[HISTÓRIA EM SÉRIES] Review | Vikings 5×05: “The Prisoner”

[ATENÇÃO! PAREDE DE SPOILERS]

“Naquela terra não há guerras. Não há doenças. Não há sofrimento. É abençoada pelos deuses de todas as formas.” – Floki

A vitória de Ivar sobre os saxões pode ter sido sem surpresa, mas a série tem proporcionado batalhas em grande escala, aliada a uma excelente fotografia, pouco vistas em temporadas anteriores. Provando mais uma vez estar vários passos a frentes de seus adversários, o “pagão” Ivar fez prisioneiro o “cristão” Heahmund, rendendo momentos excelentes entre os personagens.

Outro ponto interessante desse episódio foi o retorno de Floki para Kattegat. Visto agora como um “homem santo” por algumas pessoas da cidade, Floki conseguiu reunir um número considerável de seguidores que estão prontos para zarparem a nova terra que o exímio construtor de barcos diz ser próspera. Porém, nem tudo parece ser o que é em troca de olhares suspeitos de pessoas que podem tramar ainda mais contra a rainha Lagertha (que até o momento não teve muita sorte nessa temporada).

E em uma paisagem completamente distante e diferente do que estamos habituados a ver na série, Bjorn, Halfdan e Sindric perceberem que eram pessoas erradas, no lugar errado no momento mais inoportuno. Resta saber como o próximo episódio vai resolver a confusão forçada envolvendo Bjorn e amigos.

Floki na Islândia

No começo dessa temporada, Floki saiu em uma empreitada espiritual navegando a esmo. “Pela graça dos deuses”, Floki chegou a uma nova terra, um paraíso que a identificou como “Asgard”. Logo assumiu a missão sagrada de colonizar aquela terra desabitada e partiu rumo a Kattegat para encontrar homens e mulheres dispostos a tal intento.

A história real por trás disso é muito interessante e podemos afirmar: Floki chegou a Islândia!

Porém, não conforme mostrado em Vikings.

Diferente da série, onde Floki encontrou do nada a Islândia, o real Floki Vilgerðarson é conhecido como o primeiro norueguês a viajar deliberadamente à Islândia. Sua história está narrada no manuscrito Landnámabók (Livro da Colonização), que segundo essa mesma fonte, Naddoddr foi o marinheiro escandinavo que, após se perder no mar, chegou primeiramente a Islândia, terra que batizou de Snæland (Terra da neve).

Outro ponto interessante que podemos relacionar entre o fato e a ficção é que, na série, Floki estava acompanhado de um corvo, um dos símbolos de Odin, enquanto que Floki Vilgerðarson era também conhecido como Hrafna-Flóki (corvo-Floki).

Ziadete Alá I (vou usar aqui a versão aportuguesada do nome)

Foi o terceiro emir aglábida da Ifríquia. Iniciou suas campanhas militares na Itália, e em 827 começou a conquista da Sicília e do Império Bizantino.

A morte do comandante Eufêmio

Se você quer saber se o comandante Eufêmio morreu e foi servido à la Hannibal Lecter, desculpe, mas não foi bem assim.

No século IX,quando parte do exército muçulmano atacou Enna, na Sicília, o comandante Eufêmio estava junto. As guarnições da cidade tentaram negociar oferecendo reconhecer a autoridade de Eufêmio caso ele afastasse as forças muçulmanas. Confiante, o comandante, junto com uma pequena escolta, encontrou-se com homens designados como emissários, que o esfaquearam até a morte.

Deixe uma resposta