[ANIME] ELFEN LIED – Uma aula sobre como não fazer um anime

Capa-Elfen-Lied

A adolescência é uma fase complicada: não somos adultos ainda mas ao mesmo tempo também não somos mais crianças também e isso representa uma confusão mental terrível. Aparentemente muitas pessoas nunca passaram desta fase…

E uma das características mais marcantes desta fase é justamente a necessidade de querer provar (tanto para si mesmo quanto para o mundo) que você não é mais criança – sendo que poucas coisas são realmente mais infantis do que afirmar “eu não sou mais criança”.

Por isso nessa fase tendemos a gostar de coisas que julgamos serem coisas de adultos e constrangedoramente acabamos, cedo ou tarde, topando com animes que é uma coisa feita para crianças mas com elementos que seriam encontrados em “coisas para adultos” (apenas porque é da cultura japonesa isso).

Animes, não raramente, tem entre suas histórias fracas e seus personagens criados em um gerador aleatório escrito em java cenas abundandes de violência, gore e fanservice descarado para alegria dos nossos hormonios desiquilibrados.

E isso está ok, faz parte do ciclo da vida que nos guiaraaaaaaaa.

Está ok gostar de anime quando você é adolescente, está ok gostar de Elfen Lied quando você é adolescente.
Isso não me impressiona, o que me impressiona mesmo é o quanto de adultos (supostamente formados já) afirmando que ainda gostam desta bobagem e não só isso como consideram “artistico” ou “chocante”.

Lembrar que o voto destas pessoas vale o mesmo que o meu é um dos motivos que me faz perder a esperança de um futuro melhor.

Vamos lá então…

Se você procurar no dicionário a expressão “pseudo-intelectual pretencioso” não vai encontrar pq é um dicionário oras. Mas se existisse e se ele fosse ilustrado ele teria a imagem deste anime como avatar.

Elfen Lied é mais ou menos sobre uma mutante com poderes psiquícos que sai por aí em um rampante de morte, sangue e vingança. E desmembramento. E muito sangue. E uma quantidade absolutamente sem sentido de nudez.

vlcsnap-1073461aSim, nessa cena ela está mostrando o peito para o espectador sem motivo nenhum.
Até filmes de horror baratos ao menos tentam inventar uma desculpa para mostrar peitos, algo que essa “obra intelectual” nem cogita fazer.

Lucy é uma diclonius (um tipo de mutante que tem orelinhas de gato calcificadas (?!?) na cabeça e poderes psiquicos na forma de braços invisiveis) que um dia foge da instalação onde ela era cobaia matando tudo que se encontra no seu caminho apenas porque ela podia (afe). Então no fim desta fuga ela leva um tiro na cabeça e cai no oceano, acordando em uma praia aleatória onde um moleque (que convenientemente é uma daquelas crianças de anime que não mora com os pais) a leva pra casa porque… bem, era uma ruiva pelada com chifres que só sabia fazer o som de um pokemon, o que mais você faria?

A “agencia” então começa a caçar Lucy (que é chamada de Nyuu porque esse é o unico som que ela consegue fazer depois de levar um tiro na cabeça) e envia outros diclonius com nível de super sayajin tentaculos mais poderosos para recupera-la e quando tudo isso falha mandam o exercito e a guarda nacional atrás dela, todos os quais acabam devidamente destroçados.

Colocando assim, no papel, não é TÃO ruim assim e tem um certo potencial. O problema é que o anime não se contenta ser uma cruza medonha entre Carrie, a Estranha e o Incrível Hulk. O problema é que o anime está tão desesperado por “chocar” e ser “revolucionario” que ele tenta ser diversas coisas ao mesmo tempo e é aí que fode a barca.

vlcsnap-1072517Daqui a dois segundos vai ter uma cena microscopicamente filmada de dedos sendo mutilados

Pra começar que EL tenta ser um “anime de harem”, um genero que é muito popular no Japão visto que é escrito por e para nerds perdedores. Essencialmente um “anime de harem” é um genero em que um mané perdedor qualquer (como eu e você) subitamente e apenas graças a força magica da piroca divina passa a morar e se torna alvo de diversas femeas da espécie. Eu sei, você sabe, nós adorariamos que algo magicamente caísse do céu no nosso colo e enquanto ver essa fantasia visualmente representada não é ruim por si só a coisa tende a descambar para níveis vergonhosos quando ela tenta se levar a sério.

