[QUADRINHOS] Marvel NOW! – Avengers #13, Iron Man #11 e Thanos Rising #3

marvel_now_logo30

Os Vingadores enfrentam o Alto Evolucionário e sua horda de híbridos para resgatar as crianças deusas da Terra Selvagem em Avengers #13; revelações explodidoras de mente sobre a origem da genialidade de Tony Stark são feitas em Iron Man #11; e em Thanos Rising #3 descobrimos um pouco mais sobre os fatos definidores da psique e das obsessões do titã de pele púrpura.

Mais sobre as edições citadas acima nas análises abaixo, que contém SPOILERS das histórias analisadas.

Avengers v5 013-000Avengers #13

“Strong”

Roteiro de Jonathan Hickman e Nick Spencer
Desenhos de Mike Deodato
Cores de Frank Martin

Talvez por influência da co-autoria de Nick Spencer, este número de Avengers foi o que apresentou a história mais “tradicional” desde que Jonathan Hickman assumiu os roteiros do título. Grande parte da história concentra-se na busca dos Vingadores pelas crianças afetadas pela bomba de criação que caiu na Terra Selvagem – ou, segundo o Homem-Aranha, as “zebras androginóides” – que foram sequestradas pelo Alto Evolucionário na edição anterior. É uma das histórias com mais ação e porradaria desde a reestréia de Avengers na fase Marvel NOW!, o que pode agradar quem estava sentindo falta disto nos edições passadas – com exceção de Avengers #11 – que foram mais focadas no suspense e em toda a elaboração do quadro cósmico que Hickman trabalhará a partir de agosto, quando iniciará a saga Infinity.

Avengers v5 013-012

Esta e a edição anterior – juntamente com Avengers #4 – serviram especialmente para definir ainda mais as motivações e a personalidade de Hipérion, que começou como um deus de outro mundo caindo na Terra e entrando para os Vingadores, e termina esta história abraçando uma nova causa pela qual lutar. Assim como na edição passada, suas conversas com Thor rendem os melhores momentos da história, destacando-se o diálogo final, que a encerra excepcionalmente, conquistando o respeito e a admiração do leitor por aquele que pode ser visto como o Superman da Marvel (a própria abordagem do personagem insiste que ele seja encarado desta forma).

Fora a dupla de deuses, que foi o foco principal deste mini-arco em duas partes, o Homem-Aranha, apesar de ser o Dr. Octopus por trás da máscara, diverte mais do que em suas aparições anteriores no título. Sua arrogância é tão caricata e desagradável  que não tem como não rir quando ele é forçado a admitir seus erros, mesmo sem fazer isto explicitamente, como na cena abaixo, que é minha preferida dele nesta edição:

Avengers v5 013-010

Nota-se neste número que a idéia por trás das últimas edições foi desacelerar um pouco o ritmo para posicionar as tramas e personagens, preparando-os para Infinity. Na próxima edição já começam os prelúdios para a saga, por isto considero adequado que as duas últimas tenham focado mais nos personagens do que na já intrincada rede de sistemas planetários e galácticos de preservação que Jonathan Hickman introduziu e desenvolveu desde a primeira edição até aqui. A tendência agora é que algumas tramas comecem a se conectar ainda mais, convergindo para o evento multisséries que começa em agosto.

Thanos Rising 003-000Thanos Rising #3

Roteiro de Jason Aaron
Desenhos de Simone Bianchi
Cores de Ive Svorcina

O que Jason Aaron vem revelando sobre Thanos nesta mini-série pode ser resumido em poucas palavras: ele é um homem que já nasceu sendo rejeitado pela primeira pessoa que deveria amá-lo, fato que gerou uma crescente carência afetiva que ele passou a vida inteira tentando resolver, e que tornou-se insustentável por ser constantemente rejeitado por sua maior paixão, a única que o aceitou como era, e o instigou a entregar-se a uma tendência com a qual nasceu: a Morte.

Até a presente edição o autor vem investindo numa narrativa convencional, linear, que concentra-se nos anos formadores da personalidade do protagonista, sem pressa para abordar os eventos que tornaram-no um dos maiores vilões do Universo Marvel. É um enfoque válido, pois ajuda o leitor a entender como formou-se sua psique distorcida.

Thanos Rising 003-008

Talvez o que desaponte um pouco quem conhece o vilão há mais tempo seja a ausência de um ímpeto maior da parte dele, de um pouco mais de iniciativa e personalidade. Nesta edição, especialmente, fica claro que Thanos é um homem que foi manipulado por uma mulher que sempre o enxergou como um instrumento para alcançar o que deseja. Sim, isto já fazia parte da história do personagem, mas a forma como Aaron vem trabalhando este aspecto dela pode incomodar quem espera algo menos dramático e mais explosivo e revelador. Tudo faz parte de uma tentativa de humanização de um vilão que o leitor conheceu no auge de sua megalomania, e que aqui aparece inseguro, sem rumo e sem um propósito mais definido.

