[LIVRO] Por que você ainda não leu Como treinar seu dragão?…e 10 motivos para fazer isso.

Salutations, meus nerds sedutores e meu amigo Leandro!

Pergunta básica para começar: Você já leu a série Como treinar seu dragão? “Não?” Algum motivo aceitável para isso? “É uma série pra crianças, né?! Sou um adulto!” Não, amigo, esse não é um motivo aceitável, podemos ser melhores que isso.

como-treinar-o-seu-dragão1

Vamos considerá-lo “livro pra crianças” e nos perguntar: desde quando isso é ruim?

Alice no País das Maravilhas é uma das obras mais loucas e engraçadas que qualquer ser lerá na vida e vou só citar Nárnia aqui e deixar que ela purifique [dá-lhe Aslan]. Um bom conhecedor de literatura sabe que não tem essa de livro pra crianças, livro pra meninas, livro pra tarados [ok, talvez essa tenha mesmo]…o que existe é livro BOM que pode ser lido por qualquer pessoa que preze esta nobre atividade pouco apreciada por zumbis.

Então, não se deixe enganar pela seita do marketing que põe rótulos nos livros para ajudar os pais perdidos que não sabem escolher presente e vem comigo tomar sorvete de morango! Dar-te-ei 10 motivos para começar a leitura dessa série agora. [e não use o filme como desculpa também. Lá conta outra história e te garanto que as dos livros são ALTAMENTE MAIS LEGAIS LEVEL TORRE DE BABEL]

Certo. São 11 livros + 1 que é uma espécie de conto do Banguela. O 12º e o último da série ainda será lançado. [Tensão define!]

Encontre o erro nesta imagem!

1 Engraçado
Vivemos em uma realidade estressante. Esse negócio de trabalhar, ser assaltado, decidir o que postar no facebook dá trabalho. Temos que lidar com muitas pessoas, com essas redes sociais então, sempre terá aquele cavalheiro ou aquela donzela chata. Se antes, para vir até nós ele ou ela teria que pegar um ônibus, trem, canoa ou vassoura, agora só precisa ter internet e voalá, seus dias de amigo terrorista começaram. [isso não é uma indireta pra você, Greg].

Com tudo isso, umas boas risadas sempre caem bem. E nessa série é o que você vai encontrar de certeza EM TODOS OS LIVROS. Mesmo quando as personagens vivem situações tensas a Cressida Cowell [autora] dá um jeito de fazer graça. E de verdade. No decorrer aqui do texto, postarei alguns trechos e você verá por si mesmo 😉

2 Soluço Spantosicus Strondus III
Cara, que nome legal! Sério. [e eu me chamo Páscoa, sei comé.]

O personagem principal. Um menino de 11 anos [no início da história], magricela, ruivo [está na moda personagens ruivos, né?!], no geral, um tipo comum atormentado pelo primo musculoso Melequento e pelos outros colegas da Tribo, ninguém dá nada por ele. Um típico nerd haha E ele é o herói. Por quê?

Bem, Cressida fez algo muito legal, uma história sobre vikings com um herói franzino nerd! Soluço é inteligente, seus planos “diabolicamente astutos, porém desesperados” são o máximo [e divertidos] e ele sempre consegue se safar, é nobre, questionador e uma das raridades que fala dragonês [idioma proibido]. Ponto extra por ele não ser um protagonista perfeito [não só falando de aparência], Soluço também tem suas dúvidas e crises [sem ser mimimizento], causa problemas e reluta em ser um herói.

Não tenho como não gostar de um cara assim e não querer ler uma história sobre ele. [até porque alguém que fala dragonês merece respeito. Deviam tê-lo chamado para resolver as tretas lá com o Smaug!].

3 Camicazi e Perna-de-peixe
Melhores amigos de Soluço e um espetáculo a parte.

Camicazi é a menina hiperativa louca animada muito louca, herdeira das Ladras do Pântano o que significa: “Nós, Ladras do Pântano, não temos moral alguma”. Preparem-se para amá-la, caríssimos nerds! 

Camicazi

Uma garota viking é sempre uma visão digna!

