[LIVRO] Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman (resenha)

Se você procura algo leve para sua mente. Quero te recomendar Mitologia Nórdica de Neil Gaiman. Uma excelente porta de entrada para o mundo nórdico, inclusive para quem ainda não conhece o autor (se você nunca leu algo escrito por Gaiman, pare agora o que está fazendo e vá começar já!). 

Agora, se você já se envolveu com alguma das obras do autor, irá se deliciar com o fruto desse trabalho, e possivelmente poderá se pegar ao longo da leitura relembrando outros personagens criados pelo inglês (Shadow e Wednesday visitavam meus pensamentos frequentemente).

“Ele está lá agora. Surt carrega uma espada flamejante, e, para ele, a lava borbulhante e a névoa congelante são como um.”

No prefácio o autor nos explica seu fascínio e amor pelo mundo nórdico. Ele tentou manter os mitos os mais próximos possível de suas versões originais. O quadro que o autor conseguiu pintar foi algo excepcional. E com seu dom de escrever e contar histórias, Gaiman acrescentou ainda mais sabor a esses contos. Tudo de uma forma leve e, em certos momentos, cômica (a escrita leve dessa obra me lembrou de outro livro muito agradável de ler, O Hobbit de J.R.R. Tolkien).

É claro – concordou Loki. – Você pode cortar minha cabeça, lógico. Mas vou apelar para o poderoso Odin, dizendo o seguinte: se você cortar qualquer parte do meu pescoço, estará violando os termos do acordo, que prometia minha cabeça a você, e apenas a cabeça.”

Os quinze contos ao longo do livro permeiam por vários tons, transitando, hora em uma temática de aventura e heroísmo, hora partindo para o sombrio e aterrador. O autor nos mostra as relações conturbadas entre deuses, gigantes, anões e homens. Os deuses, em certos momentos, agem como meros mortais. Depravados e com grandes poderes., eles traem e matam a seu bel-prazer, satisfazendo ego e orgulho. Neil nos revela o inicio e o fim de tudo no mundo nórdico.

“— Você não vai gostar – retrucou Heimdall.

— Eu vou, sim! Todos nós vamos! – exclamou Thor.

— Bem, acho que devíamos vestir Thor de noiva. Colocamos nele o colar Brisingamen e uma coroa nupcial. Colocamos enchimento no vestido, para que ele pareça uma mulher. Cobrimos seu rosto com um véu. Enfeitamos Thor com adornos, como fazem as mulheres, e o cobrimos de joias…

— Não gostei nada disso! – exclamou Thor…”

O inglês te instiga a sempre querer mais de Yggdrasil e seus nove mundos. Odin, Thor e Loki participam praticamente de quase todas as histórias. O pai da mentira é uma constante em todas elas, ora mais ora menos, seja como herói ou vilão (sendo essa segunda peculiaridade muito mais frequente).

“É só então que Sigyn se afasta de Loki. Ela esvazia a tigela, e, enquanto está longe, o veneno da serpente cai no rosto e nos olhos de Loki. Ele tem convulsões, se agita, se move violentamente, se sacode, se torce e se retorce, a ponto de fazer a terra toda tremer. Quando isso acontece, nós aqui em Midgard, chamamos de terremoto.”

Mitologia Nórdica é um livro cheio de lendas que traz grandes feitos (bons e ruins) dos deuses, e que merece sua atenção. E como o próprio autor incentiva, leia-os e se aproprie desses mitos para que você, em uma noite gelada de inverno, ou em um pôr-do-sol sem fim, conte a seus amigos como Thor teve seu martelo roubado, ou como Odin obteve o hidromel da poesia.


Intrínseca

Tradução:  Edmundo Barreiros

Capa dura

21,6 x 13,8 x 2 cm

288 páginas

Onde comprar:

Amazon

Livraria Cultura

Submarino