[LIVRO] Todos Os Belos Cavalos, de Cormac McCarthy (Resenha)

Poucas são as pessoas que têm o privilégio de já saber o que querem da vida ainda quando jovens. John Grady Cole passou boa parte de seu tempo tentando fugir de seu “destino” de ser mais um rancheiro texano e seguir a herança da família. Havia tanto a explorar, que sentido faria lamber os pés em lugar nenhum, como os que vieram antes dele fizeram? Sua mãe entendia isso e foi embora. Sem o levar. O que no começo parecia aceitável se torna impossível, e o obriga a buscar por mais. No meio do caminho, amor e perdas vão se misturando e moldando a personalidade do garoto texano.

John Cole nos mostra o quanto a vida pode ser amarga e, ainda assim, exibir seus lados mais gentis, mesmo na adolescência, onde as emoções ganham proporções extremas. Todos Os Belos Cavalos não trata apenas da descoberta de Cole e seus amigos de um país mais vasto do que se supunha. O plano de fundo serve apenas para amenizar e dar um ar mais histórico a todo o contexto psicológico que os personagens vivem: seus conflitos pessoais e o anseio por algo mais do que viver sem perspectivas , esperando que vidas passadas acabem por se repetir através das suas.

Quem não aprecia a história americana talvez não ache este livro tão interessante, mas é difícil não se identificar com um ou outro personagem em determinado momento. Por que, a bem da verdade, qualquer um de nós poderia estar ali.


Alfaguara

Brochura

Tradução: Marcos Santarrita

15.00 x 23.40 cm

288 páginas

Compre aqui


 


Da Redatora

Midian Araújo é uma nerd pernambucana que ama gatos, aprecia o obscuro e algumas outras coisas pouco usuais.