[LIVRO] Floresta dos Corvos: conceito bom, execução horrorosa.

floresta-dos-corvos-andrew-peters-intrinseca-featNormalmente, quando leio um livro, sempre procuro os melhores aspectos da obra para passar para outros, mas nesse caso vai ser diferente, pois não há nada que me agrade nesse livro. Ele tem um conceito bom, mas muito mal trabalhado.

Sinopse:

“Ark vive no alto das últimas árvores que restam no mundo. E, já que mesmo em um país suspenso como Arborium, alguém precisa desentupir os canos. Ele tem uma profissão: aprendiz de encanador. É enquanto está ocupado com o vaso sanitário de um político poderoso que o garoto se torna testemunha de algo que vai mudar sua vida. Sem querer, Ark entreouve a conversa de conspiradores que pretendem destruir seu país.

Uma perversa enviada de Maw, o império inimigo, feito de vidro e metal, planeja tomar as ricas árvores de Arborium e transformá-las em matéria-prima, fazendo de seu povo, os pacíficos dendrianos, nada mais que escravos de seu plano maligno.

Flagrado, Ark precisa fugir para não ser morto, e terá de percorrer o gigantesco arvoredo e chegar à sombria Floresta dos Corvos, onde talvez esteja sua única chance de proteger seus amigos e seu lar.”

Os motivos que me levaram a comprar esse livro foram: uma capa chamativa, uma boa sinopse, e ele estava na promoção. Quando comecei a ler o livro reparei que sua escrita era mais rustica, talvez devido ao fato de que o autor, Andrew Peters, é britânico. Mas eu não ia deixar isso atrapalhar minha leitura. Pouco tempo depois me deparei com outro problema: o protagonista era muito ruim e a trama era ainda pior.

Ark é aprendiz de encanador, descobre uma conspiração para matar o rei e decide salva-lo enquanto é caçado pelos conspiradores. Isso parece legal, mas quando você se toca de que Ark é um magrelo raquítico com uma habilidade muito estranha, inexplicada e inútil; o Rei é burro e um péssimo governante; e os aliados de Ark são um cara que quase nunca havia conversado com ele, mas decide ajudar porque aparentemente não tinha nada melhor para fazer; e uma estranha menina que parece com o Slenderman, e vive nas raízes da árvore em que seu país fica, você vê que são mais inúteis que um saco de batatas, acho que exagerei, me desculpem batatas. Até o antagonista secundário, que pela descrição deve ser muito parecido com o Rolandinho do Pipocando, é mais interessante que o protagonista.

A leitura é chata e cansativa, só tem ação no final e é decepcionante. Você tem que ser um leitor bem masoquista pra ler esse livro. Desafio você, que está lendo o post, a ler Floresta dos Corvos e discordar de mim.


floresta-dos-corvos-andrew-peters-intrinsecaIntrínseca

Brochura

384 páginas

20,8 x 14,2 x 2 cm

Compre aqui.

Deixe uma resposta