[GAMES] Por que DLCs e Microtransações existem? (ou você as ama e não sabia)

Me diga se essa cena lhe é famíliar: você acompanha as noticias do lançamento de um jogo, está hypado, está contando os dias para o tal lançamento. Aí o jogo é lançado e você vai correndo até a PSN/Live, ou mesmo uma loja física, e dá de cara com isso:

Uau, Santa Valorização, Bátima! 200 (em média) pau por um videojogo? Como eles ousam?

Claro, sua primeira reação é xingar o Temer, a Dilma, o Lula, o Fernando Henrique, a guarda-costeira, os Power Rangers, sei lá. Não é realmente importante quem você xinga, e sim que a primeira coisa que te ocorre é que a culpa é dos impostos (porque todo mundo deve pagar impostos, e ainda é tempo!). Bem, é uma reação compreensível, mas não é tão simples assim. Os impostos no Brasil para jogos são altos, mas não TÃO altos quanto você pensa.

Como assim? Bem, vamos ver quanto custa o mesmo jogo em Trumps Estadounidenses:

Um lançamento AAA nos US and A custa em média 60 dólares ou 12 saquinhos de alfafa (se você entendeu a referência, você é uma pessoa incrível). O que significa que um lançamento de 60 dólares com IMPOSTO ZERO seria lançado a R$188,40 (no momento que eu estou escrevendo esse texto a cotação do dólar é R$3,14). Vou repetir: com IMPOSTO ZERO um lançamento de 60 dólares sairia a 188 REAIS.

Foda, né?

E então as coisas pioram: não satisfeitos em te fazerem sangrar 60 dólares por um jogo, os produtores arruaceiros, pestilentos, filhos de um gato polar, ainda vão e fatiam o jogo, tirando material que poderia estar no disco para vendê-lo à parte como DLC. E então tiram armas, skins e outras coisinhas que estariam no jogo, também para vendê-lo através de microtransações.

Algumas vezes o conteúdo já está no disco (muito caro) que você mesmo já comprou, e você precisa pagar DE NOVO para desbloquear. Puta que pariu, isso não faz o seu sangue ferver? Quer dizer, quantas vezes eles esperam que você pague pela mesma coisa que você já pagou e não foi barato?

Filhadaputagem pura, né?

E aí vem um comedor de quiche safado, como eu, dizer que DLCs são bons para a indústria e que você deveria agradecer por eles existirem? Doido, né?

TENHO QUE ADMITIR, C, VOCÊ NÃO É MINHA PESSOA FAVORITA NESSE EXATO MOMENTO.

Bem, isso significa muito vindo da voz na minha cabeça. Mas, realmente, eu acho que você está olhando isso pelo aspecto errado. Antes que você precise perguntar qual é o certo, eu já me auto-spoileio: você já se perguntou porque jogos custam 60 dólares em primeiro lugar? Quando você entender isso, vai ver que DLCs não são tão ruins assim.

ISSO É UM ABSURDO, MAS VÁ LÁ: POR QUE OS JOGOS CUSTAM 60 TRUMPS?

Fico feliz que tenha perguntado isso. Veja, em 2014, eu traduzi um texto explicando o tabelamento previsível dos preços de jogos. 2014, e ele se mantém em vigor até hoje! Agora, pense bem e veja se repara numa coisa muito curiosa nessa informação.

QUE VIDEOGAMES SÃO CONTROLADOS POR UMA CORJA QUE ESTÁ CAGANDO PARA O CONSUMIDOR?

Sim. Mas talvez você esteja perdendo o ponto realmente importante aqui: esses preços são de 2014, e ainda estão em vigor em 2017. O que por si só já é impressionante, mas não tanto porque os Estados Unidos não tem uma inflação tão cavalona quanto a nossa. Mas isso me levou a outra pergunta bem mais interessante: certo, e os preços dos jogos são assim DESDE QUANDO?

Uma dica: você vai ficar realmente surpreso.

Esse é o catalogo da loja de brinquedos Toys R’ Us de 1996. Você pode deduzir o ano porque é quando foram lançados os jogos mais recentes (e caros) desse anúncio. Agora repare em um numerozinho mágico aqui:

Sim, em 1996 os jogos já custavam em média 60 dólares. 1996, mais de vinte anos atrás, e o preço dos videogames não mudou. São poucas coisas que não mudaram o preço em 20 anos. Você teria dificuldade em mencionar uma sequer.

CLARO QUE POSSO: A SUA MÃE, POR EXEMPLO

Isso foi rude, pequena voz na minha cabeça oriunda da total falta de contato social e luz do Sol. Mas se isso por si só já é impressionante, vamos dar uma olhadinha em quanto custava um jogo da geração anterior ainda? Chute aí quanto você achava que custava, em média, um lançamento cartucho de Nintendinho. Spoiler: é um número que você já viu antes.

Esse é um catálogo da KB Toys de 1991 (como você pode ver pelos jogos mais recentes desse anúncio). Olha aí o nosso velho amigo número mágico: 60 dólares rolando por aí de novo.

OK, ADMITO QUE REALMENTE É IMPRESSIONANTE. MAS CARTUCHOS SÃO CAROS. ESSE PREÇO DEVE TER MUDADO NA ERA DO CD.

Hm, será mesmo?

