[QUADRINHOS] Já era, de Felipe Parucci (resenha)

Financiado através do Catarse e, posteriormente, abraçado pela Editora Lote 42 (que acabou viabilizando um generoso aumento de páginas no quadrinho) “Já Era” é o mais novo trabalho de Felipe Parucci (Apocalipse Por Favor e Auto-Ajuda).

A trama conta a história de Regina, uma jovem publicitária que, após uma série de episódios desagradáveis em sua vida, larga tudo, compra um barco e se joga no mar rumo a Cabo Polônio, no Uruguai. Mas, no meio do caminho, ela é abduzida por extraterrestres, que a levam para o planeta alienígena Chão 3, que é, tecnologicamente, mais evoluído que o nosso, mas repleto de desigualdades sociais e devoção ao lucro. A partir desse momento, a vida Regina vai sofrer uma série de reviravoltas que vão afetar suas convicções e, de certa forma, até mesmo o destino da humanidade.

A obra é carregada com uma forte crítica social ao capitalismo e à sociedade de consumo. Contudo, essa crítica não aparece como um discurso agressivamente raivoso, mas sim num texto inteligente e eficaz, repleto de humor, abusando de trocadilhos com marcas e celebridades, e ironizando vários hábitos e valores da nossa própria sociedade.

O uso de muito preto na colorização é uma das marcas registradas da arte de Parucci, que evoluiu muito dentro de seu próprio estilo, ousando mais aqui que em seus trabalhos anteriores. A narrativa gráfica do autor demonstra um domínio da arte sequencial, com uso de composições de página diferentes em vários momentos sem perder a coesão do quadrinho.

Com um roteiro eficiente e certeiro e uma arte bem elaborada, o segundo grande quadrinho de Parucci mostra que o artista não se acomodou e está buscando se renovar a cada trabalho. Valeu bastante o apoio no Catarse! A edição ainda veio com um marca página com o alfabeto chânico, para traduzir as falas dos alienígenas no quadrinho.

Um dos maiores lançamentos do quadrinho nacional de 2017, Já Era está disponível na UGRAPRESS, na Gibiteria e na Banca Tatuí, em São Paulo, na loja virtual Peixe de Luz ou com o próprio autor, através das redes sociais!


Sobre o autor:

Acredita que o lado bom da vida é amargo como uma boa cerveja ou café sem açúcar, coleciona quadrinhos e escreve resenhas sobre a nona arte no Instagram sob a alcunha de @quadrinhonauta!