[LIVRO] “Amityville”, de Jay Anson (resenha)

amityville-jay-anson-darkside-books-resenha-1

“Para mim, o que existe aqui, seja lá o que for, é com certeza de natureza negativa. Não tem nenhuma relação com alguém que em outras vidas caminhou na terra em forma humana. É algo que vem das entranhas da terra.”

– Lorraine Warren sobre os fenômenos em Amityville.

Você conhece a expressão “sonho americano”? Não!? Pois trata-se de um valor que surgiu no início do século passado em referência à ousadia e o espirito de iniciativa dos imigrantes que chegavam da Europa na América e, do nada, construíam verdadeiros impérios. Após a Segunda Guerra Mundial, a expressão tornou-se popular e passou a simbolizar o sonho de alcançar bens materiais que garantissem o bem-estar, como, por exemplo, a casa própria. Em 1975, os Lutz começaram a viver o seu “sonho americano”.

A família Lutz era uma família normal como qualquer outra. George Lee Lutz era dono de uma empresa de agrimensura e casado com Kathleen (Kathy) Lutz. O casal tinha três filhos: Christopher, de 7 anos, Daniel, de 9, e Melissa (Missy), de apenas 5 anos. O quadro familiar fica ainda mais perfeito com Harry, o cachorro da família. Em 1975, a família Lutz vivia um momento especial, estavam de mudança, começando uma nova fase da vida com uma nova casa localizada em Amityville, Long Island.

A casa era um sonho:

“A casa no número 112 da Ocean Avenue é uma construção grande e espaçosa de três andares, com fachada branca e telhas escuras. Seu terreno mede 15 m por 72 m: como os 15 m ficam na frente, quando estamos do outro lado da rua e olhamos para casa, a porta de entrada fica do lado direito da propriedade. Uma amurada de madeira de 9 m à beira do rio Amityville faz parte da propriedade.”

0e7156e09970d63c89bb98a6e214b8da

Casa 112 da Ocean Avenue, em Amityville, Long Island. (1974)

Os Lutz acharam a residência perfeita para seus planos, principalmente para George, que queria fazer um escritório para trabalhar em casa, sem falar do espaço para as crianças. O preço? Oitenta mil dólares, que na época, os Lutz acharam muito barata. Uma casa como aquela não seria encontrada com um preço tão baixo, e os Lutz se viram abençoados pela sorte. Nada poderia estragar aquele momento, a concretização do “sonho americano”. Nem mesmo a história dos antigos moradores da casa.

“[…] no dia 13 de novembro de 1974, uma grande casa colonial no número 112 da Ocean Avenue tinha sido palco de uma chacina. Ronald DeFeo, 23 anos, pegara um rifle e, de modo metódico, matara a tiros os pais, os dois irmãos e as duas irmãs. Em seguida, DeFeo fora condenado a prisão perpetua.

[…] Os Lutz sabiam dos assassinatos mas, como não eram supersticiosos, sentiram que a casa seria perfeita para eles e para as três crianças.”

amityville-murders

Ronald DeFeo Jr, um dia após ter matado toda sua família.

Os Lutz se mudaram para a casa 112 da Ocean Avenue, em Amityville, no dia 18 dezembro de 1975. 28 dias depois, a família fugiu da casa. O “sonho americano” havia se tornado um terrível pesadelo.

A história da família Lutz e seus 28 dias na casa 112 da Ocean Avenue é contada no livro Amityville, de Jay Anson, recém lançado no Brasil pela Editora DarkSide. Jay Anson era escritor e roteirista de diversos curtas de documentários. Publicou em 1977 Amityville, com o qual alcançou grande fama.

Se os Lutz eram uma família como qualquer outra, a história da família na residência em Amityville foi algo extraordinário. Os 28 dias que George, Kathy e os filhos passaram na casa foram marcados por experiências que desafiam a lógica, e nos faz pensar nas forças que possam habitar nosso mundo. No livro, Anson descreve o tormento que a família viveu desde o primeiro dia, experimentando mudanças de comportamentos e fenômenos sem explicação. O clima de felicidade foi quebrado com a radical mudança de comportamento da família. A esfera de compreensão se viu transformada em raiva, tensão e paranoia.

George tornara-se agressivo com Kathy, Christopher e Daniel brigavam por coisas tolas, e Missy brincava com “Jodie”, um amigo imaginário que conhecera na residência. Algo dentro da casa não apenas tornava os cômodos assombrados, como também os próprios membros da família Lutz.

A experiência de terror dos Lutz fora compartilhada com o padre Frank Mancuso, que havia ido abençoar a casa no primeiro dia. Quando Mancuso começou a aspergir água benta pela residência, o padre foi surpreendido por uma voz masculina que dizia “saia daqui!”. Frank Mancuso não conseguiu determinar de onde vinha a voz e nem de quem era. Após deixar a nova residência dos Lutz, o padre viveu dias de fenômenos que não podia explicar.

amityville-jay-anson-darkside-books-resenha-2À medida que os dias se passavam e qualquer explicação racional para o que acontecia na casa não era o suficiente. Vozes, visões, cômodos gelados, objetos que apareciam e desapareciam, além de um quarto secreto com paredes vermelhas no porão, levaram George e Kathy Lutz a descobrirem mais sobre Ronald DeFeo, assim como a própria residência.

Os fatos que envolveram os Lutz, outros parentes, e o padre Frank Mancuso, são descritos de forma bastante simples e direta por Jay Anson, conseguindo passar as sensações experimentadas pelas pessoas no livro. Não se percebe apenas a tensão e o medo, mas como também sensações de tato e olfato conforme são descritas.

Além de relatar os 28 dias da família Lutz na residência em Amityville, o livro também traz um epílogo descrevendo a sessão mediúnica feita na casa, que teve a participação dos investigadores do paranormal Ed e Lorraine Warren (mais sobre eles aqui). No Posfácio, o autor avalia o teor do conteúdo paranormal e apresenta sua pesquisa, além do olhar da parapsicologia nos fenômenos vivenciados pelos Lutz. Tais informações são de grande importância, dado o debate gerado até os dias de hoje sobre a crença ou não de forças ocultas.

Amityville, de Jay Anson, é um livro perfeito para os curiosos do paranormal e apaixonados pelo tema. É um item obrigatório em qualquer estante ao lado de Exorcismo, de Thomas B. Allen, publicado também pela Editora Darkside (e resenhado aqui).


nota-4


amityville-livro-darkside-books-capa-02DarkSide Books

Capa dura

21,4 x 14,2 x 1,8 cm

240 páginas

Onde comprar:

Amazon

Cultura

Saraiva