[GAMES] Brincadeiras e Jogos Malditos – Tutorial

brincadeiras-malditas-brincadeira-do-copo-2

Por alguma razão, todo ser é muito curioso acerca do mundo espiritual, suas formas e possibilidades. Esse fascínio pelos assuntos que fogem à razão dos conceitos científicos é exatamente a razão primordial que leva cada povo a ter sua mitologia ou religião. E é o mesmo motivo que leva os indivíduos mais inquietos a tentarem encontrar por vias próprias as respostas que preencham as lacunas deixadas pelos mistérios do sobrenatural.

O mais interessante é reparar que desde muito jovens as pessoas buscam um “algo a mais” místico/religioso usando, nesta caçada, os artifícios mais diversos…

Até mesmo um copo ou uma tesoura…

Pois é! Quem nunca fez nenhuma brincadeira macabra durante a infância que atire o primeiro compasso.

Todo mundo já tentou – e há quem diga que até conseguiu – invocar entidades do além e espíritos perdidos durante a fase mais tenra da vida.

E se você nunca fez nada disso, o NGF dá o tutorial:

Chamando a Loira do Banheiro

brincadeiras-malditas-loira-do-banheiro-5

Sendo um costume comum tanto no Brasil quanto nos EUA, a invocação da Loira do Banheiro não precisa de muitos materiais.

brincadeiras-malditas-loira-do-banheiro-3Na verdade, você só vai precisar de um espelho (que fique dentro de um banheiro, mas acho que está subentendido no nome).

Entre no seu banheiro e tranque a porta. Se puder, apague as luzes (duvido!). De frente para o espelho, chame três vezes, em claro e bom som: “Loira!”

A lenda urbana baseada em porra nenhuma diz que, se você for corajoso o bastante para fazer esse chamamento, uma loira aparecerá no reflexo do espelho, pronta para te assassinar com todos os requintes de crueldade.

Chamando a Joana D’Arc

brincadeiras-malditas-joana-d-arc-1

Não há como dizer com precisão em quais lugares esta lenda tem sido difundida e perpetuada, mas é fato que a invocação da ilustre Joana D’Arc fez parte da vida de muitos nerds cuja infância tenha sido durante os anos 90.

brincadeiras-malditas-joana-d-arc-2Este ritual, por sua vez, é tão singelo quanto o descrito para a invocação da Loira do Banheiro. O procedimento é o mesmo: você se tranca em um banheiro e invoca três vezes o nome da santa guerreira.

Obviamente, ela irá aparecer e, respeitando o protocolo de aparições no banheiro, matará você.

Não que faça sentido uma mulher que ficou conhecida mundialmente por sua fé em vida cometer um ato tão anticristão.

A Brincadeira do Compasso

brincadeiras-malditas-brincadeira-do-compasso-1Inventada por algum bando de desocupados jovens brasileiros, a brincadeira do compasso teve seu início no início da década de 80, e permanece como hábito até hoje entre crianças dos 8 aos 12 anos de idade.

Para a execução desta terrível e assustadora (SQN) brincadeira, você vai precisar de um compasso, um pedaço de papel e muita perícia.

Na folha de papel, faça um círculo perfeito mentira, pode ser torto no papel, e nele inscreva todo o alfabeto e os números de 1 a 10.

Depois de pronto o círculo com letras e números, coloque o compasso no centro do papel e, junto com seus amiguinhos (desocupados), tente equilibrar o compasso em pé usando só a força do pensamento… E o dedo indicador.

Com isso, esperem o contato de algum espírito tão vagabundo quanto vocês, que apontará letras e números a fim de passar mensagens que respondam suas perguntas.

Vale dizer que o espírito é sempre de algum disléxico. Sim, pois vocês jamais conseguirão, em suas brincadeiras, montar uma palavra coerente que seja. As sílabas serão as mais loucas.

brincadeiras-malditas-brincadeira-do-compasso-3Ah, sim… E não pode deixar o compasso cair no chão.

Um de vocês por razão nenhuma morrerá caso isso aconteça.

No fim da bricadeira, você e seus amigos terão um monte de letras, que não formarão coisa alguma, rabiscadas no canto do papel, e alguém do grupo assustado o bastante pra não conseguir dormir direito pelos próximos dois dias… E alguém com os dedos furados pela ponta do compasso. Só.

