[NGF INDICA] O que você deveria ler para o ENEM – AOS NERDS PADAWANS

Sim, como um site de fluxo variado, nós temos leitores das mais diversas faixas etárias.

E eu sei que você entrou aqui querendo saber daquele filme maneiro que vai sair mês que vem (aliás, não há um… 2017, convenhamos, é o ano dos grandes filmes).
Mas se você é adolescente, seus pais devem reclamar muito se você ficar horas na frente do computador. A essa altura, mexer no whatsapp é quase um crime hediondo e ter facebook ou instagram deve estar tipificado como um delito que eu preferiria nem comentar.

Então, para te dar um help, segue uma listinha NECESSÁRIA para você se sair bem na parte de Linguagens da sua prova de ENEM\Vestibular. Afinal, Nerd Geek Feelings também é cultura.

Mas não se acostume. Continuaremos a postar babaquices!
Mas vamos às literalidades que nos interessam:

A HORA DA ESTRELA

Autora: Clarice Lispector

O livro que tem como narrador Rodrigo S.M., alter ego da autora, e relata a vida da jovem nordestina Macabéa (uma referência não tão aberta quanto pode parecer ao povo citado no livro apócrifo dos Macabeus, na Bíblia), ao mesmo tempo em que reflete sobre os sonhos, as manias e os conflitos internos da garota.

Overrated (vou apanhar por dizer isso), mas muito bom e importante, não apenas para sua prova, mas para sua vida estudantil e cultural.

GRANDE SERTÃO: VEREDAS

Autor: Guimarães Rosa

Na obra, o ex-jagunço Riobaldo relata uma extensa e perturbadora narrativa, onde relembra suas lutas, seus medos e o amor reprimido por Diadorim. Mais um desses que sacode muito a questão do que é amor e identidade. Esse é o tipo de livro que deveria ser lido muito mais por uma questão lúdica, mas, infelizmente, ainda vivemos em uma sociedade que castiga alunos mandando-os para a biblioteca (sério… não faz sentido).

Aliás, junto com este, leia SAGARANA.

TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA

Autor: Lima Barreto

Por meio da vida tragicômica do major Quaresma, um nacionalista fanático, ingênuo e idealista, apresenta uma visão agressiva e realista, dotado de veemente crítica ao nacionalismo, representado na figura do protagonista Policarpo Quaresma.

Esse livro é bacana para quem gosta de línguas. A maior parte dos jovens abraça a causa de Poliquarpo. Contudo, uma segunda reflexão gera uma confusão mental profunda: Qual a língua nacional verdadeira, se o Brasil não é o Brasil realmente?

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS

Autor: Machado de Assis

A história é o relato de um narrador que resolve contar sua vida depois de morto. Dessa perspectiva, emite opiniões sem se preocupar com o julgamento que os vivos podem fazer dele.

A autor defunto, defunto autor, ou seja lá como prefere ser chamado, faz a coisa mais fantástica ao conseguir narrar sua existência de onde nunca ninguém jamais narrara. Coisas de Machado.

E ao vencedor, as batatas!

VIDAS SECAS

Autor: Graciliano Ramos

O romance narra a história da retirada de uma família de nordestinos por causa da seca. Através da narrativa, o leitor entra em contato com a paisagem hostil do sertão nordestino, onde quatro pessoas e uma cachorrinha se arrastam numa peregrinação silenciosa.

Encaixaria esse livro numa literatura marginal – não apenas regional. A crueza da coisa, a dureza dos dias e a rapidez com a qual se dão os fatos parece transportar o leitor para uma vida muito seca e desolada mesmo.

IRACEMA

Autor: José de Alencar

A narrativa estrutura-se em torno da história do amor de Martim por Iracema, onde a relação entre Martim e Iracema significa a união entre o branco colonizador e o índio.

Mas… preciso ser sincera. Embora eu ame José de Alencar – Lucíola é uma das minhas grandes paixões literárias, por exemplo -, céus, o que diabos é isso? Por que um professor em sã consciência manda que um aluno leia Iracema quando o pobre pré-púbere tem só 12 anos?

Foi a minha primeira, e talvez uma das poucas experiências traumáticas com leitura.

Relendo mais tarde pude identificar o problema: NENHUMA criança atura romantismo naquela medida sem bater cabeça.

MAS, se você é adolescente, você PRECISA aguentar.