[LITERATURA] 4 Contos de Fadas bem bizarros (ou “nem a Disney salva”)

Já não é novidade que muitas das histórias das princesas da Disney foram inspiradas em antigos Contos de Fadas. E também se sabe que a maioria desses contos envolvia diversas bizarrices, que por algum motivo, acreditava-se que passariam importantes mensagens para as crianças.

A seguir, apresento-lhes quatro contos que acho que nem a Disney conseguiria salvar! As histórias vão de incesto até morte, e em todas elas, há um toque, no mínimo, perturbador. Confiram!


A PRINCESA PELE DE BURROPele de Burro

Autor: Charles Perrault
Primeira publicação: França, 1694

A história é simples, e creio que uma das mais “leves”. Em um maravilhoso reino vivia um rei muito rico, com sua mulher muito bonita, e com a jovem (lê-se infante) filha do casal.

Parte de toda a prosperidade do reino se dava a um burro que cagava ouro. Sim, ouro!

Mas infelizmente nem tudo dura para sempre, e a vida da rainha se foi. Não sem antes fazer o rei prometer que jamais se casaria com alguém que não fosse tão bela e tão cheia de atributos como ela. Se fosse se casar, teria que ser com alguém do seu nível, ou superior. O rei, coberto de amores, prometeu. E cumpriu! Ou ao menos tentou cumprir.

Após ter procurado em toda a redondeza, o rei percebeu que não havia mulher que cumprisse os requisitos. Salvo uma: a sua filha!

A menina, que tinha senso, achou um absurdo a paixão e pedido do pai, e recorreu a sua fada madrinha, que a aconselhou a fazer diversos pedidos “impossíveis”, sendo o último a pele do burro que cagava ouro.

O rei, cego de paixão, cedeu a todos. Notando que não tinha mais o que pedir, a princesa se vestiu com a pele do burro, e fugiu. O final é bonitinho até, mas a história não deixa de ser bizarra.

Leia a história completa aqui (em português)


AS CRIANÇAS PERDIDASAs crianças perdidas

Autor: Antoinette Bon (coletou a história no Revue des traditions populaires)
Primeira publicação: França, data desconhecida

Por breves pesquisas pelo Google, o que tudo indica é que esta história foi a precursora de João e Maria.

Nesse conto os irmão Jean e Jeanette são abandonados pelos seus pais pobres para morrer na floresta, porém, são encontrados por uma bondosa senhora, que os leva para sua casa.

Mas antes de chegar na residência, a velha faz um aviso: meu marido gosta de comer crianças, então tomem cuidado!

Alguém consegue adivinhar quem é o marido dela? Se algum de vocês apostou em Satanás (tinhoso, demônio, capeta, mochila de criança, sete peles, exu, etc.), acertou!

Era óbvio que Satã iria encontrar as crianças (e encontrou), mas por algum motivo ele é meio burro nessa história. Ele as prendeu em uma gaiola, e começou o processo de engorda, mas as crianças o ludibriaram, colocando rabos de rato pelas frestas, para que ele não percebesse que elas estavam no ponto.

Porém a farsa não durou muito tempo. O príncipe das trevas descobriu, e os condenou ao cavalo de madeira. Mas pecou quando colocou sua esposa para aplicar a punição.

As crianças, novamente tentando se safar, bancaram as desentendidas e pediram para a pobre senhorinha demonstrar como deveriam proceder. Ela o faz, e então é amarrada, e morta, após ter a sua garganta cortada.

E então os dois irmãos voltam para a casa dos pais, onde continuaram sofrendo negligência e maus tratos. Fim.


A VELHA ESFOLADA

Imagens via: Pupazze

Autor: Giambatista Basile (coletou as histórias, e as teve publicada pela irmã sob o pseudônimo de Gian Alesio Abbatutis)
Primeira publicação: Itália, 1634

Desta vez é um velho rei que é enganado por duas irmãs (também velhas).

A vossa alteza ouvindo vozes femininas do outro lado da parede, acreditou que fossem duas jovens e belas mulheres, e percebendo isso, uma das irmãs bolou um plano para se aproveitar da situação: manteve seu dedo na água por uns dias, para que ele ficasse gordo e rígido (eu sei, isso não faz muito sentido). Obtendo o resultado de um dedo jovem, ela o colocou pela fechadura, e o rei, ao senti-lo, apaixonou-se perdidamente.

Quando finalmente foram se encontrar cara a cara, a velha prendeu suas pelancas, e propôs um encontro no escuro. Mas o rei, com toda a sua curiosidade, aproximou uma vela ao rosto de sua amada, e percebeu então a farsa.

Num ato de raiva, ele tacou a velha pela janela, que ficou presa em uma árvore graças às suas pelancas! E a sorte não para por aí. Uma fada, comovida com a situação da velhinha, transformou-a novamente na bela jovem que era. Após o rejuvenescimento, a velhinha, agora jovem, corre para o rei numa nova tentativa de ser aceita na realeza.

Mas a história não acaba por aí. Sua irmã, morta de inveja, vai a um barbeiro para que ele corte não seu cabelo, mas sim sua pele, com o intuito de revelar uma linda jovem por baixo dela.

O resultado não é o esperado, e ela morre lentamente no chão, enquanto o barbeiro pensa no que vai fazer com todo aquele sangue e pele em seu estabelecimento.

Nota: o conto é um dos três no qual o filme O Conto dos Contos (Il Racconto dei Racconti), do diretor Matteo Garrone.

Leia a história completa aqui (em italiano)


HANS, O OURIÇO (OU JOÃO-OURIÇO)Hans ouriço - João ouriço

Imagem por: Killskerry

Autores: irmãos Grimm
Primeira publicação: Alemanha, entre 1812 e 1819 (fontes divergentes)

Vou confessar que esse conto até tem uma mensagem: cuidado como que você deseja!

Um casal rico deseja a todo custo ter um filho. E em uma dessas preces o homem comete o erro de dizer que aceitaria até um ouriço como filho. Pois é, ele recebe. Nasce Hans, uma criatura metade homem e metade ouriço.

Obviamente os pais não ficaram contentes com o resultado, e começam a desprezar o pobre coitado. Até que um dia ele se cansa, e pede um galo para os pais. Quando recebe o presente, monta nele, e vai embora para a floresta tocando a sua gaita de fole (?).

Atraído pela música, um rei perdido se aproxima de Hans, que por sua vez, propõe guiá-lo caso este lhe dê a primeira coisa que ver quando chegar em seu castelo.

Hans imaginava que receberia a mão da princesa em troca, mas o rei, muito do esperto, faz o ouriço assinar um contrato afirmando que seria morto pela guarda real.

Durante o caminho, eles se deparam com mais um rei perdido, só que este não é tão inteligente, e realiza a troca. Hans então, casa-se com a princesa, e na noite de lua de mel os espinhos caem, e ele se transforma num lindo homem.

Mas… e o primeiro rei? Bem, este encontrou a filha morta em seu quarto, com inúmeros furos pelo corpo!

Leia a história completa aqui (em inglês)


Via: Dorkly | Ovelhas Voadoras

One thought on “[LITERATURA] 4 Contos de Fadas bem bizarros (ou “nem a Disney salva”)

Comments are closed.