[LIVRO] Esperando Godot, de Samuel Beckett (Resenha)

Esperar Godot não é tarefa fácil. Os amigos de décadas, e talvez em sua última década, já não sabem há quanto esperam, ou porque mesmo esperam essa tal pessoa. Vladimir e Estragon, Didi e Gogo um para o outro desde que se lembram, permanecem dia após dia debaixo de uma árvore seca.

O que os resta fazer se não matar o tempo? Conversar já é tão sem graça para Vladimir. 50 anos juntos rendeu assunto demais até. Vladimir quer ir embora, para longe dali e de Estragon, mas já são amigos há tempo demais… Dorme, maldiz sua botina, pensa em buscar prazer usando a árvore mas está sem cinto. Amanhã talvez. Já é noite e Godot não veio.

Depois de eu terminar de ler Esperando Godot, o nosso Editor Chefe, o Rodrigo Ferreira, me perguntou o que eu havia achado do clássico. Bem, talvez eu não tenha bagagem cultural o bastante para esse clássico em questão. Não é uma história ruim. É provável até que eu apenas não tenha ouvido bem o silêncio das entrelinhas.

Os amigos que esperam, ao que parece eternamente, estão exaustos, mas não da espera em si. Rever as memórias de uma vida, as amarguras, e até sua amizade é cansativo. Cansou a eles e cansou a mim. Certos pensamentos nos remetem a pensamentos próprios. Talvez eu só não tenha gostado do que vi quando olhei para dentro em certo ângulo. Também esperei Godot debaixo daquela árvore, vendo algumas pessoas estranhas passarem.

Mas quem espera alcança algo, não é?


Companhia das Letras

Tradução: Fabio de Souza Andrade

Capa dura

21,6 x 14,8 x 2 cm

192 páginas

Onde comprar:

Amazon

Livraria Cultura

Submarino

Deixe uma resposta