[LIVRO/SÉRIES] As profecias de Game of Thrones

Game of Thrones

ATENÇÃO: SPOILERS até o final da 3ª temporada ou meados do 3º livro

O mundo de Game of Thrones (ou As Crônicas de Gelo e Fogo, para quem acompanha pelos livros) é marcado por muitos mistérios, desde os Caminhantes Brancos até os dragões, para não falar nada dos inúmeros segredos, intrigas e traições. Mas existe um elemento na série que liga o sobrenatural às tramas maquiavélicas e reviravoltas dramáticas que a caracterizam: as profecias. Afinal, como em toda boa obra de fantasia, o autor não podia deixar de lançar mão desse recurso intrigante, que coloca a magia a serviço da narrativa e do suspense, resultando em algo genial se bem utilizado (o que certamente tem sido o caso aqui).

A série de TV tem sido bastante modesta em termos de profecias, mas os livros são muito mais generosos, razão pela qual a maioria das previsões aqui apresentadas vem deles. Para não estragar a festa de quem assiste na HBO (ou consegue os episódios por meios alternativos…) eu vou procurar me ater ao que acontece até a 3ª temporada – o que, no caso de profecias, se refere não só à época em que elas aparecem na história, quanto aos eventos que elas preveem.

The Girl on Fire

A Garota em Chamas

Uma das principais fontes de profecias é Melisandre, a feiticeira vermelha da corte de Stannis Baratheon. Em diversos momentos ela vê no fogo imagens concedidas pelo deus R’hllor (ou ao menos é o que ela acredita), que revelam coisas sobre o presente, passado ou futuro. Em uma passagem do terceiro livro, por exemplo, ela visualiza um grupo de homens de preto no alto de uma colina, rodeados por um anel de tochas, com figuras sombrias aproximando-se ameaçadoramente. Quem viu o final da segunda temporada (ou se lembra do ataque ao Punho dos Primeiros Homens no livro) sabe muito bem do que se trata. Em outro momento, ela diz ter antevisto a morte de Renly Baratheon, o que na verdade não é tão surpreendente assim, uma vez que ela mesma é responsável por este evento.

Mas a principal profecia à qual ela se dedica foi feita não por ela, mas por algum outro sacerdote de sua ordem há cerca de 5.000 anos. Ela faz referência à história de Azor Ahai, um herói legendário que usou uma espada de fogo chamada Luminífera (Lightbringer) para derrotar as forças das trevas durante a Longa Noite que durou gerações. Pois diz a profecia que, após um longo verão, “quando a estrela vermelha sangrar e a escuridão se aproximar”, ele renascerá “entre fumaça e sal”, para despertar os dragões a partir da pedra, e novamente empunhará Luminífera. Melisandre acredita piamente que a pessoa prometida é Stannis (com a fumaça e o sal referindo-se às chaminés de Pedra do Dragão e o mar que circunda este castelo), e inclusive criou para ele uma espada brilhante. Entretanto, para mim, quem cumpriu essa profecia foi a nossa querida Khaleesi, Daenerys Targaryen, no final espetacular da primeira temporada (e do primeiro livro), ao “renascer” das cinzas da pira funerária que ela fez para Khal Drogo, sob o cometa vermelho, entre a fumaça da pira e o sal de suas lágrimas, efetivamente despertando dragões a partir dos ovos em sua posse (que estavam petrificados). Isso, claro, só reforça a tese de que ela será uma das personagens mais cruciais da série…

