[QUADRINHOS] DarkSide inaugura selo de quadrinhos com três títulos. Saiba quais!

Não é surpresa pra ninguém que nos acompanha há algum tempo o quanto amamos a DarkSide Books por todo o cuidado que ele dedica na elaboração das edições de seus livros. Agora teremos não um, mas outros três motivos pra amá-la um pouco mais. Com o início do DarkSide Graphic Novel, selo de quadrinhos da editora, nos próximos meses veremos o lançamento dos seguintes graphic títulos:

Meu Amigo
Dahmer

por Derf Backderf

Estudando com um serial killer

Será possível identificar os traços de personalidade de um assassino antes mesmo que ele comece a matar? Imagine descobrir que um amigo seu de escola acabou se transformando num dos mais temidos serial killers do século? Essa é a história real que o quadrinista Derf Backderf relata na graphic novel Meu Amigo Dahmer.

Meu Amigo Dahmer traz o perfil do psicopata Jeff Dahmer quando este ainda era um aluno do ensino médio. O autor do livro foi seu colega de turma nos anos 1970, e conviveu com o futuro “canibal de Milwaukee” com uma intimidade que Dahmer talvez só viesse a compartilhar novamente com suas vítimas. Juntos, Derf e Dahmer estudaram para provas, mataram aula, jogaram basquete.

Os dois tomaram rumos diferentes, e Derf só voltaria a saber do amigo pelo noticiário, anos depois. Em 1991, os crimes de Jeffrey Dahmer vieram à tona: necrofilia, canibalismo e uma lista de pelo menos 17 mortos, entre homens adultos e garotos. O primeiro assassinato teria acontecido meses após a formatura no colégio.

Além de remexer nos seus velhos cadernos e álbuns de fotografia, Derf consultou seus amigos de adolescência, antigos professores, os arquivos do FBIe a cobertura da mídia após a descoberta de seus crimes antes de roteirizar Meu Amigo Dahmer. Muitos tinham histórias do garoto que costumava fingir surtos epilépticos, que exagerava na bebida antes mesmo de ir para a aula e que parecia ter uma fixação em dissecar os animais atropelados que encontrava perto de casa. Mas quem realmente poderia prever os caminhos sombrios pelos quais ele seguiria? Seria possível evitar tamanha tragédia? Leia e tente tirar suas próprias conclusões.

Meu Amigo Dahmer, a história (em quadrinhos) antes da história, foi premiada no Festival de Angoulême, França, em 2014, e incluída pela revista Time como um dos cinco melhores livros de não ficção de 2012. A primeira HQ da coleção Crime Scene inaugura a publicação de histórias em quadrinhos, graphic novels e mangás pela DarkSide® Graphic Novel.


Derf Backderf vendeu seu primeiro cartum, um retrato nu de sua professora da sexta série, por dois dólares a um colega de classe que o utilizou para propósitos indescritíveis. Hoje ele é um dos mais lidos criadores de quadrinhos independentes. O artista e escritor, que trabalha em um estúdio não aquecido no sótão de sua casa em Cleveland, cresceu em uma pequena cidade rural em Ohio, experiência que inspirou suas graphic novels Trashed, Punk Rock & Trailer Parks e o best-seller internacional Meu Amigo Dahmer, que lhe rendeu um prêmio no Festival de Angoulême, França, em 2014, e foi adaptado para o cinema em 2017 pelo diretor Marc Meyers. Saiba mais em derfcity.com.


“Uma história potente e contada de forma magistral. Backderf é habilidoso em usar
os quadrinhos para revelar o mundo adolescente bizarro e sinistro dos anos 1970.”
— ROBERT CRUMB —

“Este belo livro explora as origens do horrível assassino Jeffrey Dahmer.
Entre de cabeça e saia desolado.”
— JAMES ELLROY, AUTOR DE LOS ANGELES CIDADE PROIBIDA

“Se quer uma história pesada sobre um adolescente perturbado, Meu Amigo Dahmer
certamente vai satisfazer as suas ânsias mais tenebrosas. Mas este também é um livro
que trata de várias outras coisas muito mais importantes: a bizarrice suburbana
institucionalizada dos anos 1970, o que significa ser amigo de uma pessoa de quem
você não gosta, uma boa explicação sobre o porquê das coisas terríveis que acontecem
conosco e como sentir simpatia por aqueles que aparentemente não merecem.”
— CHUCK KLOSTERMAN, AUTOR DE THE VISIBLE MAN

“Atordoante. Horripilante. Feito com primor.”
— ALISON BECHDEL, AUTORA DAS HQS FUN HOME E VOCÊ É MINHA MÃE?

