[QUADRINHOS] “Cavaleiro da Lua” de Warren Ellis, Declan Shalvey e Jordie Bellaire (resenha)

cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire 1

Depois de passar um período em Los Angeles, o Cavaleiro da Lua está de volta a Nova York com novos trajes, novos equipamentos, e uma nova equipe criativa, tudo para combinar com a Totalmente Nova Marvel, e sua proposta de repaginar vários de seus heróis.

Antes de começar a falar desse encadernado, deixa eu te contar uma história sobre o Warren Ellis. Mais de uma década atrás ele foi contratado para escrever Stormwatch, série do selo Wildstorm sobre um grupo de super-heróis a serviço do governo dos Estados Unidos. Aos poucos, Ellis reformulou toda a série com a ajuda de Bryan Hitch, ao ponto de encerrá-la, matando a maior parte de seu elenco, para, em seguida, reaproveitar alguns de seus personagens na revolucionária The Authority (que será relançada em 2016 pela Panini), a série mais inovadora de super-heróis lançada nos anos 90.

Não contente em revolucionar os quadrinhos uma vez, Ellis pegou emprestado de si mesmo alguns elementos que havia apresentado em Authority e criou Planetary com John Cassaday, uma mistura de Arquivo X com super-heróis, que foi uma grande desculpa para revisitar personagens, cenários e conceitos da ficção científica, fantasia e de outras obras pop culturais do século 20 sob a forma de um épico sci-fi. Particularmente considero Planetary sua obra-prima. E parece que o próprio Ellis pensa o mesmo, pois, desde que a concluiu, ele fez trabalhos menos ambiciosos e pretensiosos, mas não menos dignos de nossa atenção.

Na década passada, Ellis escreveu 6 edições da série do Homem de Ferro desenhadas por Adi Granov, onde não apenas atualizou a origem do herói, como o reinventou no arco Extremis. Em seguida pegou o Novo Universo, uma linha de quadrinhos adultos da Marvel, e a reformulou como newuniversal ao lado de Salvador Larroca; fez a divertidíssima e genial Nova Onda com Stuart Immonen; escreveu o melhor arco de Vingadores Secretos; e, ano passado, pegou o Cavaleiro da Lua e o reformulou em 6 edições. São estas as histórias reunidas no volume do qual falarei a seguir.

Pra quem não conhece o Cavaleiro da Lua, não precisa se preocupar, pois Ellis explica o que você precisa saber sobre ele nas duas primeiras páginas de uma forma bem econômica e divertida. Daí pra frente, é só sentar-se (ou deitar-se) confortavelmente, e curtir uma das melhores HQs de super-heróis lançadas em 2015 no Brasil. Simples assim.

Calma, que já te explico por quê!

Acontece que, como em seus melhores trabalhos, o Ellis contou com a colaboração de ótimos “parceiros de crime”. Neste caso, estou falando do talentoso casal Declan Shalvey e Jordie Bellaire (que são casados mesmo). Ele desenhou todas as histórias, e ela as coloriu. E, cara, que desenhos e que cores!

cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire 3

Numa primeira olhada, a arte do Shalvey pode parecer bem simples, e as cores de Bellaire bem discretas, mas basta começar a ler as histórias presentes no encadernado pra notar como a combinação do texto enxuto de Ellis com os traços quase minimalistas de Shalvey e as cores atmosféricas de Bellaire criam uma magia própria que torna cada história envolvente e hipnótica.

Aliás, devo elogiar ainda a decisão de Ellis contar histórias fechadas em cada uma das 6 edições. Não há um arco maior que as conecta. Todas funcionam como uma mini temporada de uma procedure regada de mistério, ação e psicodelia (já falo sobre ela).cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire 4

A inteligência da abordagem do trio se evidencia também no character design do protagonista, que usa três trajes diferentes, dependendo do tipo de combate que enfrentará: um terno impecavelmente branco, quando atua como detetive; uma armadura mística de ossos para combater ameaças sobrenaturais; e um uniforme de kevlar para comer bandidos comuns na boa, velha e sincera porrada. Tudo isto pra combinar com as quatro diferentes personalidades do Cavaleiro da Lua, sendo que a quarta se manifesta como o deus egípcio Khonshu (não se preocupe, você será apresentado a ele logo na primeira história, numa cena sinistrona e reveladora).

Por cada história ser resolvida em si mesma, Ellis aproveitou pra criar desafios distintos não apenas para o Cavaleiro da Lua, mas para Shalvey e Bellaire. Sendo o primeiro deles a sequência que inicia a segunda história, onde vários indivíduos são eliminados por um atirador de elite. É de longe uma das sequências em quadrinhos mais tensas já feitas. Só lendo mesmo pra entender quão inventiva ela é em sua simplicidade. Abaixo uma amostra dela:

cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire 2

As sequências de ação são igualmente espetaculares, e dignas de nota. É uma verdadeira aula de narrativa gráfica, onde Shalvey coreografa cada golpe com a precisão de um excelente diretor de filme de ação, e que me fez nutrir o desejo de assistir uma adaptação da HQ pra TV (já falo disto também).

E o que dizer de “Sono“, a mais alucinante de todas, quando acompanhamos o Cavaleiro da Lua desvendando um crime sob efeito de cogumelos alucinógenos, o que rende belíssimas páginas como estas:

cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire 5

E se você ficou boquiaberto com aquela luta em plano-sequência da primeira temporada de Demolidor, vai enlouquecer com o quebra-pau lindo de “Scarlet“, quando o Cavaleiro da Lua enfrenta um prédio cheio de criminosos que remete aos filmes Operação Invasão e O Protetor. É de tirar o fôlego!

cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire 6

Tudo isto em 6 histórias redefinidoras do Cavaleiro da Lua nos quadrinhos, e que por si mesmas servem para apresentar o potencial do personagem não apenas nesta mas em outras mídias. O que me leva de volta para o que eu mencionei acima: Cavaleiro da Lua merece uma série da Netflix. É o candidato ideal para uma 2ª fase do projeto Defensores. Desde já torço para que ele tenha a chance de brilhar nas telinhas.

Se você está atrás de um quadrinho de super-herói FODAMENTE escrito, desenhado e colorido, Cavaleiro da Lua é OBRIGATÓRIO e IMPERDÍVEL!


Minha única crítica contra a edição lançada pela Panini é a ausência de qualquer menção aos nomes de Ellis, Shalvey e Bellaire na capa e contracapa, um erro que pode refletir no número de vendas, pois o encadernado está sendo vendido lacrado dentro de um saco plástico, impossibilitando os leitores desinformados de saberem quais são seus autores. Mancada que o material em questão não merecia.


cavaleiro da lua warren ellis declan shalvey jordie bellaire capa panini comicsnota-5Panini Comics

Capa cartão

17 x 26 cm

132 páginas

Já nas bancas


quadrinhos panini amazon br