Thanos Rising 003-020

Ainda assim, a história não chega a ser ruim, somente abaixo da média do autor, e do que a maioria dos leitores espera de um vilão que vem ganhando uma importância cada vez maior com a proximidade da saga Infinity, na qual ocupará um papel central. Pode ser que o principal objetivo desta mini-série seja justamente desmistificá-lo, e mostrar que no fundo Thanos é bem menos do que ostenta exteriormente. É a velha história do homem que buscou um poder ainda maior para suprir o vazio existencial decorrente de um amor que, por maiores e mais atrozes e exaltadas que sejam suas declarações, jamais foi correspondido à altura dos feitos que realizou por sua amada. A Morte nunca está totalmente satisfeita com as vidas ofertadas a ela. Não há amante pior, e Thanos, desde cedo, começou a aprender que seus flertes e galanteios jamais teriam um fim. Sua tragédia é ser um tirano que tornou-se escravo de seus sentimentos.

Iron Man v5 011-000Iron Man #11

“The Secret Origin of Tony Stark – Parte Two”

Roteiro de Kieron Gillen
Desenhos de Dale Eaglesham
Cores de Guru eFX

É notável que Kieron Gillen está mais à vontade escrevendo este novo arco do Homem de Ferro. A dinâmica entre o herói e o andróide 451 funciona ainda melhor neste número, que finalmente mergulha de cabeça nos efeitos mais significativos desta origem secreta que começou a ser contada no número anterior.

Basicamente o que possibilitou o nascimento de Tony Stark tem ligação com o quadro cósmico cuja importância a Marvel vem reforçando nesta nova fase da editora. Chama a atenção neste número a ligação que a série começa a estabelecer com o trabalho de Brian Bendis em Guardians of the Galaxy. Vejam a página abaixo, e depois leiam novamente as páginas da reunião de representantes de impérios galácticos ocorrida em Guardians of the Galaxy #3:

Iron Man v5 011-007

Depois disto Gillen começa a detalhar todo o processo ao qual foi submetido Tony ainda no útero materno, que o transformou numa das mais importantes armas da humanidade contra ameaças alienígenas. E por mais que isto soe forçado no texto deste review, o autor deu conta de armar uma defesa para sua premissa que prima pela lógica e pela boa elaboração, além afetar profundamente o status do personagem no Universo Marvel, sem com isto negar o que já sabemos a seu respeito. É um retcon que não insulta a inteligência do leitor, e rende uma das páginas que, desde já, é uma das mais intrigantes de toda a história do personagem desde sua criação. É uma desconstrução inédita de Tony Stark, que é literalmente reduzido a seus blocos genéticos fundamentais:

Iron Man v5 011-013

E vale a pena reparar na sutil ligação que Gillen traça entre sua história e as mini-séries S.H.I.E.L.D., de Jonathan Hickman, que a cada vez que são citadas, mesmo que sem alarde, reforça a idéia de que sua importância será ainda maior nos próximos anos do Universo Marvel (e sua obrigação de lê-la, como leitor e apreciador do universo ficcional da editora, aumenta). Obviamente não podemos esquecer dos possíveis efeitos destas revelações na saga Infinity, também comandada por Hickman, e sobre a atuação do Homem de Ferro no título dos Guardiões da Galáxia. Imaginem o efeito desta conversa sobre o ego de Tony:

Iron Man v5 011-018

Com Iron Man a Marvel revela mais uma das ramificações de seus planos para explorar mais amplamente seu universo. A intenção da editora é claramente levar seus leitores para outros mundos, sem que esta tarefa se concentre – como em anos anteriores – em títulos sem muita ligação com suas séries mais badaladas. Desta vez seus personagens mais populares não apenas estão envolvidos em aventuras espaciais, como estão descobrindo – no caso de Tony Stark – uma ligação com o universo que os cerca ainda mais profunda do que sequer haviam cogitado. E isto, pelo menos pra mim, é uma ficção científica de alto nível, pois leva-nos a pensar em nosso papel no cenário cósmico ao qual pertencemos, mesmo que esqueçamos disto graças às questões mundanas que ocupam nossa mente a maior parte do tempo. Tony Stark representa o potencial tecnológico humano em sua expressão máxima. Encarem-na desta forma, e esta história é mais sobre nós mesmos do que sobre o personagem que a protagoniza.

Outras Recomendações de Leitura

All-New X-Men 012-000All-New X-Men #12

“X-Men vs Uncanny Avengers”

Apesar da capa, o encontro entre o Ciclope do passado e o Destrutor do presente é muito amistoso, apesar de uma tensãozinha previsível entre os X-Men e os Vingadores (do título Uncanny Avengers). É uma história de preparação para o confronto entre os X-Men e a Irmandade de Mutantes liderada por Mística, que vem realizando roubos fingindo ser os X-Men. Brian Bendis, pra variar, continua mandando bem no roteiro, e Stuart Immonen está cada vez mais à vontade desenhando os personagens.

Superior Spider-Man 011-000Superior Spider-Man #11

“No Escape – Part One: A Lock For Every Key”

Inicío do arco em três partes No Escape, que neste primeiro capítulo não trouxe grandes novidades para o trabalho que Dan Slott vem desenvolvendo no título. É sobre o Esmaga-Aranha fugindo da Balsa – a prisão de segurança máxima para super-vilões – após interromper sua própria execução pelo assassinato da esposa de J. Jonah Jameson (ocorrido antes da fase Superior). Slott divide os créditos com Christos Cage nos roteiros, e Giuseppe Camuncoli volta aos desenhos, com seu traço mediano, e seu Homem-Aranha mais “parrudinho”. Compensa ler, pois ela deve encaminhar o Homem-Aranha para o arco que começa na edição 14, e promete dar uma nova chacoalhada na fase Superior.

Semana que vem: Wolverine #4, New Avengers #7 e Thor – God of Thunder #9.