[HISTÓRIA EM SÉRIES] Review | Black Sails 3×02: “XX”

“Mas às vezes o morto retorna.” – Barba Negra

A produção de Black Sails já nos mostrou em alguns episódios que a série pode ter suas escalas épicas. Seja na destruição de uma cidade ou numa batalha em alto mar, a combinação da direção de arte, fotografia e efeitos especiais garantiram momentos empolgantes. E eles conseguiram mais uma vez! Preparem-se marujos, a tempestade chegou.

black sailsPara fugir de Hornigold, Flint enfrenta a fúria da natureza e graças mais uma vez a combinação de elementos técnicos citados no parágrafo acima, Black Sails nos oferece uma épica batalha entre o homem e a natureza. Para um programa de televisão, a série prima pelos seus efeitos especiais. A fuga de Flint nos remete mais uma vez ao espírito teimoso do capitão que prefere abraçar a morte do que se humilhar em aceitar o perdão real.

Convém lembrar que se o capitão prefere abraçar a morte, ele não faz isso sozinho. Flint está disposto a sacrificar seus próprios homens e algumas mortes ocorreram nesse episódio. Apesar de que homens da tripulação de Flint morrem aqui e ali em muitos episódios, essas mortes não são sem propósito e cabem muito bem no enredo da série. Como a morte de Muldoon, afogado no porão do Walrus, mas sem antes demonstrar a gratidão da tripulação para Silver que sente e reflete as decisões de Flint.

Após a tormenta, vem a calmaria. E isso é péssimo para quem esta no mar a bordo de um navio à vela. Flint está cobrando um preço muito alto para a fidelidade de sua tripulação que mais uma vez se vê ameaçada pelas atitudes do capitão.

Em Nassau, Barba Negra encontra Charles Vane e descobrimos que Vane traiu Teach por causa de Eleanor. A série tem buscado construir com a figura de Barba Negra uma teia de relações permeadas por traições, onde a vingança pode ter chegado ao seu momento. A presença do temível pirata tem sido construída estrategicamente na série. A situação fica ainda mais preocupante com a iminente chegada de Eleanor com o governador Woodes que promete mais tensões para Black Sails.

Referências históricas:

Barba Negra e Charles Vane se conheciam na realidade?

Sim. Apesar de não da maneira como mostrada na série, Charles Vane e Barba Negra se encontraram.

Em agosto de 1718, quando o governador Woodes Rogers chegou a Nassau com suas tropas para supervisionar os perdões reais, tinha também outra missão: capturar Charles Vane. O procurado pirata escapou do alcance dos navios da Marinha Real e continuou praticando a pirataria em mar aberto.

Rogers ainda tentou capturar Vane e enviou o coronel William Rhett em seu encalço. Porém Vane tinha outras preocupações. O pirata juntamente com outro companheiro de nome Yeats resolveram pilhar e saquear os navios que entravam e saiam do porto de Charleston. Vane queria repetir o mesmo sucesso de Barba Negra neste porto. No entanto, divisões na tripulação jogaram Vane e Yeats em caminhos diferentes.

Charles Vane continuou com a pirataria e dirigindo-se para a Carolina do Norte encontrou com Edward Teach, que estava aproveitando do seu perdão real e tinha deixado de lado o nome “Barba Negra”. Os dois piratas passaram algumas noites no extremo sul da ilha de Ocracocke junto com outros piratas como Israel Hands e Calico Jack (o mesmo capitão Jack Rackham da série). Após essa visita, Teach retornou ao mar mais uma vez como Barba Negra.

Mar de Sargaços

Capitão Flint e sua tripulação estão perdidos no meio do mar. Mais precisamente no mar de Sargaços, uma região alongada no meio do oceano Atlântico onde estão localizadas as ilhas Bermudas. Isso mesmo, Flint está perdido no que conhecemos hoje como Triângulo das Bermudas, região cheia de mistérios e lendas.