[ENTREVISTA] Quando os nerds fazem a diferença: conheça o CineNerd dos “Nerds Paraenses”

Chegou dezembro e chegou também o espírito solidário de Natal. É muito comum nessa época do ano campanhas de arrecadação de roupas, alimentos e brinquedos para atender comunidades carentes. Porém muitas pessoas convivem durante o ano inteiro com grandes adversidades.

Pelo menos em Belém do Pará, comunidades carentes contam com o apoio dos nerds que além de se reunirem para desfrutarem divertidas sessões de cinema promovidas pelo “CineNerd”, ajudam a quem precisa.

Vamos conhecer então o “CineNerd”, projeto do grupo “Nerds Paraenses”, através da entrevista concedida ao Nerd-Geek Feelings pelo publicitário e administrador do grupo, Diego Borges.

Nerd-Geek Feelings: Como define o “Nerds Paraenses”?

Diego Borges: Eu sempre costumo dizer que nós não somos um fim, somos um meio, por isso o (Nerds Paraenses) NP não é um site ou grupo gerador de conteúdo, mas de compartilhamento. Nossos editores e criadores de conteúdo tem sites e blogs de cultura e para nós é uma honra que eles gerem a informação, nós só administramos e garantimos seu acesso em nossas plataformas (grupo e fanpage). Outro ponto que me orgulho do nosso grupo é que lá permitimos APENAS conteúdo cultural, não aceitando nenhuma postagem comercial, politica, religiosa ou pornográfica, isso faz com que o pessoal que frequenta encontra um ambiente saudável, informativo e livre de tretas.

NGF: Como surgiu a ideia do CineNerd?

Diego Borges: O Cinenerd surgiu para responder um “problema” que vinha me perturbando: O Nerd é um ser essencialmente egoísta, vive em um mundo a parte com pessoas iguais a ele, gerando conteúdo e consumo para si e para seus iguais, sem contribuir com o resto da sociedade em que vive. Nós somos um grupo de quase dez mil pessoas, eu achei que estava na hora de mudar isso.

NGF: Qual é a proposta do CineNerd?

Diego Borges: A ideia é passar filmes que não tiveram vez nos cinemas nacionais, seja por problemas de distribuição ou lobby de alguns estúdios. São duas sessões por mês que acontecem totalmente sem fins lucrativos, pois o ingresso é um kilo de alimento não perecível.

NGF: Os alimentos arrecadados durante as sessões são destinadas a comunidades carentes. Quais comunidades são assistidas? Por que elas?

Diego Borges: O CineNerd foi criado em parceria com a Fundação Cultural do Pará, que tem entre seus parceiros alguns comunidades ribeirinhas que ajuda constantemente, nosso projeto ajuda essas mesmas comunidades.  Te confesso que não sei precisar os nomes das comunidades, pois nunca fui lá. Eu meio que gosto de ajudar pessoas que nem sabem quem eu sou, é meio que minha identidade secreta euheuheuhe.

NGF: Há algum tipo de prestação de serviço do projeto social do CineNerd?

Diego Borges: Sim, todos os membros do grupo que frequentam as sessões sabem das comunidades ribeirinhas, eles inclusive já nos passaram fotos das entregas e camisetas das comunidades atendidas para sorteios no grupo.

NGF: O CineNerd irá concluir uma mostra integral dos filme de Quentin Tarantino lançados até então, qual a importância de uma programação como essa dentro do contexto dos circuitos alternativos de cinema?

Diego Borges: Quentin Tarantino sempre foi meu diretor favorito, um gênio muito a frente do seu tempo e que foi um dos pioneiros do universo compartilhado no cinema (ele e o Zé do Caixão, mas isso é outra história). Tarantino tem um estilo tão único que não pode ser definido por estilos pré-determinados de filmes, fazendo que a grande maioria dos seus filmes tenha passado despercebido pelo grande público, basicamente o conceito do cinenerd.

Mas eu confesso que quando o grupo comprou a ideia eu exagerei ao ir atrás dos curtas obscuros de quando ele trabalhava em uma locadora até os episódios que ele fez para a tv de Plantão Médico e CSI.

Até o momento foram treze sessões e agora no dia 13 de dezembro vamos exibir a última, Django, que faz ligações diretas com PulpFiction e Kill Bill.

12310530_926557990772297_1015054487186143510_n

Fotos da sessão realizada no dia 29 de novembro que exibiu “Bastardos Inglórios”.

12278901_926558020772294_1954721608770958763_n

NGF: Em novembro, o CineNerd correu o risco de acabar, porém houve uma reação contra ao fim das sessões que gerou mobilização nas redes sociais? Como reagiu a isso?

Diego Borges: Eu fiquei sem palavras. Quando eu e o Fred começamos o projeto a ideia era reunir alguns amigos para assistir bons filmes e ajudar um pouco as pessoas, eu nunca ia imaginar que ia tomar uma proporção tão grande, com tanta gente querendo fazer parte, querendo fazer a diferença.

NGF: O CineNerd então continua? O que teremos para 2016?

Diego Borges: Continua firme e forte. Inclusive já posso adiantar que em janeiro vamos exibir Scott Pillgrim e Evildead. Para o resto do ano vamos entrar com doação de livros e com uma campanha de doação de sangue, onde quem levar seu comprovante de doador vai participar de sorteios extras de nossos patrocinadores.

NGF: Algumas considerações finais?

Diego Borges: Eu queria agradecer ao Nerd-Geek Feelings por essa oportunidade, toda a divulgação que o projeto receber é muito bem-vinda pois podemos arrecadar ainda mais alimentos. Queria aproveitar também para convidar o pessoal para conhecer o grupo, mesmo quem não é de Belém, pois todos os dias têm posts com as ultimas novidades sobre cultura pop em geral. O pessoal é meio doido, mas não morde ninguém.

As sessões do CineNerd são realizadas no Cine Líbero Luxardo localizado na Av. Gentil Bittencourt, 650, Nazaré, Belém, Pará. Conheça e faça parte do grupo Nerds Paraenses clicando aqui.