[NOSTALGIA] F.R.I.E.N.D.S. – Sobre Chandler ser Gay.

Antes de mais nada, gostaria de adiantar que F.R.I.E.N.D.S não deve ter sido a melhor série de comédia de todos os tempos. Ela FOI!
Calma, caro jovem apaixonado por Seinfield ou How I Met Your Mother. Lembre-se de que isso é uma opinião pessoal e eu apenas estou usando a prerrogativa de redatora do site para irritar você, fã desesperado. Mas agora você já pode relaxar.

(Mas FRIENDS é melhor. Apenas aceite).

Bem, vamos ao que interessa.

Desde o seu lançamento em 1994, a série cômica dos seis amigos que passam mais tempo numa cafeteria conversando sobre amenidades da vida do que propriamente trabalhando ou fazendo qualquer coisa útil ou mais interessante (como sexo, por exemplo) tem sido alvo de discussões diversas sobre seu teor progressista.

De fato, uma série de 1994 que já começa o piloto com a apresentação de um Nerd abandonado pela esposa por ser lésbica não é algo exatamente comum.

A piada que costura toda a série (do início ao fim), embora ainda tenha lá suas pontas de preconceito – afinal, é uma piada! – é muito bem desenvolvida, de forma que Ross e todos os FRIENDS são levados a lidar com o lesbianismo no início da década de 90 com uma naturalidade que não se tinha àquela época. (Basta lembrar que o filme Philadelphia é de 1993 – mais sobre ele aqui).

Mas além do casal Susan e Carol, havia também os comentários recorrentes sobre a possibilidade de Gunther ser gay – mesmo ele tendo aquela paixão tristemente platônica por Rachel.
E, claro, os rumores que nunca realmente desapareceram acerca de Chandler ser homossexual.

Dentro da série, as indiretas e suspeitas ficaram amenizadas (levemente) após Chandler Bing se casar com Monica. Mas nem isso fez com que ele mesmo parasse com as brincadeiras que deixavam em cheque sua masculinidade. Além disso, quem acompanhou todos os episódios da série até os olhos sangrarem (tipo… eu…) conhece bem os rumores acerca da produção haver criado o personagem Chandler Muriel Bing para ser um personagem gay.

E aí, você pode estar se perguntando porque o cara que deveria ser gay – até para reforçar a quebra de preconceitos que a série impôs desde o princípio – acabou se casando e formando uma família “tradicional”.

A resposta é muito mais simples do que parece.

Quando da idealização da série, David Crane e Marta Kauffman (produtores executivos de maior expressão) tinham planos de inserir um personagem gay entre os protagonistas. E esse personagem seria de fato um dos mais importantes. Seria o Chandler: o cara sarcástico e engraçado através do qual as piadas surgiriam de maneira verbalizada e até de forma mais empírica.

Contudo, ao escolherem Mathew Perry para o papel – o ator que se encaixava perfeitamente no tipo de humor que se desejava fazer – a ideia foi desaparecendo. Não é como se Mathew não pudesse interpretar um personagem homossexual. Apenas, os produtores executivos acharam que Chandler encarnado por Perry seria melhor tendo o perfil de looser, bobão e engraçadinho, sempre solteiro e perdido em sua imaturidade com relacionamentos amorosos.

Foi uma simples questão de química.

Se a decisão foi mais interessante para a série ou não, jamais saberemos, pois precisaríamos de toda uma regravação de FRIENDS na qual Monica encontrasse outro par e Chan acabasse por sair do armário.

Mas é inegável: Mesmo não mantendo a ideia de fazer um protagonista gay, a tão maravilhosa série foi um inegável sucesso, além de conseguir trazer à tona a discussão de vários preconceitos pequenos ou grandes de maneira engraçada e leve.
Resumindo: Chandler era para ter sido gay… Mas, quando escolheram Mathew Perry para atuar no papel, a ideia tomou outra forma.

E FRIENDS ainda é a melhor série de comédia EVER.