“Camicazi era uma Ladra do Pântano loura e muito pequena, e seus cabelos eram tão intocados por mãos humanas como algumas partes da Floresta Amazônica.
Apesar de seu tamanho, Camicazi era ESPECIALMENTE talentosa em bater carteiras, e estava carregando cinco punhais Hooligans, três capacetes Hooligans de tamanhos variados e uma das cuecas peludas de Stoico, o Imenso.
– Não consigo PENSAR em como você a roubou sem que ele percebesse – ia dizendo Soluço, com relutante admiração. Stoico, o Imenso era pai de Soluço, um clássico viking do tradicional tipo “grande e aterrorizante”. – Ele vai ficar furioso quando descobrir…
– Ah foi moleza – gabou-se Camicazi, girando descuidadamente um dos punhais. (Se Camicazi tinha um defeito, era a tendência a ser um pouco convencida.) – Ele não consegue ver nada debaixo daquela barba. Eu poderia ter tirado também sua camisa e suas calças se quisesse.” [livro 6: Guia do Herói para vencer dragões mortais, p. 39]

Perna-de-peixe é da mesma tribo de Soluço, abandonado quando bebê desconhece sua história e família, vive sozinho, tendo por amigos apenas Soluço e Camicazi [esta a partir do 3º livro que é quando ela aparece, aliás]. Também franzino, é ironicamente engraçado e extremamente leal e companheiro, sonha em ser bardo [kk].

“- Eu simplesmente não acredito! – Perna-de-peixe gemeu, tremendo violentamente. – Parece um tipo de PESADELO. Fico pensando que estamos a salvo, e depois parece que NÃO, estamos em OUTRA situação de risco de morte, pior ainda do que aquela da qual acabamos de escapar.
[…]
– Quer dizer – continuou Perna-de-peixe -, até agora, hoje, nós escapamos por muito pouco de ser: 1. Destroçados por Dragões Caveiras. 2. Comidos por párias canibais. 3. Carbonizados a bordo de um navio. 4. Afogados no fundo do oceano… E agora, aqui estamos nós, aprisionados numa caverna submarina e inacessível, enfrentando a MORTE LENTA POR INANIÇÃO… Hoje foi mesmo um dia MUITO RUIM.” (livro 2: Como ser um pirata, p. 171-172)

4 Vikings
Nada de gregos. Nem troianos. Nem australianos. Vikings!

1459681_499396906841061_246143795_n

Certo, penso que só essa palavrinha já é o suficiente. Se você precisa de mais alguma coisa que explique porque ler uma história com vikings, eu não te entendo. Mesmo. [te aceito, mas não entendo]. A autora criou várias tribos que aparecem aos poucos a cada livro: os Hooligans, as Ladras do Pântano, os Párias, os Cara de Brutamontes, os Lava-loucos, os Cabeças-ocas, os Histéricos [meus favoritos], os Criminosos Feiosos… E as referências a Thor, Odin, Loki e Freya são impagáveis! Coisas como “PELAS COXAS PELUDAS DO GRANDE DEUS THOR!”

“Vocês sem PERDERAM? – berrou Bocão, sem acreditar no que ouvia. – Vikings não se PERDEM. E como vocês poderiam abordar um navio romano por engano? Um navio romano não se parece em nada com um barco de pescadores pacíficos!
– É, eu sei, senhor – gaguejou Perna-de-peixe. – Mas pensamos que eles fossem Dragões-tubarões, o senhor veja…
– E ONDE – Bocão interrompeu Perna-de-peixe, a voz perigosamente calma -, ONDE está seu barco?
– Ah, bem, senhor – disse Perna-de-peixe, sentindo-se miserável – O barco meio que afundou, senhor.
– O BARCO MEIO QUE AFUNDOU? – rugiu Bocão. – VOCÊS SE DIZEM VIKINGS E MEIO QUE AFUNDAM O PRÓPRIO BARCO, NUM DIA PERFEITAMENTE CALMO, A DOIS METROS DA PRÓPRIA ILHA? QUE ESPÉCIE DE HOOLIGANS SÃO VOCÊS, AFINAL? VOCÊS NÃO CONSEGUEM CONSTRUIR BARCOS, VOCÊS NÃO CONSEGUEM TREINAR DRAGÕES, PERNA-DE-PEIXE NÃO SABE NEM NADAR…” [livro 3: Como falar dragonês, p. 77-78]

5 Banguela
O dragão extremamente desobediente e extraordinariamente pequeno de Soluço. É gago, só tem um dente e ainda perde o mesmo depois [#sacanagem]. A melhor COISA perdida do Rei, segundo o próprio. Soluço sofre para conquistar sua lealdade, mas acaba conseguindo [o que não muda a personalidade egocêntrica e rebelde de Banguela, claro – gente, isso é perfeição! Se o Banguela mudasse completamente, a série não teria a mesma graça]. Como bem disse minha amiga Carla “O que seria dos livros sem Banguela????”

