lhes foram dando benefícios indébitos, tornaram-se tudo o que Gringo toma por errado, ferindo, assim, mais que sua carne, seu sentimento, sua alma.

Essas feridas ficam cada vez mais profundas e expostas, até o ponto em que fica difícil seguir com sua honra, pois vingar-se daqueles seres maculados torna-se tentador. Nesse meio, uma presença feminina terá peso em sua decisão.

Com tudo isso podemos perceber o quão densa é a trama, o que se completa com a arte surpreendentemente dinâmica e acelerada, principalmente quando transita por planos abertos e fechados. Os traços rústicos, com estilo incompleto e trêmulo, nos oferece a oportunidade de concluir as imagens e compreender, a nosso modo, as cenas.

Coutinho tem uma capacidade de desenrolar a narrativa sem nenhuma pressa, mas sem permitir que a leitura fique esgotado.

Os duelos por sua vez, são mostrados de forma fluida e vigorosa. Com traços enérgicos, Coutinho permite que a imagem crie vida. Contudo, apesar desta “violência”, cenas mais emocionais se sobressaem, onde não foram necessárias muitas palavras para expressar todos os sentimentos complexos e intensos.

Um homem em busca de honra em um mundo cheio de desigualdades e injustiças, se encontra com uma mulher, igualmente ferida e cansada. Esse encontro gera, para ambos, uma oportunidade de recomeço, um caminho que os leve de volta à honra.


Quadrinhos na Cia

Capa Dura

18,80 x 27,00 cm

208 páginas

Disponível nas seguintes livrarias:

Amazon

Saraiva

Submarino