[HISTÓRIA EM SÉRIES] Review | Black Sails 2×04: “XII”

Black Sails 2 2015

Nada melhor para estrear a coluna “História em Séries” no Nerd-Geek Feelings do que falando de uma das melhores séries da atualidade, Black Sails. Se você não conhece, trata-se de uma série de piratas produzida pelo canal Starz. Muito bem produzida e ambientada na Era de Ouro da Pirataria, Black Sails mostra o Capitão James Flint no comando da tripulação do Walrus tendo que lidar com todo tipo de adversidade para por suas mãos no valioso ouro do Urca de Lima. A primeira temporada tem apenas oito episódios, o segundo ano está sendo exibido e vamos agora para o review do quarto episódio desta nova temporada.

Para conferir o review dos primeiros episódios desta temporada de Black Sails, acesse História em Séries.

[CUIDADO COM OS SPOILERS, SEU PIRATA MISERÁVEL!]

Black Sails puxa o freio de mão nesse episódio logo após os três frenéticos primeiros episódios da atual temporada. Porém essa diminuição do ritmo faz bem para a série neste momento, onde é preciso ter noção das consequências de uma guerra entre Flint e Vane.

Mais uma vez vemos o fortalecimento da amizade entre Hamilton e James nos flashbacks. Aqui chegamos num ponto onde a aliança entre os dois é construída através de verdadeiros laços de admiração. Lorde Hamilton parece não se importa com a fato de sua mulher estar nos braços de James  – na verdade, não é nenhum segredo as aventuras da Srª Hamilton. Destaque para as cenas onde Lorde Hamilton discute com o pai. É importante a reação de James com tudo isso.

Black Sails 2 2015

Voltando a ilha de Nassau, Vane fica furioso com o ultimato de Flint e não irá entregar facilmente o forte. Essa situação toda deixa Eleanor perdida que nem barata tonta apelando a todos, do próprio Flint a srª Barlow, para uma solução que não leve a guerra. Guerra que nem Flint parece querer. Apesar da opinião contrária do capitão Hornigold que quer tirar Vane a bala do seu forte, Flint sabe que uma guerra local dividirá os piratas da ilha que deixariam as defesas fracas para uma possível invasão das forças reais inglesas ou espanholas. Então é necessário que nesse momento, se espere e reflita-se sobre as consequências futuras desse conflito.

Podíamos esperar mais um episódio frenético de Black Sails, mas dar um tempinho e estudar melhor a situação, nos deixa também apreensivos quanto a qual decisão tomar. Se fosse você, atacaria o forte deixando Nassau a mercê de uma invasão ou procuraria ceder, fazendo um acordo de maneira a não dividir os piratas da ilha e assim não diminuindo sua força?

Black Sails 2 2015

Ainda neste episódio descobrimos que Billy está de volta a Nassau, mas John Silver fará de tudo que ele não se envolva nos recentes acontecimentos; Rackham finalmente ganha uma tripulação graças a intervenção de Max; o pai de Eleanor finalmente aparece oferecendo ajuda a filha e Vane pede que Abigail escreva uma carta para seu pai, Lorde Peter Ashe, pedindo o resgate pela sua vida.

Deixei para comentar um ponto bastante interessante dos flashbacks agora no final, pois sua revelação oferece novos olhares para o futuro da série. Lorde Hamilton apresenta sua ideia para pacificar Nassau a vários outros nobres, mas ninguém está confiante em ceder perdão a piratas, mesmo que sejam usados como mão-de-obra na construção de um novo futuro, porém apenas um fica ao lado de Hamilton, um amigo: Lorde Peter Ashe. Agora sabemos que Flint conhecia Peter Ashe. A srª Barlow sabe que Abigail Ashe é cativa nas mãos de Vane e provavelmente levará essa informação a Flint. O que o capitão irá fazer? Mas Peter é um inimigo dos piratas e como estaria sua relação com Flint? Ele poderá mudar os rumos que se desenham na trama.

Black Sails está cada vez melhor nesta temporada!

Black Sails 2 2015

Referência histórica:

Na cena em que Lorde Hamilton coloca o pai contra parede ao argumentar que a guerra que a Inglaterra estava travando era para garantir que um protestante estivesse no trono espanhol, Hamilton fazia referência a Guerra de Sucessão Espanhola.

Entre 1702 e 1714, houve uma disputa pelo trono espanhol devido a morte do José Fernando da Baviera, de apenas 6 anos, escolhido como sucessor do rei Carlos II.

Com a morte de José Fernando, Carlos II estabelece um novo acordo, em 1700, onde o rei deveria ser o Arquiduque Charles do Sacro-Império Germânico, mas os herdeiros espanhóis não gostaram da ideia e forçaram Carlos II nomear Felipe V, neto de Luís XIV. Assim, com a morte de Carlos II, Felipe V ocupa o trono espanhol dando início a Dinastia Bourbon na Espanha.

Temendo o grande poder que os Bourbons teriam aliando os reinos da França e da Espanha, Inglaterra, Portugal e Holanda fizeram uma enorme oposição contra Charles, único que poderia reunir espanhóis e francesas através da família Habsburgo. A Inglaterra temia que esse novo cenário ameaçasse seus interesses econômicos.

O imperador da Áustria, Leopoldo I, parente próximo de Carlos II, julgava-se no direito de assumir o trono espanhol e iniciou a guerra de sucessão da coroa.

Após várias batalhas o resultou custou caro para a Espanha: Felipe V continuava como rei, mas teve que ceder aos Habsburgos os Países Baixos espanhóis, a Inglaterra a ilha de Menorca, o rochedo de Gibraltar e permitiu o comércio ilimitado dos ingleses com suas colônias na América, além de ter o direito de vender escravos por 30 anos através do asiento, um tratado espanhol com outras nações.