[QUADRINHOS] “Cidadão N” de Danyael Lopes (resenha)

Cidadao N danyael lopes editora veneta

Por alguma razão desconhecida, as portas para o Mundo da Imaginação foram fechadas, e cabe ao Cidadão N desvendar este mistério para levar uma ideia descartada de volta para o imaginário coletivo. Mas antes disto ele terá que salvar a vida de um mago, vítima de suas próprias criações.

Cidadão N é a graphic novel de estreia do escritor e ilustrador Danyael Lopes, que impressiona pela qualidade gráfica do álbum e pela quantidade de personagens e, especialmente, de conceitos apresentados numa história tão curta. Em 54 páginas o autor e artista fez um ótimo trabalho de introdução ao funcionamento do universo que imaginou, misturando fantasia e ficção científica de forma equilibrada.

Em Cidadão N as metáforas são literalizadas, e conceitos como o Gato de Schrödinger, a Esperança, a Possibilidade e, claro, a Lei de Murphy, ganham personificações. O próprio Cidadão N, apesar de ter nascido como um ser humano, representa as inúmeras possibilidades de se resolver um problema. E grande parte do êxito da graphic novel é devido à dinâmica divertida imaginada pelo autor entre todos estes conceitos, que remetem aos Perpétuos concebidos por Neil Gaiman na série Sandman. Semelhante ao Morpheus de Gaiman, o Cidadão N também precisa de itens poderosos para canalizar seus poderes, como o Bastão do Impossível e a Máscara do Infinito.

Cidadao N estudos de personagens por danyael lopes

A interação entre os diferentes tipos e categorias de ideias também é outra ótima sacada do autor. Destaco a rebelião de ideias malignas, cuja participação num período negro da história da humanidade levou o Mundo da Imaginação a criar medidas de segurança para impedi-las de agirem livremente.

Quanto ao universo imaginado por Danyael, ele é todo composto de metáforas visuais elegantes: livros que funcionam como janelas para o Mundo da Imaginação quando são lidos (brincando com a ideia de nos perdemos em projeções mentais de mundos codificados em palavras); personagens descartados que vivem no mundo real como fantasmasvampiros, sugando a energia de magos para continuarem existindo; e o acesso às ideias que habitam o imaginário coletivo ocorrer pela “sintonização” da mente dos artistas.

Cidadao N danyael lopes editora veneta preview 1

Claro que num trabalho que brinca com a própria natureza da imaginação, não faltaria referências a outras obras e autores. A primeira página já faz uma justa homenagem a Jack Kirby, enquanto o destino das ideias descartadas lembram, de leve, o Limbo imaginado por Grant Morrison em Homem-Animal, embora o autor de quadrinhos que mais ganhe destaque na graphic novel seja Alan Moore, que tem um papel importante na trama. Moore também pode ser encarado como uma das fontes de inspiração usadas por Danyael para definir o aspecto fantasioso e surreal do Mundo da Imaginação, que assemelha-se à dimensão conhecida como Immateria, que ocupa um papel semelhante na série Promethea, criada por Moore e J.H. Williams III.

Cidadao N danyael lopes editora veneta preview 3

Também é possível traçar paralelos entre Cidadão N e a série Fábulas, de Bill Willingham, onde o poder e vulnerabilidade dos personagens de contos de fadas depende de quão conhecidos eles são pela humanidade.

Cidadao N danyael lopes editora veneta preview 2Enfim, não vou ficar aqui listando todas as referências, pois parte da diversão de ler Cidadão N é identificá-las, especialmente quando o protagonista entra no Mundo da Imaginação, que é o grande momento da graphic novel.

Como extras, Cidadão N ainda traz um artigo sobre diversos casos históricos de doppelgängers; parte do processo criativo de diversos personagens (incluindo ideias descartadas, é claro); e o leitor ainda ganha de brinde uma folha prateada dupla face para transformá-la num cilindro refletor que dá acesso a uma “foto anamórfica” do Cidadão N na contra-capa.

Cidadao N estudo de personagem por danyael lopesDanyel Lopes conseguiu, com muito talento e eficácia, nos apresentar a um vasto universo que merece ser explorado em maior profundidade em novas histórias. Atrevo-me a dizer que isto é até que uma obrigação, já que estamos falando de uma história cujo protagonista é a personificação das possibilidades infinitas. O que Danyael tem em mãos são infindos caminhos para trilhar como autor de quadrinhos. Que eles continuem abertos a ele para novas incursões, pois já estou ansioso por novas viagens ao Mundo da Imaginação ao lado do Cidadão N.

Cidadao N danyael lopes editora venetaCidadão N
Danyael Lopes

Formato: Brochura
Número de páginas: 64
Colorida
Tamanho: 21 X 28 cm
Preço de capa: R$ 39,90

Compre aqui.


nota-4

One thought on “[QUADRINHOS] “Cidadão N” de Danyael Lopes (resenha)

  1. Pingback: Cidadão N

Comments are closed.