“- Banguela p-p-pode morder ele? – perguntou o dragãozinho, esperançoso. – Ou isso seria grosseiro? Tem problema ser grosseiro com uma pessoa grosseira? Ou isso n-n-não conta?
-Sim, isso seria grosseiro, Banguela, então você não pode mordê-lo, embora eu mesmo esteja um pouco tentado, tenho que confessar – admitiu Soluço” [livro 11: Como trair o herói de um dragão, p. 121-122]

“- Banguela, você vem ou fica?
– Banguela vai – disse Banguela com grandiosidade, apontando a asa para Soluço – porque você precisa da minha a-a-ajuda. O que você faria sem mim? Banguela p-p-pode usar um tapa-olho também?
– Você não precisa usar tapa-olho, Banguela. Ninguém vai ver você.
– Mas é tão l-l-legal…” [livro 10: Como roubar a jóia do dragão, p. 78-79]

Ele tem razão. Tapa-olhos são legais!

6 Heroísmo
Uma das temáticas. Se tornar herói do jeito mais difícil. Isso, senhoras e senhores que põem a mão no chão, é…[complete com a palavra que achar mais legal. A minha é cesura!]

A mensagem é sutil, mas, de vez quando, frases cabeça como:

“Às vezes a coisa mais corajosa que um Herói precisa fazer não é combater monstros e enganar a morte e as bruxas. Mas sim enfrentar as consequências de seus próprios atos.” [livro 10: Como roubar a jóia do dragão, p. 78]

“Um Herói não pode triunfar o tempo todo.
Às vezes ele será derrotado, e a maneira como vai encarar a derrota é um teste de caráter.” [livro 9: Como roubar a espada de um dragão]

7 Ilustrações
Os livros são repletos delas. Em preto e branco. Feitas de modo a se ter a ideia de que o próprio Soluço as desenhou [Cressida diz-se apenas tradutora das memórias de Soluço encontradas por aí]. São perfeitas para o tipo de história contada e, quase sempre, usadas como elemento cômico.

56

Aliás, o trabalho da editora Intrínseca está muito bom [você sabe que com frequência as edições brasileiras são uma porcaria cof cof Harry Potter, mas, nesse caso, não – pausa para glorificar o/]. As capas são lindas, a tradução é boa, o papel é de qualidade e os livros são muito bonitos!

8 Construção da narrativa
História articuladíssima. No início, despretensiosa. Mas, a medida que avança, percebemos a gravidade das coisas. Em cada livro, quase, Soluço encontra um item das 10 Coisas Perdidas do Rei, há uma Maldição, uma Profecia, uma Bruxa, um arquiinimigo, um pudim de tapioca.. [opa, acho que não].

Enfim, os elementos e explicações aparecem aos poucos, bem interligados e o nível de tensão vai aumentando. [a porra ficou séria!]

“As Coisas seriam guardadas por terríveis monstros e dragões. Somente um verdadeiro Herói poderia reuni-las, pôr fim à Maldição e tornar-se o próximo Rei do Oeste Mais Selvagem.
Na improvável hipótese de que um dia houvesse um Herói grandioso o bastante para completar a Tarefa Impossível, esse Herói seria coroado – mas somente no décimo segundo dia do Juízo Final, conhecido como Juízo Final de Yule, que acontece uma vez por ano e apenas na ilha do Amanhã – aos pés do Trono em que o filho de Barbadura foi assassinado.”
[livro 11: Como trair o herói de um dragão, p. 14-15]

[Quando digo que a situação fica mais tensa… Li esse livro todo no ritmo do AVC.]