Kouta, que é o mané aleatório no caso, de uma hora pra outra passa a morar com a sua “serial killer que gosta de andar pelada e achar que é um pokemon” (e eu poderia muito bem encerrar com essa frase para que você entendesse tudo que tem de errado com esse anime), uma menina de rua aleatória que não usa calças (sério) e sua prima, ambas loucas para andar na gangorra mágica do amor dele mas como isso é um anime para perdedores ninguém pega ninguém para que o publico-alvo possa se identificar.

vlcsnap-1646141Nossa, dá pra sentir a intelectualidade da obra pingando!

Se tentasse ser apenas um anime de harem com cenas desnecessárias de violencia e peladisse estariamos ok com isso. Mas não. O anime meteu que vai a todo custo, custe o que custar, te chocar e te fazer chorar ao mesmo tempo (tipo um Game of Thrones mas escrito com a qualidade de um fanfic.

O anime é tão desesperado em te fazer sentir pena dos personagens que ultrapassa os limites do ridiculo. Por exemplo a tal da Lucy eventualmente tem seu passado revelado e é explicado porque ela é uma serial killer sem remorso. Experiencias do governo? Hmm, quase, mas não. A vida inteira trancada em um laboratório? Também não exatamente isso.

O grande problema, todo o problema da Lucy na verdade é que quando ela era criança ela sofria bullying na escola por ter chifres na cabeça e um bando de pias mataram seu cachorrinho. E para aumentar a chocabilidade tinha que ser um filhotinho, claro. E por isso ela decide que odeia a humanidade e matará qualquer coisa que ande, caminhe ou rasteje sem o menor pingo de remorso.

Quer dizer, sério? Sério mesmo que esse é  grande problema todo? Sério MESMO?
E aí Logan, porque você mata pessoas? “Ah, eu poderia relevar a coisa do preconceito contra ser um mutante e tudo mais, mas quando mataram meu cachorrinho eu decidi que era hora de virar o Wolverine e acabar com essa raça de desgraçados”.

Que horror. Sério. Eu sinto uma dor fisica ao saber que eu vivo em um mundo em que alguém propos uma merda dessas sem levar um tabefe na cara, e não obstante recebeu dinheiro para levar o projeto afrente e ainda teve gente que gostou. O que tem de errado com vocês?

Todos os outros personagens são tão bem desenvolvidos quanto, tipo a diclonius que passou a VIDA TODA trancada em uma sala e quando sai… tem a personalidade perfeitamente normal de uma adoravel menininha saudavel e daí ladeira abaixo. Se você perguntar “vocês não estão nem ao menos tentando?” a resposta vai ser “não! huehueheuheu!”.

elfen-lied-outracoisaSim, a vida dela inteira foi apenas isso. Mas não se preocupe, ela não vai sair com nenhuma cicatriz emocional disso. Mesmo. Na verdade ela é mais mental e emocionalmente saudavel do que eu e você juntos.

Vou te dizer que a tal da Lucy eventualmente mata os pais do Kouta em um ataque de pelancas na frente dele e dois minutos depois ele continua agindo como se nada tivesse acontecido. Na verdade ele fica com mais pena dela ainda e beija ela, ele sequer fica chateado por toda sua família ter sido esquartejada pela mutante. Aos dez anos você já escrevia fanfics melhores do que isso.

Sem exagero que o anime é ruim assim.

E então tem a parte do gore. Em um desrespeito as leis da anatomia de uma forma que fariam um filme do Jason parecer cientifico, os personagens de Elfen Lied tem mais sangue jorrando que um cavaleiro do zodiaco hemofilico e existem tantos desmembramentos que chega a ficar comico – eu juro que esse anime ganharia todo o meu respeito se parasse de tentar se levar a sério e uma hora, em um dos 1689 desmembramentos alguém dissesse “It’s just a flesh wound!”