Brincadeira do Copo

brincadeiras-malditas-brincadeira-do-copo-1

Essa é a versão brasileira safada da Tábua de Ouija. Para fazer a brincadeira do copo, você precisará de uma folha de papel e… (Adivinha!!!) de um copo!

Escreva na folha todo o alfabeto e os números de 1 a 10, enfileirados.

Coloquem um copo de vidro (transparente, seu bocó) sobre a folha, com a boca virada para dentro, e junto com seus amigos, posicione seu indicador sobre o copo. Comecem, ordenadamente, a fazer perguntas.

Em breve um espírito virá responder. Ou não…

O que vai acontecer é basicamente o que acontece nessa brincadeira do copo e do compasso… Ou seja: Nada!

Digo… É possível que você e seus amigos tenham os mesmos resultados incertos e bagunçados, sílabas incoerentes e alguém traumatizado.

OUIJA

brincadeiras-malditas-ouija-2

Finalmente um jogo decente!

O princípio em que se baseia o tabuleiro Ouija ficou conhecido depois de 1848, ano em que duas irmãs norte-americanas, Kate e Margaret Fox, supostamente contactaram um vendedor que havia morrido anos antes, e espalharam uma febre espiritualista pelos Estados Unidos e Europa.

brincadeiras-malditas-ouija-1Criada para ser usada como método da necromancia ou comunicação com espíritos, é uma superfície de madeira, plana com letras, números ou outros símbolos em que se coloca um indicador móvel.

Os participantes colocam os dedos sobre o indicador, que então se move pelo tabuleiro para responder perguntas e enviar mensagens.

Essa é uma brincadeira com um histórico um pouco mais hard core. Afinal, a história de Regan, a famosa e adorável garota d’O Exorcista, tem envolvimento direto com esse jogo. Em uma cena do filme, vemos Regan mexendo num tabuleiro de OUIJA. E pior é que a história aconteceu…

Tudo começou em janeiro de 1949, e envolveu um garoto de 13 anos de idade chamado Robbie, que vivia com os seus pais e a avó em Cottage City, Maryland. Diz-se que foi uma tia que o ensinou a mexer na tábua OUIJA. Após a morte de sua amada tia, ele começou a usar a tábua de OUIJA para se comunicar com ela, cada vez mais, até começar a ficar obcecado.

Foi então que começaram as primeiras manifestações… primeiro foram ouvidos sons de uma torneira pingando, depois começaram a ouvir-se como que barulhos de alguém arranhando a parede (arghhh!).

O pai de Robbie começou a mandar abaixo algumas paredes, convencido de que eram ratos. Mas deixaram os ratos em paz, e só passaram a se preocupar com coisas sérias de verdade quando a cama de Robbie e a cadeira onde o menino se sentava se mexeram sozinhas. Objetos moviam-se sozinhos, os quadros na parede mexiam-se, um vaso chegou a voar contra uma parede, uma cadeira arrastou-se de um lado a outro da sala. O próprio Robbie começou a ter pesadelos e a mudar: começou a ficar zangado, inquieto. Levaram o menino a fazer testes neurológicos, que não deram em nada.

Aconselhados por vizinhos religiosos, os pais do garoto procuraram um cardeal.

brincadeiras-malditas-o-exorcista-1E como não poderia deixar de ser, o Cardeal O’Boyle, depois de receber Robbie e os pais no seu escritório, teve várias manifestações: o telefone e outros objetos moveram-se, a sala ficou gelada e Robbie falou com uma voz diabólica, dizendo palavras obscenas.

Diante disso, o exorcismo foi autorizado.

Dois exorcismos foram feitos. O menino, ao recompôr-se, diz não se recordar de nada, apenas de uma visão de São Miguel Arcanjo.

Ainda quer brincar?

Depois desse rápido tutorial, você poderá dormir com muito mais tranquilidade, calma, e terá vários jogos saudáveis pra jogar no fim de semana junto com a criançada.

E não pensa no Diabo, que o Diabo aparece!

brincadeiras-malditas-o-exorcista-2