9 Dragões
Só esse elemento já eleva o nível de descolada de qualquer história e já desperta nossa criança maluca interior!

Cressida pôs vários tipos de dragões, inventou espécies próprias, nomes random. A medida que vai aparecendo um novo, Cressida coloca uma espécie de ficha “Os dragões vikings e seus ovos” apresentando-o e dizendo seus pontos fortes e fracos, vamos dizer assim. Os dragões tem o seu idioma – o dragonês – e tem muitas espécies legais na história, então é um verdadeiro nicho de criatividade!

Eis o Sombra Mortal!

“Tratava-se de um Sombra Mortal de Três Cabeças, e os Sombras Mortais lançavam tanto relâmpagos quanto fogo. Era de um verde-mar deslumbrante quando não estava camuflado e tinha pelo menos três metros de altura e nove de comprimento. Lá no alto, nas seis bochechas de suas três cabeças, podia-se ver o pálido tom de amarelo que indicava que o animal possuía dutos de veneno.
Como se uma criatura poderosa assim precisasse de veneno, pensou Soluço, levemente histérico. Isso já é exagero.
– Uau – ofegou Mosca da Tempestade, batendo os cílios travessos e jogando charme par o Sombra Mortal. – Você é uma criatura magnífica, hein?
Soluço tentava pensar em tudo que sabia de Sombras Mortais, mas só o que lhe ocorria naquele momento era:
Ó céus, ele parece zangado.” [livro 10: Como pegar a jóia do dragão, p. 231]

10 Menos de 2h
Certo. Se mesmo com esses motivos, você pensou “Ah, legal, mas tenho tantos outros livros para ler, tão pouco tempo”. Aqui vai o meu fatality para você. Cada livro leva menos de 2h para ler!

Substitua dias por horas e essa é a nossa realidade.

E isso considerando ainda que você interrompa a leitura para comer, lavar a louça ou meditar sobre a finitude existencial. Sério. Uma vez que comece a ler, mal se dá conta e já terminou. Peguei para ler, em 2013, durante o período do Natal, no sítio de meu pai, levei só uns 5 de toda a série e me arrependi amargamente, pois quando vi já estava sem livro [como se não bastasse estar sem internet]. O jeito foi ficar dormindo mesmo [é, até que não foi tão ruim, afinal!]

Enfim, meus queridos e minhas belas, procurem a livraria mais próxima ou cliquem no Submarino [comprei meu box por lá baratíssimo] ou, ainda, vejam um amigo que possa emprestar os livros, mas não deixem de rir e aprender com essa série maravilhosa! Minha amiga Carla [a mesma de linhas atrás] disse depois que se arrependeu de não ter deixado eu viciá-la antes nessa história. [é uma das coisas mais fofas que já ouvi]

Até a próxima com mais sorvete de morango!

“Inclino-me a afirmar quase como regra que uma história para crianças de que só as crianças gostam é uma história ruim. As boas permanecem.” C. S. Lewis

Todos os livros da série “Como Treinar Seu Dragão” foram publicados no Brasil pela editora Intrínseca. Saiba onde comprá-los no site da editora.

3 thoughts on “[LIVRO] Por que você ainda não leu Como treinar seu dragão?…e 10 motivos para fazer isso.

  1. Nossa, eu nunca tinha parado para pensar nessa série – e olha que eu tenho um fraco por coisas para crianças que são mais do que o olho pode ver. Obrigado pela dica, fico te devendo um churros… não, espera, como eu vou gastar comprando os livros TU me deve um churros. De morango. Obrigado.

  2. Eu amo essa serie e é minha serie preferida e eu nunca encontrei nunca ninguem que já leu essa serie (Oq me leva a conversar sozinha). Mas quando é que vai sair o ultimo volume: “Como combater a fúria do dragão”? Eu estou cansada de procurar em TODOS OS LUGARES!!!!!! De tanto futricar aqui, ali e aculá eu acabei descobrindo que o ultimo volume saiu no dia: “08/09/2015” nos estados unidos ou na inglaterra, sei lá. Eu n aguento ver aquelas crianças americanas saboreando e se deliciando com o ultimo livro, passando vontade em mim e eu, fico aki chupando dedo!!!!

Comments are closed.