[EVENTOS] ANIME XTREME: saiba tudo que (não) rolou no primeiro dia da maior feira de animes do sul

16974148

O AnimeXtreme de Porto Alegre é, tradicionalmente, o maior evento de animes do sul do Brasil. Entretanto quando eu entrei na avenida Assis Brasil hoje ao meio dia tive a impressão que se tratava de um dos maiores eventos do mundo.

Isso porque era meio-dia e a fila passava fácil dos cinco quilômetros (sem exagero, eu contei no odômetro) sendo que o portão supostamente deveria ter aberto as 9 da manhã. Ora, se o negócio abre as nove, e ao meio dia ainda tinha 5km de fila, nem um show do Freddie Mercury em parceria com o John Lennon e a Scarlett Johansson fazendo striptease daria tamanho aglomerado de gente.

Como vocês podem imaginar, eu sou um eterno sonhador.

Não era nada tão épico assim.

Nem isso geraria 5km de fila por três horas.

Nem isso geraria 5km de fila por três horas.

Acontece que a direção do evento não conseguiu o alvará para liberação do Corpo de Bombeiros da capital gaúcha, sendo que o negócio estava marcado, no mínimo, há uns dez meses.

O resultado foi que mais de dez mil pessoas ficaram sob a mercê de São Pedro e dos motoristas fdp (poça d’água + pedestre perto = vocês já sabe o quê) por cinco horas, para finalmente a direção do evento se dar conta que o Corpo de Bombeiros não ia fazer brotar analmente um alvará em pleno sábado antes de mandar os Blastoises dispersarem a galera.

Eat_poop

Essa imagem é completamente não relacionada, mas vou deixar aqui mesmo assim, apenas porque é a melhor frase da história dos animes

Verdade que àquela altura a turba já estava ficando impaciente, e rapidamente qualquer rastilho de desavença poderia se tornar uma guerra civil – já que contávamos com um farto número de espadas plásticas oriundas dos cosplays. Verdade seja dita, já vi animes com plots menos interessantes do que esse…

Seja como for, você percebe que a situação está à beira do caos absoluto quando lá pelas tantas o pessoal (ao menos os do portão, perto da onde eu estava, não faço nem ideia de  que espécie de nação independente se tornou o pessoal 5km mais pra trás na fila) começou a entoar palavras de ordem em coro, que começaram razoáveis com “Dilma viada!” mas rapidamente descambaram para a loucura como alguém gritando “Naruto é melhor do que Goku!“. Loucura, eu digo.

Aquele cara que dizia que “inferno era uma questão de tempo” não fazia ideia de como ele estava certo.

Novamente, pica não relatada mas... né?

Novamente, pica não relatada mas… né?

Então, por volta da uma e meia da tarde, uma nação nômade já havia se desenvolvido com suas próprias regras e costumes – sério, nunca vi otakus correrem tão rápido como quando a menina com cosplay de Mei Ling puxou uma garrafa com um liquido cor-de-rosa (que ao meu critério parecia xarope, mas não estávamos em posição de questionar) e logo foi eleita a xerife local. O que é terrivelmente injusto, porque tinha uma menina com um cosplay de Caitlyn muito bom, e todo mundo sabe que a Caitlinda é a fucking xerife saporra.

Foto aleatória de cosplay da Caitlyn porque... eu preciso mesmo de um motivo?

Foto aleatória de cosplay da Caitlyn porque… eu preciso mesmo de um motivo?

A única informação oficial vinda da direção do evento foi que seria comunicado o fabuloso destino de Amélie Poulain através do site do evento… que até o presente momento está convenientemente fora do ar.

Em resposta, o Corpo de Bombeiros declarou à imprensa que recebeu o pedido de vistoria apenas às 19:30 da sexta-feira. Ah cara, serião, sabe o que isso quer dizer? Sabe o que isso significa?

Ah vai a merda porrrrrrrrrrrrrrraaaaaaaaaaaa! Vai a merdaaaaaaaaaaa! To louco então, seu  bando de funguentos safados! Vão se lavar com bicarbonato de sódio!

Porque não era apenas pelos 20 centavos pelo ingresso, mas também porque houveram caravanas de todas as partes do estado e de outros estados, assim como um grande investimento emocional na expectativa do evento (ou ao menos meu advogado mandou eu alegar isso depois, no processo de danos morais, não entendi muito bem, mas tá valendo). E aí comofas///

Também não foi comunicado nada sobre o que acontecerá no dia seguinte, mas eu não apostaria meu cosplayzinho nisso.

Para vocês terem uma ideia de como a parada foi uma filhadaputagem sinistra e mor, normalmente eu fico bastante depressivo em locais muito movimentados – tipo com famílias, pessoas se divertindo com os amigos ou casais de namorados compartilhando atividades legais juntos, esse tipo de coisa que nerds gordos amargurados como eu jamais sentirão – mas eu to perfeitamente de boa com a situação, tamanho o transtorno e prejuízo causado na vida das pessoas. Acho que isso quer dizer muita coisa. 😉

Vai a merda Korra! (o que não tem nada haver, mas ainda estou no espirito do ultimo video)

Vai a merda Korra! (o que não tem nada haver, mas ainda estou no espirito do último vídeo)

O que no fim foi uma grande decepção, porque teriam coisas bem legais hoje, como uma entrevista com o mítico Carlos Seidl (apenas o dublador do Seu Madruga) e um show do Detonator (sim, aquele do Massacration) por exemplo.

E basicamente foi isso que não aconteceu no AnimeXtreme deste ano (não surpreendentemente o último depois desse), trazido até vocês em primeira mão. Desta grande experiência eu certamente carregarei eternamente em meu coração uma frase aleatória que ouvi na fila de um cara:

“Estou há quatro horas nessa fila e os yaoi tão secando minha bunda!”

Isso diz tudo, amigos. Isso diz tudo.

4 thoughts on “[EVENTOS] ANIME XTREME: saiba tudo que (não) rolou no primeiro dia da maior feira de animes do sul

Comments are closed.