8famgllNa verdade a cara dela “ah crap… outra vez…” é deveras engraçada

E enquanto todo esse fanservice (por nenhum motivo as meninas do anime tem um verdadeiro pavor a usar roupas) e gore seriam gloriosos em um filme B, chamar isso de “artistico” é um caminho inteiramente diferente…

As pessoas dizem que Elfen Lied é “profundo e trágico”, mas na boa é só um anime de harem com uma quantidade de gore e nudez sem o menor sentido, e personagens que conseguem fazer menos sentido ainda. Ser “pertubador” é completamente diferente de “chocar apenas por chocar”.

Eu já disse isso algumas vezes até agora mas eu não posso estressar o suficiente sobre o quanto o anime é mal escrito. Tipo quando a Lucy, ainda criança decide tocar o foda-se e sair matando geral ela invade a casa das pessoas e estraçalha familias inteiras pra ter um lugar pra dormir – PORQUE ALGUEM, que não tem relação nenhuma com as milhares de pessoas que ela mata depois, MATOU O CACHORRINHO DELA. Desculpe, mas era pra eu ter pena dela? Sério?Na verdade todos os personagens sofrem essa falta de coerencia e quando uma “morte dramática” acontece (chocar! chocar! chocar!) a única coisa que você realmente consegue pensar é “meh… tu mereceu mesmo…”

vlcsnap-5400191E aí já ficou chocado? Pq é para ficar chocado. Já está chocado? E agora? Já ficou chocado? Chocado? Chocado? Chocado?

Ou então o fato de que apesar dos militares saberem exatamente quais são os poderes da Lucy e mais importante: o alcance deles, mandam duplas de soldados para para-la convenientemente dentro do alcance dela. Apenas pelo prazer de ter mais cenas de trucidação.Ou quem sabe ainda a cena em que um relógio que estava quebrado (e sem suas peças por dentro) volta a funcionar apenas, e apenas por esse motivo, porque seria dramaticamente impactante que ele badalasse naquela hora.

Elfen Lied é REALMENTE mal escrito desse jeito…

lucy-reference

A profundidade do anime … é tão profundo… tão profundo…
nossos sensores não vão aguentar muito mais, capitão!

E sem contar que essa coisa de “a humanidade é intrinsecamente má e não tem nenhuma qualidade redentora” já deu o que tinha que dar desde o Antigo Testamento, né?

Mas não, parece que porque o anime tem a abertura cantada em latim e ilustrada com desenhos baseados nas obras de Gustav Klint é tudo que importa para as pessoas. É como se elas dissesem “oba, taí minha chance de provar que sou intelectual!” e isso bastasse. O que é bem infantil na verdade…

363px-Gustav_Klimt_031

História: 5/10
Um conceito interessante com bastante potencial, mas fica nisso. O começo não é ruim por si só, eu mais do que ninguém respeito ultraviolencia descerebrada mas tudo que vem depois disso vai ladeira abaixo. Ou penhasco abaixo, para ser  mais preciso.
Nada acontece porque faz sentido acontecer, apenas pela coisa de chocar. Os eventos acontecem apenas porque seria dramatico que ele acontecessem, não porque são parte de uma história. O anime é uma bagunça de harem fofinho com violencia e drama de uma forma completamente desconexa.

Personagens: 1/10
Eu não tenho nada de bom para dizer a respeito do elenco. Nada. Esse anime foi escrito com o “manual dos cliches de anime” embaixo do braço, só pode.

Nós temos o protagonista masculino patético e indecidido (que de alguma forma monta um harem de meninas de rua, que coisa linda), nossa bela e misteriosa garota silenciosa, a garota bonitinha que só esta ali para ser o par romantico “normal” do protagonista, a garota frágil de passado sombrio, pode nomear que tem.