“Quem abrir Meu Amigo Dahmer para satisfazer uma curiosidade mórbida — e, da mesma
forma, quem espera encontrar aqui não mais que uma aposta editorial carregada
no cinismo — está fadado a se decepcionar. Sim, é uma leitura horripilante, não
tanto pelo que revela sobre a vida pregressa e triste (e inevitavelmente horrível)
de Jeffrey Dahmer, mas também pelo que mostra sobre o panorama emocionalmente
insosso da América profunda. […] Existem muitos livros sobre as agonias e crueldades
da experiência adolescente na escola. No entanto, poucos nos levam de modo tão
convincente a este lugar sem alma, ou mostram como ele pode abrigar, deixar que
desenvolva e, ao mesmo tempo, ser totalmente cego a verdadeiras insanidades. Não foi
fácil ler este livro. Mas fico contente por tê-lo feito.”
— DAVID SMALL, AUTOR DA HQ CICATRIZES


Ficha Técnica
Título | Meu Amigo Dahmer
Autor | Derf Backderf
Tradutor | Érico Assis
Editora | DarkSide®
Edição | 1ª
Idioma | Português
Especificações | 288 páginas, capa dura
Dimensões | 16 x 23 cm
ISBN | 978-85-9454-035-5

Pré-venda nas seguintes livrarias:

Amazon | Saraiva

Fragmentos do Horror

por Junji Ito

Mangá 100% DarkSide!

Kowai! É assim que se diz “assustador” em japonês. E poucas coisas podem ser mais kowai do que um mangá assinado por Junji Ito. Mestre do terror em quadrinhos, Ito combina o surrealismo e o escatológico em suas histórias. O resultado é sempre bizarro, mas ainda assim — ou quem sabe até por isso mesmo — belo.

Se você tem coragem (e estômago), não pode perder Fragmentos do Horror, primeiro livro de mangá publicado pela DarkSide® Books.

Fragmentos do Horror é uma coleção de histórias curtas, perfeitas para quem quer experimentar o que essa mente tão delirante é capaz de produzir. Ito-san oferece ao leitor nove encontros com o desconhecido. Cada quadrinho pode ser fatal, cuidado! Entre as histórias da coletânea, temos uma mansão velha de madeira que gira sobre seus habitantes. Uma turma de dissecação com um assunto nada comum. Um funeral em que os mortos definitivamente não são postos para descansar. Variando do aterrorizante ao cômico, do erótico para o repugnante, essas histórias apresentam o retorno de Junji Ito há muito aguardado para o mundo do horror.

Fragmentos do Horror faz parte da nova coleção DarkSide® Graphic Novel Tokyo Terror e, como todos os títulos da Caveirinha, vem numa caprichosa edição em capa dura. A tradução foi feita diretamente do japonês e a publicação segue a orientação original, da direita para a esquerda — como tem que ser.

Para quem curte quadrinhos, terror e cultura oriental, Fragmentos do Horror é uma grande pedida. E para quem é fã de mangá, não tem nem o que discutir: mestre Junji Ito é obrigatório. Kowai desu.


Junji Ito nasceu em Gifu, no Japão, em 1963. Começou a desenhar como hobby, e só viria se tornar profissional depois dos trinta anos de idade, em 1987. Desde então, tem sido reconhecido como um dos maiores artistas contemporâneos dos mangás de terror. É autor das séries Uzumaki, Tomie, ambas adaptadas para o cinema, e Gyo, transformada em filme de animação. As influências de Ito incluem os artistas de mangá de horror clássico Kazuo Umezu e Hideshi Hino, assim como os autores Yasutaka Tsutsui e H.P. Lovecraft.


“Junji Ito é o mestre indiscutível do horror no Japão.”
— Guillermo del Toro —


Ficha Técnica
Título | Fragmentos do Horror
Autor | Junji Ito
Tradutora | Akemi Ono
Editora | DarkSide®
Edição | 1ª
Idioma | Português
Especificações | 224 páginas, capa dura
Dimensões | 14 x 21 cm
ISBN | 978-85-9454-036-2

Pré-venda nas seguintes livrarias:

Amazon | Saraiva

Wytches

por Scott Snyder e Jock

“Eu não acredito em bruxas; mas que elas existem, existem.”