Olha só se não é o bom e velho anuncio da Toys R’ Us de 1996, anunciando jogos de PS1 entre 40 e 50 dólares? Quer dizer, CDs são MUITO mais baratos de fazer do que cartuchos, e o preço não mudou tanto assim – até porque, jogos 3D eram muito mais caros e complicados de fazer do que jogos de 16 bits.

Para surpresa de ninguém, eis aqui um artigo da CNN de 2002, falando sobre a alta dos preços dos jogos de computador, no qual eles mencionam os preços dos jogos de videogame.

Agora adivinhem só qual o número mágico que eles mencionam? Quer dar um palpite? Vamos lá, última chance de arriscar antes que eu te diga!

EXATAMENTE! 50 dólares, você errou. Mas mesmo assim, não por muito.

OK, OS PREÇOS DOS JOGOS ESTÃO CONGELADOS HÁ QUASE TRINTA ANOS. ISSO É INTERESSANTE, MAS O QUE OS DLCs E MICROTRANSAÇÕES TÊM HAVER COM ISSO?

Ora, amigável voz na minha cabeça, talvez você não esteja vendo a coisa como um todo. Certamente, os preços dos jogos oscilam entre 50 e 60 dólares desde o inicio da indústria moderna de games, mas sabe o que não acompanhou esse congelamento? Os custos de produção.

Vamos dar uma olhada nesse gráfico apresentado na Gamers Development Conference em 2006:

Isso era em 2006. Hoje esse gráfico já foi à estratosfera, porque produzir um jogo é tão caro quanto produzir um blockbuster. Com efeito, Horizon Zero Dawn teve um orçamento de aproximadamente 50 milhões de dólares, e foi considerado um jogo muito barato de ser produzido, esse é o tamanho de como a banda toca hoje em dia. GTA 5 bateu nos 300 milhões.

ESPERA, OS PREÇOS DE PRODUÇÃO DOS JOGOS AUMENTOU CEM VEZES DOS 16 BITS PRA CÁ, MAS OS PREÇOS DOS JOGOS NÃO MUDARAM NADA? ESSA CONTA NÃO TÁ FECHANDO…

É claro que não tá fechando. A próxima pergunta a ser feita é: como, então, aumentar a arrecadação dos jogos sem mexer nos preços?

COMO AUMENTAR A ARRECADAÇÃO DOS JOGOS SEM MEXER NOS PREÇOS… NANI??

Ao contrário de todas as outras indústrias do mundo, o aumento de preço da produção não é repassado ao consumidor. Então o que as empresas fazem para não irem à falência? Mágica? Pacto com o capeta? Vendem sua alma para o espírito Ragatanga?

Este modelo de preços de estagnação só é possível por causa dos pacotes de DLC opcionais. Eu sei que, imediatamente, o jogador tem a sensação de estar sendo roubado, porque “esse conteúdo devia estar no jogo desde o começo”. E de fato poderia, não custaria nada para as empresas colocarem todos aqueles dildos roxos que você pode usar como arma em Saint’s Row de graça… exceto, talvez, você sabe, a explosão dos preços dos jogos, ou a completa quebra da indústria.

Além disso, a coisa não é exatamente como os jogadores reclamam que seja. De todas as Season Pass, armaduras para cavalos, swaps de paletas de cores, bônus de pré-compra e missões adicionais, raramente eu vi uma que pareceu como mais do que outra sidequest no mundo.

Ah, os bons e velhos tempos, quando as empresas não estavam interessadas em fazer dinheiro e respeitavam o jogador…

Pegue a série Batman Arkham, por exemplo – Arkham Asylum tinha DLC de custo médio de U$ 6 por mapas de desafio e personagens alternativos. No momento em que o Arkham Knight foi lançado, a WB pediu aos jogadores que gastassem US$ 40 em um Season Pass. Ninguém pode dizer que esse conteúdo era necessário para o jogo; Na verdade, as críticas foram exatamente o contrário – que a WB estava vendendo coisas sem importância para a experiencia geral

Existem abusos (sim, Assassin’s Creed Unity, estou olhando pra você; e Destiny, todo mundo está te vendo escondido aí atrás da cortina!), claro, mas na maioria dos casos o jogador não é “enganado” por um jogo completo. A campanhas de Arkham Asylum levam de 10 a 20 horas para completar, sem contar mais 100 horas para os troféus do Charada, os modos New Game + e os mapas de desafios disponíveis. Se você quiser pagar mais para ter mais coisas para poder dizer “I’M BATMAN” de todas as formas possíveis, eu não vejo porque a empresa não poderia te vender isso. E se você não quiser, não compre.

DLC é importante para a maioria dos jogos? Não. DLC é importante para a indústria de jogos? Absolutamente.

Ele permite que os desenvolvedores ofereçam jogos para o maior público possível, e crie ofertas de bônus para os fãs que quiserem. A inclusão do DLC mantém o custo dos jogos muito baixo, o que é bom para todos os jogadores – mesmo aqueles que odeiam a simples menção do termo DLC.

Claro, como eu disse, a outra opção é simplesmente cobrar U$160 (mais de R$500 sem contar impostos) por jogo, ou nunca mais ser produzido um jogo cujo orçamento bata na casa do milhão. Sempre tem essa opção, claro, se é tão importante para você que algo que é inteiramente opcional sequer exista.

Malido CAPETAlismo aaaargh!

Não estou dizendo que é um modelo ideal para todos os lados, mas é o modelo que tem mantido a industria viva. E agora você sabe como as coisas são porque são (mesmo que seja para reclamar), e saber é metade da batalha!

Deixe uma resposta