[NA TRILHA] Viajando no tempo com Alan Silvestri

Provavelmente muito das trilhas sonoras que encantam gerações de fãs foram compostas por Alan Silvestri. Pode acontecer que muita gente curta alguns temas compostos pelo compositor, mas nem imagina quem seja o autor. É por isso – e comemorando os 30 anos do filme “De Volta Para o Futuro” – que hoje vamos seguir na trilha de Alan Silvestri.

alan-676x363

Alan Silvestri nasceu em Nova York no dia 26 de março de 1960. Desde cedo, pensava em ser guitarrista de jazz bebop. Depois de passar pela Berklee College of Music em Boston, desembarcou em Hollywood com apenas 22 anos e compôs a trilha sonora do filme “The Doberman Gang” (1972).

Foi compondo a trilha sonora da série de TV “CHIPs”(1979-1981) que Silvestri chamou a atenção de Robert Zemeckis e juntos começaram uma longa trajetória de parceria com “Tudo por Uma Esmeralda” (1984).

Depois vieram outros sucessos como “Uma Cilada Para Roger Rabbit” (1988) investindo num estilo de jazz; explorou tensão em filmes como “A Morte Lhe Cai Bem” (1992) e “Revelação” (2000). Em “Contato” (1997) criou uma trilha sonora maravilhosa e explorou a sensação de isolamento com o “Naufrago” (2000).

Também esteve com Robert Zemeckis nos três filmes feitos com a técnica de computação gráfica. Em “O Expresso Polar” (2004) com a música “Believe” foi indicado ao Oscar. Compôs as trilhas sonoras de “Beowulf” (2007) e “Os Fantasmas de Scrooge” (2009).

Em 1994, Alan Silvestri recebeu o Oscar de Melhor Trilha Sonora pelo filme “Forrest Gump – O Contador de Histórias” de Robert Zemeckis. A trilha deste filme é encantadora e um dos temas clássicos do cinema americano.

Em 1985, Alan Silvestri estava envolvido em mais um filme de Robert Zemeckis, “De Volta Para o Futuro”. O compositor criou um tema poderoso que pode ser apreciado sem mesmo estar se vendo o filme.

“De Volta Para o Futuro”, para mim, é um daqueles filmes de agonia. Explico. Você sabe que o protagonista do filme (ou protagonistas) tem que fazer algo em pouco tempo ou muito arriscado para escapar de alguma coisa, então você fica angustiado, na ponta da cadeira, esperando aquele sofrimento acabar. “De Volta Para o Futuro” tem algo desse tipo.

Para voltar para sua linha temporal, Marty McFly terá que contar com a ajuda do Doc Brow de 1955 para que a máquina do tempo tenha a energia necessária para realizar o processo da viagem. Então os dois se preparam para que o raio a atingir o histórico relógio de Hill Valley seja usado para que o DeLorean dê o salto temporal com sucesso. É aí que começa a agonia.

Começa a ventar muito forte. Poucos segundos restam para o raio cair. Um galho desliga os cabos que ligam o relógio ao gancho que levará a energia do raio a máquina do tempo. Doc Brow sobe na torre do relógio. Liga os cabos. Volta ao chão. McFly vem confiante conduzindo a máquina do tempo e o tempo passando, passando, faltam segundos e aí tudo é agonia, nada parece que vai dar certo e “CABRUM”! Dá tudo certo.  Mas antes é tudo uma agonia só que nos deixa roendo as unhas e tudo fica ainda mais elevado a enésima potência com a trilha composta por Silvestri. Ah, pare de ler isso e curte logo a cena:

Outro feito de Alan Silvestri foi realizado na sua participação no Universo Cinematográfico da Marvel. O compositor criou a trilha sonora o filme “Capitão América: O Primeiro Vingador” de Joe Johnston (2011). Onde está a contribuição de Silvestri? Foi ter criado um tema marcante. Os outros filmes da Marvel Studios não haviam conseguido criar um tema que marcasse os personagens como John Williams fez com “Superman” em 1978. Não quero dizer aqui que o tema composto por Silvestri para o Capitão América esteja no nível de popularidade do Superman, mas ele é marcante dentro do universo de filmes da Marvel. Escute o tema criado:

Outros filmes antes desse já haviam ganhado a telona, mas não fixaram um tema que fosse a “cara” do personagem (AC/DC em “O Homem de Ferro” não vale). Apesar de apreciar bastante a trilha sonora composta por Patrick Doyle em “Thor” (2011), o tema não retorna em “Thor – O Mundo Sombrio” (2013). A trilha composta por Silvestri marca o Capitão America tanto que ela é usada por Henry Jackman em “Capitão América: O Soldado Invernal” (onde um novo tema é adicionado ao estilo do filme) e também nos dois filmes dos Vingadores.

Alias, o tema dos Vingadores também é uma criação de Alan Silvestri:

Em “Vingadores: Era de Ultron”, a trilha sonora foi composta por Brian Tyler e Danny Elfman que além de usarem o tema composto por Silvestri ainda trouxeram o tema do Capitão América para o filme.

O legado de Alan Silvestri é inegável na Marvel Studios. Criou dois temas que marcaram sua passagem pelas produções do estúdio.

Alan Silvestri tem uma contribuição sem igual aos filmes de Robert Zemeckis, mas compôs trilhas inesquecíveis em mais de cem filmes de diferentes gêneros. Podemos citar alguns como “Predador”, “Judge Dredd”, “O Segredo do Abismo”, “O Retorno da Múmia”, “O Pai da Noiva” Partes 1 e 2, “Lilo e Stitch”, Esquadrao Classe A”, “Os Croods”.

Mais recentemente, Silvestri foi o compositor da trilha sonora da minissérie “Cosmos: A Spacetime Odyssey” e seus últimos trabalhos foram “Uma Noite no Museu 3” e “A Travessia”.

Voce pode conferir a discografia completa de Alan Silvestri aqui.

Agora o próprio conduzindo a apresentação do tema do filme “De Volta Para o Futuro”:

FONTE: alansilvestri.com