Esqueça tudo o que você já ouviu falar sobre bruxas; quase todas as informações devem estar erradas, de qualquer forma. Aquilo que você aprendeu na escola — que, por séculos, centenas de pessoas foram queimadas, torturadas, perseguidas e assassinadas por bruxaria — é um fato. O que ninguém contou para você é que essas pessoas morreram para proteger uma terrível realidade escondida dos meros mortais: bruxas, bruxas de verdade, existem e estão por aí. Elas são criaturas muito mais perversas e diabólicas do que você poderia pensar — e, portanto, muito mais assustadoras. Ver uma é coisa rara; sobreviver a elas é mais raro ainda.

É por isso que quando a família Rook se muda para Litchfield, uma remota cidadezinha de New Hampshire, tentando escapar de uma experiência horrível ao recomeçar do zero, eles não entendem que algo sinistro vive nas florestas ao redor da cidade. Algo que os observa, esperando apenas por uma oportunidade. Algo muito antigo… e voraz. Você até pode conseguir feitiços e milagres delas, mas, para isso, vai precisar pagar o preço. Pai e filha vão descobrir que recomeçar pode ser bem mais difícil quando há uma conspiração secular que envolve a sua família em curso.

Com reviravoltas chocantes e uma arte de arregalar os olhos, capaz de combinar medo e beleza, esta é uma obra sobre bruxas que deve ser levada a sério. Scott Snyder já provou suas habilidades como roteirista durante seu tempo escrevendo as HQs do Batman, uma das fases do herói mais aclamadas pela crítica e pelo público nos últimos tempos. Para esta série, ele chama o desenhista Jock, que além de também ter trabalhado em Batman, fez artes conceituais para Star Wars — Os Últimos Jedi e o filme ganhador do Oscar Ex_Machina: Instinto Artificial. Com isso, Wytches extrapola a mitologia das bruxas em algo muito mais profundo e amedrontador do que os leitores estão acostumados. Esqueça as escolas de magia, as casas de doces e as maçãs envenenadas; aqui, as bruxas são realmente perigosas e quando você é jurado para elas… bem, tudo que a Caveira pode dizer é que as coisas não terminam muito bem.

Com todos os materiais extras presentes na edição original — rabiscos, esboços, processos de colorização e textos do autor que explicam a origem do conceito de Wytches — essa é uma edição para ninguém botar defeito. Além disso, como os fãs são os únicos e exclusivos donos do coração da Caveirinha, ela chamou Érico Assis para fazer com que essa história chegasse da melhor maneira para o público brasileiro. Agora, só resta uma questão, querido fã… você jura que está preparado para Wytches?


Scott Snyder tem escrito roteiro de histórias em quadrinhos como Wytches, A.D. After Death, American Vampire, The Wake, Severed, Batman, Superman Unchained e Swamp Thing, entre muitas outras. É também o autor da coletânea de contos Voodoo Heart e um ávido e nada irônico fã de Elvis Presley.

Jock desenha histórias em quadrinhos, entre elas, Wytches, Batman, The Losers, 2000AD, e cria artes conceituais para filmes, entre eles, Ex_Machina: Instinto Artificial (2015), Dreed (2012) e Star Wars — Os Últimos Jedi (2017).


“É fabulosa. Um triunfo.”
— STEPHEN KING —

“Muito, muito assustadora […] Lembra bastante o trabalho de Mary Shelley e dos
outros escritores da Villa Diodati…”
— PASTE MAGAZINE —

“Ótima leitura […] A arte é incrível, e certos quadrinhos vão te dar pesadelos.”
— IO9 —

“Fãs de hqs de terror não precisam procurar mais.”
— BOOKLIST —

“Se você ler as quatro primeiras páginas de Wytches, não tem mais volta.
Assustadora pra caralho e impossível de largar. Bravo.”
— JOE HILL —


Ficha Técnica
Título | Wytches
Autores | Scott Snyder e Jock
Tradutor | Érico Assis
Editora | DarkSide®
Edição | 1ª
Idioma | Português
Especificações | 192 páginas, capa dura
Dimensões | 17 x 26 cm
ISBN | 978-85-9454-037-9

Pré-venda nas seguintes livrarias:

Amazon | Saraiva