[QUADRINHOS] As Melhores Capas dos Quadrinhos de 2013 – Parte 3

Best-Covers-of-2013-part-3

(texto de Andrew Wheeler, traduzido e adaptado por Rodrigo F. S. Souza)

Com centenas de quadrinhos lançados todo mês, uma ótima capa pode fazer uma grande diferença. Aquele pequeno retângulo precisa atrair os olhos, transmitir um clima, uma ideia, seduzir um leitor a pegar o quadrinho e olhar dentro dele. Cabe a um grande artista de capa conseguir tudo isto.

Esta semana destacamos os trabalhos de Nathan Fox (Collider/FBP), Francesco Francavilla (Black Beetle), Chip Zdarsky (Sex Criminals) e John Paul Leon (The Massive).

NATHAN FOX em COLLIDER/FBP: FEDERAL BUREAU OF PHYSICS (DC Vertigo)

É tudo uma questão de cores com Nathan Fox. Suas capas para FBP (originalmente chamada Collider) são todas belamente desenhadas, é claro, mas ao longo de sua carreira como artista de capas foram suas escolhas de cores que o destacaram. A capa de FBP #4 é talvez o exemplo mais típico das paletas provocativas e conflitantes de Fox, porém a mais moderada e não menos cativante capa de FBP #6 mostra seu alcance.

FRANCESCO FRANCAVILLA em BLACK BEETLE (Dark Horse), LONE RANGER (Dynamite) e AVENGERS ARENA (Marvel)

Francavilla é um herói pulp, e como os antigos artistas pulp ele é extraordinariamente prolífico. Este foi o ano em que Francavilla lançou Black Beetle, sua minissérie autoral, enquanto continuou produzindo capas para títulos da Dark Horse, Dynamite e Marvel. Cada uma delas é uma bela obra-prima.

CHIP ZDARSKY em SEX CRIMINALS (Image)

Matt Fraction é musa dos artistas de capa? Ano passado David Aja nos deu uma aula sobre como criar uma marca de capas com seu trabalho em Hawkeye, escrita por Fraction. Este ano foi a vez de Chip Zdarsky nos mostrar como fazer isto, em um quadrinho co-criado por Fraction. As capas de Sex Criminals são lindas peças de personagens, com um design que não se parece com nada nas prateleiras. O artista das capas do próximo quadrinho de Fraction tem muito para fazer jus.

JOHN PAUL LEON em THE MASSIVE (Dark Horse)

A capa de Leon para The Massive #9 é outro exemplo de uma cor pontual fazendo uma capa estourar, mas o grande forte de Leon como artista de capas é sua disposição de camadas. Com uma linha fina e um ótimo olho para detalhes, ele desenha requintadas colagens de densidade e espaço. Uma capa nem sempre é o bastante para transmitir sua visão, por isto suas capas para The Massive frequentemente se combinam para criar murais extraordinários. As capas de The Massive #10, #11 e #12 talvez sejam os melhores exemplos disto.

Fonte: http://comicsalliance.com