Azor Ahai

Acima: Azor Ahai

Outro grande “profeta” que foi introduzido na terceira temporada da série de TV, apesar de já ter aparecido no segundo livro, é Jojen Reed, o misterioso rapaz do pântano que, junto com sua irmã Meera, passa a acompanhar Bran Stark e companhia quando eles fogem de Winterfell. Jojen tem a “visão verde”, um dom raro e característico dos primeiros habitantes de Westeros, que lhe permite ver o futuro em seus sonhos. No livro, ele vai para Winterfell muito antes do ataque de Theon, e alerta Bran para este acontecimento, dizendo ter sonhado que “o mar estava inundando Winterfell. (…) A água salgada fluiu por sobre as muralhas e preencheu o castelo. Homens afogados flutuavam no pátio.” Ele inclusive nomeia várias pessoas que ele viu mortas. Mais tarde, Theon e seu pequeno grupo de “homens de ferro” (como sabemos, um povo fortemente associado com o mar) escalam as muralhas do castelo e conseguem tomá-lo por dentro, matando várias pessoas, inclusive as que Jojen havia visto. Vale lembrar que os homens de ferro veneram o Deus Afogado, e seus rituais religiosos envolvem afogamento no mar.

Outro sonho muito intrigante que ele teve foi sobre um lobo alado, preso ao chão com correntes de pedra. Um corvo de três olhos tentava quebrar as correntes com seu bico, mas não conseguia. Isso é bem interessante se associado aos sonhos que Bran tinha com o tal corvo de três olhos, que (na versão do livro) lhe dizia para voar. Ou seja: Bran tem um grande poder, mas ainda está “preso” e incapaz de usá-lo. Nós vimos uma pequena demonstração deste poder na terceira temporada, com a capacidade que o menino inválido tem para entrar na cabeça de seu lobo, e até mesmo de Hodor. Claro, o misterioso corvo ainda está tentando libertar todo o potencial de Bran… Digamos apenas que o futuro reserva grandes coisas para esse rapaz.

three-eyed crow

Abra sua meeeeente…

Um personagem bastante curioso, que infelizmente ficou de fora da TV, é Cara-Malhada (Patchface), o bobo da corte de Stannis Baratheon. Ele é um sujeito de origens misteriosas, que ficou ruim das ideias após sobreviver miraculosamente a um naufrágio – ele não consegue manter um diálogo normal, apenas dança e canta umas rimas meio sinistras, motivo pelo qual foi colocado no “emprego” que tem. Seus versos favoritos são: “As sombras vieram dançar, meu lorde, dançar, meu lorde, dançar, meu lorde… As sombras vieram para ficar, meu lorde, ficar, meu lorde, ficar, meu lorde.” Dado o local onde ele “trabalha”, é bem possível que isso se refira às sombras invocadas por Melisandre, indicando que o bobo tem certa capacidade de adivinhação.

Mas a prova cabal vem de outra canção dele: “Sangue de tolo, sangue de rei, sangue na coxa da donzela, mas correntes para os convidados e correntes para o noivo, ai ai ai.” (Eu sempre imaginei a versão em inglês ao som de Soft Kitty: “Fool’s blood, king’s blood, blood on the maiden’s thigh, but chains for the guests and chains for the bridegroom, aye aye aye.”) Para quem já viu o polêmico episódio 9 da terceira temporada (“The Rains of Castamere”), a referência é óbvia: o infame Casamento Vermelho, no qual o rei Robb morre (além de um bobo-da-corte que é filho bastardo de Lorde Frey, na versão literária) logo após a consumação do casamento em questão, e o noivo (Edmure Frey), bem como os poucos convidados sobreviventes, terminam aprisionados.

Esses exemplos são só uma pequena amostra das profecias que deixam os leitores das Crônicas de Gelo e Fogo malucos de tanto especular – as minhas favoritas, aliás, são as que envolvem a nossa musa platinada, Daenerys Nascida da Tormenta, principalmente as que ela vê dentro da torre dos Imortais (Undying) em Qarth, no que é em minha opinião uma cena infinitamente mais épica do que a mostrada na série (tão épica, aliás, que provavelmente foi descartada pra não estourar ainda mais o orçamento). Quem sabe eu fale mais sobre essa e outras profecias mais “spoilerísticas” em um post futuro…

Fonte: www.westeros.org

Curta nossa página no [Facebook] e nos siga no [Twitter] para mais bugigangas do universo Nerd Geek!

One thought on “[LIVRO/SÉRIES] As profecias de Game of Thrones

Comments are closed.