[GAMES] – 5 jogos que você não vai acreditar que foram baseados em fatos reais

Como foram criados por japoneses (ao menos no modelo que nós conhecemos após o grande crash da Atari de 84) é de certa forma esperado que os videogames partam de premissas bizarras e muito estranhas. Tipo o jogo em que você é o filho nanico do Rei de Todo Cosmos que tem que rolar uma bola grudenta para pegar objetos pq o seu pai tomou todas e na bebedeira perdeu as estrelas do universo.

10777-katamari (1)

Sério cara, nem pergunte…

Mas isso não quer dizer, no entanto, que volta e meia os videojogos não se baseiem em fatos verídicos. O problema é que esses fatos são tão estranhos que não é surpresa que eles sejam reais em primeiro lugar, mas acredite eles são! Vamos a alguns exemplos!

Hotline-Miami-02

HOTLINE MIAMI

O QUE É: Hotline Miami é um sucesso cult disponivel para download na XBOX Live e na PSN assim como para computadores. O jogo tem todo um feeling de anos 80, com bastante batida tecno, dorgas e ultraviolencia e não por acaso foi construido para parecer com um jogo de Nintendinho. Como boa homenagem aos anos 80 que é sua história é sangrenta, caótica e confusa, mas basicamente gira em torno de pessoas aleatórias recebendo chamadas telefonicas aleatórias de “agencias de serviço” (daí o Hotline do nome) mandando elas usarem mascaras, irem a outros lugares e matarem outras pessoas “senão…”. Quase tipo aquele golpe do falso sequestro por telefone.

A HISTÓRIA REAL POR DETRÁS DO JOGO: Acredite ou não, o jogo é baseado em um evento bastante similar que aconteceu durante dez anos nos Estados Unidos chamado “o trote da revista intima“. Basicamente se ligava para pequenos restaurantes em areas rurais e mandava os donos fazerem uma revista intima em suas funcionarias pq era a policia que estava ligando e eles iriam ter problemas se não fizessem. Entre 94 e 2004 mais de 70 casos deste gênero foram dados queixa na policia (e um numero infinitamente maior de casos não reportados, obviamente). Quando o responsavel foi preso em 2006 ele disse ter se inspirado em um episódio similar do seriado Law & Order em que Robin Willians fazia isso se passando pelo “detetive Milgram” (uma referencia ao experimento de Milgram a respeito da obediência a figuras de autoridade). Em 2012 o filme Compliance de Craig Zoebel foi feito baseado neste acontecimento.

FATAL FRAME

Fatal-Frameps2

MUITO BEM, quem deixou os japoneses fumarem oregano DENOVO?!

O QUE É: Fatal Frame é um dos jogos mais encagaçantes da história dos jogos encagaçantes. O jogo se passa no Japão, então imagine uma temática como O Chamado e O Grito, só que ao invés de ter armas (como seria normal em um jogo) tudo que você tem para se defender é uma maquina fotografica E quando você tira fotos o jogo fecha em um zoom de modo que você não tem idéia do que está acontecendo ao seu redor. Você se sente tenso, desprotegido (é só uma porcaria de uma camera, eu preciso de uma 12 com balas de sal pra me sentir seguro!), claustrofobico e infinitos niveis de cagaço.

A HISTÓRIA REAL POR DETRÁS DO JOGO: E se eu te dissesse que alem de ser um dos jogos mais cagalhivoros de todos os tempos, Fatal Frame também é baseado em uma história real? aí fudeu a barca de vez, né?

Pois bem, o jogo é baseado em uma lenda urbana japonesa que tem sérios indicios de ser baseada em acontecimentos reais. A história é a respeito de uma mansão assombrada nos arredores de Toquio, a mansão Himuro. A cada, aproximadamente, dez anos, a atual geração da família deveria realizar um ritual, chamado de Ritual do Estrangulamento. O ritual servia para livrar a casa de um karma, chamado de malice (Malícia em inglês), e que surgia no 13º dia do 12º mês.

28

Para o ritual era escolhida uma moça ainda bem jovem (algumas versões dizem ao nascer, outras quando esta completa sete anos), que ficava trancada em um quarto, longe do mundo exterior e da família, para manter sua alma limpa e não se “sujar” com a afeição ao mundo externo, neste quarto ela era cuidada por sacerdotizas do templo que havia na mansão, estas usavam máscaras para não deixar que a escolhida se apegasse à nenhuma delas.

A garota ficava trancada até atingir a idade adulta. Quando chegava a data certa ela era levada ao templo externo, onde era purificada no Santuário da Lua.

Então o atual patriarca da família, juntamente com sacerdotes, amarravam o corpo da garota com cordas nos pulsos, tornozelos, pescoço… Cordas ligadas à rodas ou animais de grande porte (Como bois e cavalos). Após as devidas orações serem feitas, os sacerdotes (Ou escravos, existem várias versões) começavam a girar a roda, de modo que os membros da moça eram esticados até serem arrancados totalmente (O ritual possui este nome por ela ser estrangulada ao mesmo tempo em que seus membros eram arrancados.). O sangue jorrava nas cordas, que depois eram usadas para lacrar o portal do karma que se abria em algum lugar do templo xintoísta.

