[LIVRO] Assustadoramente apaixonante – A Garota-Corvo, um thriller que irá mexer com seu psicológico

Perturbador, uma palavra forte para se definir algo, mas a certa no caso de A Garota-Corvo. Um thriller psicológico com uma trama arrepiante, cheia de reviravoltas, violência, segredos e surpresas.

Criado pela dupla Jerker Eriksson e Hakan Axlander Sundquist, sob o pseudônimo de Erick Axl Sound, a trama faz-nos deparar com toda a violência e depravação humana. Este é um livro feito pra te chocar e te revoltar com a maldade do ser humano.

Com uma escrita fluida e instigante, e com uma boa dose de tensão e adrenalina, sua trama é irresistível e envolvente. Erick Axl Sund nos convida a passear pelos mistérios de sua narrativa, e adentrar nas sub-tramas dos personagens, que se entrelaçam com a história principal (assassinatos em série de garotos). A trama bem amarrada e, ao mesmo tempo, fragmentada, nos dá ao longo da leitura inúmeras peças de quebra-cabeça. Desse modo temos um thriller maravilhoso de se ler.

A intensidade dos acontecimentos é completa pela carga emocional que os personagens trazem consigo, e que podemos sentir em nossa pele. É impossível não sentir empatia por eles. Ver o quanto sofreram é surreal, principalmente porque toda a crueldade que lhes ocorre é ainda na infância, e cometida por pessoas que deviam protegê-las. De repente você passa a entender o motivo de serem tão perturbados (lógico que nada justifica as crueldades que ocorreram). Erick Axl Sund escreve um thriller perturbador. Seu grau de realidade torna toda a violência nua e crua. Elas te esmagam com a brutalidade, que sem duvida você encontra (infelizmente) em nosso mundo. É chocante e intenso ter personagens quase reais.

Uma detetive, cuja vida familiar está indo para o espaço, leva seu trabalho muito a sério e é, sem sombra de dúvidas, a mais integra do Departamento; um chefe de policia apático perante as situações decisivas; um Promotor corrupto e incompetente; uma psicóloga que esconde um mistério acerca de seu passado e saúde mental. Essas são as pessoas chave para a trama. Enquanto a detetive Jeanette Kihlberg tenta investigar os homicídios, o promotor tenta desesperadamente esconder seus erros passados, que permitiram que os culpados permanecessem fora das grades, e o chefe de policia não leva em conta o que Jeanette pensa, por ela ser mulher. Quando ela conhece Sofia, a psicóloga, suas vidas se conectam automaticamente, uma trazendo conforto à outra.

Os assassinatos brutais mexem com os sentimentos de Jeanette, e ela se sente responsável e obrigada a concluir o caso, para conseguir prender o culpado. Contudo, enquanto ocorre a investigação, a vida segue, e seus problemas familiares parecem crescer cada vez mais.

Outros casos paralelos surgem ao mesmo tempo, e em todos estão relacionados os nomes de seus suspeitos. O que Kihlberg está prestes a descobrir é perturbadoramente assombroso.

Enquanto tenta conciliar sua vida e seu trabalho, ela se esforça para conhecer e entrar na vida de Sofia, que a deixa ir até determinado ponto, fazendo as vezes de mulher misteriosa.

Algo que vale ressaltar (até porque me impressionou muito na história) é a respeito de Sofia e Vitória (uma vítima do passado que nunca viu a cor da justiça). Por um bom tempo acreditei com todas as forças em sua culpa, e perceba que, sim, me referi à culpa no singular, mesmo sendo duas pessoas. Mas o motivo disso você terá que descobrir com a leitura.

Sem prolongar mais, A Garota-Corvo é, para mim, o melhor thriller policial que já li (quero dizer, até o momento): cheio de segredos e reviravoltas, uma dose extra de violência e barbaridade. Recomendo esta leitura para aqueles que, assim como eu, tem estômago forte, e querem uma trama mais enérgica, misteriosa e apaixonante.


Companhia das Letras

584 páginas

16 x 23 cm

Brochura

Onde encontrar:

Amazon

Saraiva

Fnac

Deixe uma resposta