[HISTÓRIA] Papai Noel através dos tempos

25 de dezembro é a data mundialmente famosa por ser a comemoração cristã do nascimento de Jesus. Apesar de Jesus não ter nascido nesta data, o 25 de dezembro foi assimilado pela Igreja Católica no intuito de ressignificar a tradicional festa da Saturnália (clique aqui para saber mais).

Porém aqui não vamos falar de Jesus ou da data em si, mas sim de um personagem que se tornou símbolo do Natal através das eras: o Papai Noel. Porém a figura do Bom Velhinho não nasceu pronta, mas foi um processo de construção que buscava incorporar a festividade e suas extravagâncias.

24p20f04

Através dos tempos, a figura do Papai Noel tornou-se dominante nas comemorações do Natal. A imagem moderna do Bom Velhinho deve-se muito ao imaginário anglo-americano, apesar de sua imagem ser encontrada nos quatro cantos do mundo. Suas características foram definidas em 1823 num  poema de Clement Moore: “gordinho e roliço, um duende velho alegre direito”; que chega em um trenó puxado por renas voadoras; e desce pela chaminé com um saco cheio de brinquedos para as crianças.

Essencialmente, a figura do Papai Noel moderno é  um pouco de São Nicolau, um pouco das antigas personificações inglesas do Natal e um monte de mitologia pagã.

Uma Breve História do Papai Noel

Natal Cancelado

No século 17, foram feitas tentativas de se proibir o Natal em toda Commonwealth (comunidade britânica de nações), pois não havia nenhum fundamento bíblico para à origem da festa, para bebedeira e comportamento obsceno. O “Velho Natal” foi designado por um soldado Cromwelliano. A personificação do Natal era conhecida como “Velho”, “Sir” ou “Capitão Natal”.

Um heroico beberão

As imagens vitorianas do “Velho Natal”, o espírito pré-moderno do Natal, variava entre um jovial, quase dionísico, Senhor da Desordem de bom ânimo alcoólico, e um homem de meia idade, magro, um pouco semelhante ao “Velho Pai”.

Um portador de presentes

Se Clement Moore descreveu Papai Noel em palavras, foi o seu colega americano, o ilustrador Thomas Nast, que fixou a imagem deste espírito de Natal através do século 20. Seus desenhos para Harper’s Weekly que começaram em 1863 mostram Papai muito parecido ao “bom velhinho” de Moore, embora em sua obra tenha se estabelecido um retrato mais próximo ao que agora se tornou tradicional: a grande figura de barba branca jovial, vestido em um terno vermelho.

The 1863 portrait of Santa Claus by Thomas Nast became the classic image of jolly old St. Nick, but many contemporary depictions cast Santa Claus in a darker light.

Papai Noel por Thomas Nast.

Papai Noel vai para a guerra

No final do século 19, “Pai Natal”, como era chamado na Grã-Bretanha, tornou-se uma figura central em festas de Natal, sendo representado entregando presentes para as tropas britânicas que serviam no Afeganistão.

Ele é real

O que se tornou a imagem definitiva do Papai Noel foi criada a partir da década de 1930 até a década de 1960 por Haddon H. Sundblom em seus muitos anúncios da Coca Cola. Ele emanava calor e bondade, tem uma barba branca exuberante e veste um casaco longo vermelho aparado com pele branca e preso com um cinto enorme e botas de couro longas. Ele é, no entanto, secular e um pouco higienizado como o próprio Natal moderno; ainda há um eco do Senhor da Desordem em seu “Ho ho ho”, mas o álcool se foi e, em vez de segurar uma taça de fluxo ele bebe Coca Cola.

Coca_cola_Santa

“Estas botas estão me matando”

Embora o Natal moderno seja uma criação anglo-americana, as roupas do “Pai Natal” britânico são diferentes do Papai americano. Ele veste um hábito longo vermelho aparado com pele branca e um capuz em vez do terno vermelho e boné favorecidos nos Estados Unidos. Cada vez mais o Pai Natal britânico foi substituído pelo Papai Noel americano.

Papai Noel americano não é bem-vindo

O Papai Noel anglo-americano nem sempre é uma figura bem-vinda em países europeus que prezam por seus próprios costumes e versões dos visitantes sazonais. O holandês São Nicolau não é popular entre os tradicionalistas na Holanda. As autoridades municipais de Assen não foram tolerantes a um Papai Noel que apareceu por lá em 1994. Conforme relatado no “Sunday Times” em 4 de Dezembro, a polícia colocou o Bom Velhinho correndo para fora da cidade.

Malhação de Papai Noel

Em 23 de dezembro de 1951, o clero católico em Dijon organizou uma execução do Papai Noel. Uma imagem dele foi enforcada nas grades da catedral e depois queimada na frente de várias centenas de crianças da Escola Dominical. Papai Noel desperta sentimentos extremos.

Esse texto foi traduzido e adaptado do original The changing faces of Santa Claus, de Arthur Purdue, publicado no site History Extra.