Além do Ritual do Estrangulamento também havia o Ritual do Demônio Cego (não se sabe a relação com o ritual de estrangulamento mas este ritual parecia ser necessário para o sucesso do ritual de estrangulamento) a garota era escolhida (De acordo com a lenda de que a criança era escolhida aos sete anos). Uma outra moça era forçada a usar uma máscara com espetos nos olhos, cegando-a. Depois ela era colocada na maior sala da mansão com várias meninas, e começava uma espécie de “pega-pega”. A moça cega era apresentada como o “Oni” (Demônio) e deveria pegar todas as garotas. A primeira a ser pega seria a próxima “Oni” da seleção daqui a dez anos, cegada pela máscara. Ela seria a mais fácil de ser pega por ser “cega” ao demônio. A última a ser pega, portanto, seria a próxima Sacerdotiza do Santuário da Corda, pois podia “ver o mal” e portanto fugia dele com maior facilidade.

Uma vez, porém, algo saiu errado e a Donzela do Santuário da Corda acabou se apaixonando por um rapaz que ela vira, sem querer, pela janela da mansão. Juntos eles planejavam fugir para impedir o infortúnio que recaíria sobre a garota. Mas o patriarca descobriu, e, num acesso de loucura por saber que a alma da escolhida estava “impura”, pegou uma espada e matou todos que estavam presentes na mansão naquele momento. Envergonhado com sua falha de prevenir a calamidade, ele caiu sobre sua própria katana cometendo suicídio. A Família Himuro e os rituais performados por ela agora estavam mortos. As pessoas locais ficaram quietas quanto a história, e eles não estavam nada ansiosos para descobrir detalhes das mortes.

Ainda hoje, esforços são feitos para descobrir mais informações sobre a família e sua tragédia, mas os registros são poucos. Um time de pesquisadores foi mandado para a mansão para obter informações, foi assim que boa parte da história verdadeira foi descoberta. A história propriamente está deformada por lendas locais e mistérios, e acredita-se que almas vingativas da família assassinada assombram a mansão, repetindo o ritual que falhou com aqueles que ousam entrar no edifício abandonado. O que é talvez a parte mais aterradora da história é que boa parte dela á verdadeira, incluindo os sacrifícios e os assassinatos. A verdadeira mansão permanece abandonada kilômetros fora de Tókio.

A Tecmo (criadora do jogo) teve cuidadosa precaução para replicar a Mansão. Pequenas marcas de sangue espalhadas no chão e nas paredes do jogo, são marcas verdadeiras achadas pelos pesquisadores.Pesquisadoras também acharam as estranhas estátuas de Budhas ensangüentados e bonecas, usadas para passar de um quarto para o outro na mansão; cabeças decepadas, cordas e amuletos estranhos foram achados espalhados pela mansão. Ocasionalmente, fotos reais tiradas de objetos e locais na mansão revelaram uma imagem fantasmagórica de uma menina de kimono branco que acreditam que seja a donzela assassinada pelo ritual. A lenda diz também que pessoas que entram na mansão durante essa época amaldiçoada do ano tendem a ser encontradas mortas depois com marcas de cordas nos membros e no pescoço.

Embora essa parte da lenda seja, bem, lenda, até hoje segue sem solução o desaparecimento de pelo menos 7 pessoas na região. Se um dia lançarem um “Japan Horror Story”, certamente poderia começar por esse lugar.

Apropósito esses rituais xintoistas não eram de todo estranhos nas era primordiais do Japão, embora claro que tenham sido banidos conforme o progresso do país e o caso da mansão Himuro se tornou famoso por ter sido um dos ultimos templos xintoistas “hardcore” a existirem nos tempos modernos. Acho que isso ajuda a explicar muito sobre o que há de errado com nossos amigos amarelicos…

27NUNCA olhe para esta foto dia 13 de dezembro a meia noite de cabeça para baixo. NUNCA.

ASSASSIN’S CREED

O QUE É: Talvez a mais bem sucedida franquia criada nesta geração, Assassin’s Creed conta as aventuras mutcho lokas de Desmond Miles que usa as memórias de seus antepassados guardadas em seu DNA para ajudar os Assassinos a salvar o mundo da tirania dos Templários. E de um pulso solar que vai passar a rapa geral, também.

AC1_Monitoring_Desmond

COMO ASSIM ELE ESTÁ USANDO PARA JOGAR DOOM?!

A HISTÓRIA REAL POR DETRÁS DO JOGO: Como é que é? Reviver memórias armazenadas no DNA? Tu bebeste, foi? Bom, sim, mas não tanto quanto eu deveria.