Na maior parte do tempo os personagens agem menos do que naturalmente e fora do personagem apenas para cumprir uma função do roteiro de uma forma que não faz o menor sentido mesmo dentro do cenário proposto.

Geral: 1/10

“Uma obra profunda sobre o lado sombrio da natureza humana”, quanta bobagem. Se já foi repetido aqui que é só uma bagunça de fanservice, violencia e cenas cutes apenas porque os otakus gostam, é porque é apenas isso mesmo. Elfen Lied foi feito para ser aqueles animes “super profundos” que você pode contar aos seus amigos “eu assisti e chorei até não poder mais, sou super maduro”.

Desculpe, mas não tem nada de maduro em um anime ruim de harem sobre uma catgirl. Na verdade é uma das coisas mais infantis e superficiais (para não dizer mal escritas) que eu já vi na minha vida. Debaixo do fanservice e do sangue (mal desenhado, alias) não tem nada.

Agora respire profundamente e me diga: como você pode não ter vergonha de si mesmo ao dizer que gosta desse anime? Pois é, foi o que eu pensei…

Como diria o grande pensador Zoidberg, “Esse anime é ruim e você deveria se sentir mal!” (não soa tão legal em portugues)

17374546

 

11 thoughts on “[ANIME] ELFEN LIED – Uma aula sobre como não fazer um anime

  1. Desse anime eu conheço quase só a abertura mesmo, que é bem bonita e tem uma música que eu adoro. De resto eu vi o primeiro episódio e isso aparentemente não me interessou o bastante para que eu procurasse o segundo. Sinceramente, eu nunca imaginava que havia pessoas que levavam essa joça a sério desse jeito ou consideravam isso “artístico” ou “profundo”… deve ser só por causa da abertura mesmo.

    • Na verdade é usualmente citado como “o melhor anime de todos os tempos” e se você procurar vai encontrar raríssimas opiniões contrárias. Acho que dizer que gosta de Elfen Lied (por causa da abertura, NÃO EXISTE outro motivo) é o equivalente digital a ter uma estante repleta de livros de aspecto pedantes que você nunca vai ler

  2. Sem falar no caso da personagem que foi abusada sexualmente pelo padastro na infancia e, ao ser convidada por um estranho para morar com ele, aceita logo de cara. GENTE!! qualquer escritor iniciante saberia que se há uma história de abuso sexual por trás de uma personagem haverá um trauma de se relacionar com outros homens, ainda mais estranhos

  3. OK, nerd safado, acho que você não é tão inteligente assim, p/ mim você só enxerga superficialidades, se elfen lied é ruim, qual é bom?

  4. Pingback: [ADLER COMENTA] Porquê eu comprei Enigma: o enigma | NERD GEEK FEELINGS

  5. Cara nem aguentei ler o resto da sua crítica,se VC odiou o anime e ta tentando a todo custo denegrir a imagem do anime,pó tenho 34 anos vi elfen lied em 2009, e posso afirmar e uma obra de arte,sou um cara totalmente seco em questões de romantismo,mais chorei com a cena final da Lucy e o kouta, se declarando,que amava aquela menininha e essa atual,pó achei bacana o intelecto seu e sua crítica,somente nos argumentos que VC viajou muito,antes de tudo isso e um anime,não um filme de wodi halen,e pó animes não e feito apenas para criança, tem três públicos alvo no Japão, criança teem e acima de trinta anos, vê o death note,tem gente que ama e que odeia,

    • Em nome do Cilon, que morreu mas meu corpo namekuseijin absorveu, te digo que seu comentário acabou no “tenho 34 anos”.

  6. Esqueci de falar o fato do relógio voltar a funcionar foi uma alusão, isso mesmo alusão, não ilusão, se VC percebeu quando a Lucy estava na forma de nyuu ela tinha fascínio pelo relógio,então na última cena,depois dela trucidar militares e ser fuzilada a ponto de perder um dos chifres,nos deu a entender que ela nao morreu,provavelmente ela estava lá vivendo com eles,depois de um tempo e concertou o relógio

Comments are closed.