[LIVRO] Achados e Perdidos (Trilogia Bill Hodges – Livro 2), de Stephen King (resenha)

Achados e Perdidos é o segundo livro da trilogia Bill Hodges, de Stephen King, no entanto segue uma historia paralela, interligando-se em alguns momentos com os principais fatos de Mr. Mercedes (resenhado aqui), como o ataque ao City Center.

Antes de falar sobre um livro, aí vai a sinopse oficial dele:

“— Acorda, gênio.” Assim King começa a história de Morris Bellamy. O gênio é John Rothstein, um autor consagrado que há muito abandonou o mundo literário. Bellamy é seu maior fã — e seu maior crítico. Inconformado com o fim que o autor deu a seu personagem favorito, ele invade a casa de Rothstein e rouba os cadernos com produções inéditas do escritor, antes de matá-lo. Morris esconde os cadernos pouco antes de ser preso por outro crime. Décadas depois, é Peter Saubers, um garoto de treze anos, quem encontra o tesouro enterrado. Quando Morris é solto da prisão, depois de trinta e cinco anos, toda a família Saubers fica em perigo. Cabe ao ex- detetive Bill Hodges e a seus ajudantes, Holly e Jerome, protegê-los de um assassino agora ainda mais perigoso e vingativo.

O livro narra a história de um fã obcecado pela obra de um famoso escritor. Isso nos faz pensar: Até onde a obsessão doentia pode te levar?

Morris Bellamy nos leva ao extremo de sua obsessão, quando a obra se torna mais importante que o autor, e as opiniões de outras pessoas não podem ser diferentes da sua.


Nota do editor: isto me fez lembrar de outro livro de Stephen King que também trata da obsessão de uma leitora pelo seu autor favorito, o eletrizante Misery, resenhado aqui.


O livro alterna entre a história de vida de Morris Bellamy e Peter Saubers. Completamente diferentes, mas com a mesma paixão pela obra de Rothstein, suas vidas acabam se cruzando após Peter descobrir o baú que Bellamy enterrou a 30 anos atras. No baú estava 20 mil dólares e vários manuscritos de Rothstein, que foram acumulados em 20 anos de aposentadoria do escritor. Peter, com esse dinheiro, ajudou a família a se recuperar, já que seu pai também foi uma das vitimas do Mr. Mercedes no ataque ao City Center. Peter ficou com os livros, até que precisou de dinheiro, e resolveu vender alguns. Nisso sua vida se transforma e os problemas começam a aparecer.

E nosso herói, Bill Hodges, precisa intervir.

Confesso que esperava mais ação. O livro se concentra nas histórias dos dois personagens, o que acaba deixando-o um pouco cansativo e demorado. É um livro sem muitas surpresas, mas que vale a pena por conta da questão de que às vezes podemos nos tornar cegos por tanta obsessão, e que, muitas vezes sem perceber, não aceitamos a opinião de outras pessoas – principalmente se for contrária à nossa – para obras que adoramos e idolatramos, e que as vezes é preciso ter limites.

Ah lembra das poucas surpresas? Então, uma delas me deixou muito ansiosa pelo terceiro livro da trilogia.


Suma de Letras

Brochura

22,8 x 15,8 x 2,2 cm

352 páginas

Onde comprar:

Amazon

Saraiva

Submarino