Cientistas da universidade de medicina de Atlanta descobriram que é realmente possível gravar memórias no DNA para uso das futuras gerações. No experimento, ratos foram induzidos a ter medo do cheiro da flor de cerejeira antes de serem fecundados (ou seja la como se chama quando se cruza ratos). O resulto foi que as proximas gerações, que foram concebidas após o medo ser devidamente memorizado, já nasciam com essa memória.

Ou seja, é possível sim gravar memórias simples e primitivas (como medo, desejo, etc) em memórias e passa-las adiante. O que não só explica muito da bobajada de “vidas passadas” (algumas pessoas simplesmente nascem com um horror genuino a determinados elementos ou situações) como também supõe-se que refinar isso para armazenar memórias complexas (como no caso de Assassin’s Creed) não é realmente tão forçado assim. Nada é real, tudo é permitido.

STREET FIGHTER

O QUE É: Quer dizer, eu realmente preciso explicar? É apenas o jogo que criou o conceito “jogos de luta” e um dos maiores classicos entre os classicos! Street Fighter é sobre um torneio de “lutadores de rua” que vem dos 45 cantos do mundo para ser o campeão dos campeões. Cada lutador tem uma nacionalidade e um estilo estereotipico de seu local, como “el matador” espanhol, o monstro-fera da amazonia, o japones de kimono, o tailandes do muay-thay, o indiano que luta yoga, o… espera, o que? Hã, bem, deixa pra lá… seja como for, Street Fighter é tipo o precursor do MMA, por assim dizer.

A HISTÓRIA REAL POR DETRÁS DO JOGO: Entre outras coisas, o jogo é baseado em um dos maiores classicos da história dos classicos da Sessão da Tarde: O Grande Dragão Branco, melhor filme da vida do Van Damme e um dos meus favoritos de todos os tempos. O grande vilão do filme, o japinha dumau Chong Li, não tem uma fala que não seja uma citação épica. Bolo Yeung é deus.

5336179_tml

Bolo Yeung já tinha la pelos 50 anos de idade quando fez este filme. Bãi.
Aproposito ele faz um vilão no filme Operação Dragão, mas não chega a lutar contra o Bruce Lee (a unica falha do filme)

 O que talvez nem toda malta (como dizem nossos patricios portugueses) saibam é que Bloodsport (que foi a inspiração de Street Fighter) foi baseado em uma história real conforme conta a biografia (mais ou menos real) do artista marcial Frank Dux. O Kumite era um torneio entre lutadores de todos os cantos do globo com os mais variados estilos e tamanhos a partir dos anos 70 em locais menos visados do mundo. Embora não fosse exatamente secreto (revistas especializadas da época falam sobre o evento), o Kumite não era algo da grande midia e era uma época em que não havia internet de modo que não é de todo estranho que fosse algo meio obscuro. Os registros não falam de nenhum homem-fera da amazonia que aprendeu a dar choques observando as enguias enfrentando um lutador de yoga (?!?) indiano usando ornamentos de vudu (india, africa, caribe, tudo a mesma coisa né?) que pudesse esticar os seus membros. Até onde sabemos.

sfii-blanka-vs-dhalsim

THE LAST OF US

O QUE É: Um dos jogos mais aclamados de 2013, esse divertido jogo de zumbis foca no relacionamento entre os personagens e o desenvolvimento deles. Mas por detrás disso há a história de que o mundo acabou devido ao apocalipse zumbi causado por um fungo. Conforme a infecção do fungo progride o hospedeiro vai perdendo a visão (que é substituida por um grande senso de audição) e desenvolvendo um tipo de exoesqueleto de placas, o que serve perfeitamente ao proposito do jogo de dar diferentes tipos de adversários conforme o estagio de infecção da vitima (que pode ser contaminada por mordidas, arranhões ou nuves de esporos aleatorias). O fungo se chama Cordyceptis e como o fundo é, bem, um fungo, ele pode viver por centenas até milhares de anos (de modo que sentar e esperar os zumbis apodrecerem não é uma opção)

the_last_of_us__live_action_uk_by_jwbeyond-d69gsdn

Um zumbi com uma DST horrorosa na cabeça.
Pode ser você amanhã.

A HISTÓRIA REAL POR DETRÁS DO JOGO: O que você não sabia é que o fungo do jogo é baseado em um fungo real que existe no nosso mundo (sim, é redundante, mas estou falando de zumbificação em massa aqui!). O fungo ophiocordyceps unilateralis é conhecido por infectar formigas (também conhecidas como formigas-zumbi) e uma vez no hospedeiro faz com que a formiga caia da arvore onde está e volte a base do ninho, onde o ataca. O fungo então usa isso para se espalhar por todo o ninho. Yep, isso mesmo, um fungo zumbificante existe de verdade e ele é conhecido por existir em areas da Tailandia, Africa e Brasil-sil-sil.

Ou seja, estamos a uma mutação azarada de começar o apocalipse zumbi no conforto do nosso lar. Tenham um bom dia 🙂

FIVE NIGHT AT FREDDIE’S

Esse eu já mostrei aqui no nosso especial de Halloween, confira!