[LIVRO] A Primavera Rebelde, de Morgan Rhodes (Sim! Tem como a situação piorar).

Se você leu a resenha do primeiro livro, A Queda dos Reinos, sabe que cada um dos personagens tinha um objetivo a ser atingido anteriormente. E se está aqui e quer saber o que aconteceu com eles, devo informar-lhes que todos falharam miseravelmente.

Em primeiro lugar, Auranos e Paelsia foram tomados por Limeros, liderada pelo Rei Gaius Damora. O Rei Corvin e Chefe Basilius foram mortos, e agora Limeros comanda Mitica. Cléo conseguiu encontrar a cura para a doença de sua irmã, mas não chegou a tempo de salvá-la; viu seu pai morrer em seus braços, assim como seu amado Theon; e foi feita de prisioneira pelos Damora. Jonas não teve sua vingança e, indiretamente, foi responsável pela queda de Paelsia. Ele e seu melhor amigo, Brion Radenos, partiram para as Terras Selvagens para montar um grupo de rebeldes com objetivo de derrotar Gaius e recuperar Paelsia. Magnus acabou confessando seu amor por Lucia, ao descobrir que não eram irmãos de sangue, mas foi rejeitado por ela; acabou sujando sua honra ao matar covardemente Theon pelas costas; mas, em compensação, teve seu mérito devidamente reconhecido por seu pai. E Lucia teve seus poderes descobertos por Gaius, que já esperava que ela revelasse tais poderes, e a usou para tomar Auranos, tornando a garota responsável pela morte de várias pessoas. Entrou em coma devido a um ferimento na batalha por Auranos.

Depois de tanta tragédia, era de se esperar que as coisas fossem melhorar. Ledo engano. Rei Gaius, para conter possíveis rebeliões em Auranos, acaba arranjando o casamento de Cléo com seu filho Magnus, o mesmo homem que matou Theon, o homem pelo qual a princesa era apaixonada. Digamos apenas que ela não ficou muito feliz com tal ideia. Mas tem que aceitar, se quiser conseguir uma chance encontrar a Tétrade com auxilio do anel deixado por seu pai antes de morrer.

Lucia, a mais inocente e bondosa dos protagonistas, começa a se questionar durante seu coma se sua magia a está transformando em uma pessoa má, e ela frequentemente é visitada em seus sonhos por um vigilante chamado Iohannes, pelo qual acaba se apaixonando.

Jonas e seu amigo Brion, estão recrutando rebeldes para sua investida contra o Rei Gaius, e acabam conhecendo Lyssandra, uma garota que procura se juntar à causa rebelde com o objetivo de resgatar seu e irmão e libertar o povo de Paelsia, que está feito de escravo para a construção de uma estrada que ligará Auranos a Limeros.

Magnus tem uma série de batalhas ideológicas com seu pai, e enquanto tem que aturar o desprezível Aron Lagaris, novo vassalo do rei.

Há uma serie de acontecimentos (e mortes), como: ataques (e mortes) dos rebeldes; terremotos, furacões e incêndios (que causam mortes); e ainda algumas mortes (eu disse: não se apegue a ninguém nessa história!). Resumindo a situação dos protagonistas, que já não estava boa, só piora. E a autora (que deve ser irmã do George R. R. Martin) soube explorar isso ao máximo, pegando coadjuvantes importantes e lhes dando mortes sem significado, sem se importar com o que é certo ou justo. Fazendo Cleo, Jonas e Magnus comerem o pão que o diabo amassou, e injetando sadismo pouco a pouco em Lucia. Enquanto Gaius fica cada vez mais poderoso.

Assim como no primeiro livro, os quatro protagonistas terminam este segundo no fundo do poço, onde os piores sentimentos humanos se proliferam como ratos no esgoto. E se levarmos em consideração que o próximo livro se chama “A Ascensão das Trevas“, as coisas não devem melhorar.

Então, desperte seu sadismo interior lendo “A Primavera Rebelde“, um livro escrito por Morgan Rhodes, com consultoria de George R. R. Martin, dirigido por Quentin Tarantino, e com trilha sonora do Pablo do Arrocha, pela quantidade de sofrência. Boa Leitura.

Risada Maligna


Editora Seguinte

Brochura

22,8 x 15,2 x 2,4 cm

472 páginas

Disponível nas livrarias:

Amazon

Saraiva

Cultura

Deixe uma resposta