[DIA DA MULHER] Mulheres Guerreiras!

Quando se está no campo de batalha, frente ao exercito inimigo, com certeza você irá querer bons companheiros ao seu lado, enquanto a batalha permeia a face da morte. E neste Dia da Mulher qualquer guerreiro que se preze, desde Aragorn até mesmo Conan, vai querer essas guerreiras batalhando no mesmo flanco que ele. 

Você não vai querer enfrenta-las, caso contrário o sabor pode ser amargo.

Brienne de Tarth

A guerreira da Ilha Safira teve uma infância difícil, onde era menosprezada pela sua aparência, monstruosamente grande e masculinizada para idade. Mesmo não tendo o título de cavaleiro, ela segue rigorosamente o conceito idealizado do código de honra e conduta dos verdadeiros cavaleiros. Já derrotou Jamie Lannister e Sandor Clegane (esse último apenas na série). Ela já provou ser até mesmo merecedora de um Manto Branco. Jaime acredita que ela é melhor lutadora que Sor Loras Tyrell, e tão forte quanto Sandor Clegane.

Lagertha

Primeira esposa de Ragnar Lodbrok, e mãe de Bjorn Ironside, Lagertha é uma formidável guerreira viking. A rainha de Kattegat lidera seu exercito em batalha junto de suas valquírias, e é feroz quando se trata de proteger sua família. Veterana de batalhas, Lagertha derrubou diversos inimigos que queriam tomar seu poder, entre eles o Louco Ivar (mesmo que por pouco tempo). Como Ragnar, ela também tem um senso de aventura, assim como uma ambição feroz e o desejo de governar.

Éowyn

Filha de Éomund e Theodwyn , irmã mais nova de Éomer, e sobrinha do rei Théoden. Durante a batalha do Abismo de Helm, quando Aragorn, Théoden e o resto dos homens confrontavam o exército de Saruman, Éowyn obedeceu com relutância às ordens do rei de ficar em Edoras e liderar o povo em sua ausência. Porém, quando o apelo de Gondor chegou em Rohan,  ela se disfarçou de homem, sob o pseudônimo Dernhelm, e cavalgou até Minas Tirith em seu cavalo Windfola. Ela levou Merry consigo. Quando o  rei dos bruxos de Angmar, senhor dos Nazgûl, atacou a companhia do Rei Théoden, deixando-o mortalmente ferido, ela o desafiou. Ao perceber que enfrentava uma mulher o Rei Bruxo a atacou, mas ela cortou a cabeça de sua fera. O Rei Bruxo quebrou seu escudo com um golpe de sua maça, quebrando o braço dela, mas tropeçou quando Merry apunhalou sua perna por trás. Éowyn passou sua espada através da cabeça do Rei Bruxo, extinguindo-o da Terra Média.

Xena

Não há como mencionar mulheres guerreiras sem mencionar essa amazona e seu Chakram. A poderosa Princesa Guerreira com um passado sombrio, em busca de redenção, é acompanhada pela barda Gabrielle. Xena batalhou contra os cruéis senhores da guerra e os deuses gregos, dentre eles Ares, Senhor da Guerra. Onde volta e meia tinha o auxilio de Hércules. Além disso, Xena, em seus tempos de mercenária, batalhou em terras orientais e nórdicas.

Artemísia

Artemisia é uma guerreira implacável. Uma mestra tática na guerra. Sua brutalidade em combate também é digna de nota, cortando as forças gregas com óbvia alegria. De temperamento curto, não tolera falhas. Seu exterior frio decorre de seu abuso na infância, gerando profundo ressentimento pelos gregos. Conselheira do deus-rei Xerxes, é perspicaz e capaz de identificar um invasor em sua nau e rapidamente deduzir as capacidades de seu inimigo. 

Red Sonya de Rogatino

Guerreira criada por Robert E. Howard de origem polaco-ucraniana, tem o cabelo vermelho epônimo e um temperamento ardente, para combinar com suas habilidades de guerra. A vida simples e violenta atraí Sonya, assim como lhe atraíam as freqüentes batalhas dos cossacos com os tártaros da Criméia, aos quais saqueava, enquanto os tártaros saqueavam outros. Sonya tinha um débito a cobrar deles. Como um lansquenete disse uma vez: “Cortar… talhar… morre, cão! Eis o que ela tem por feitio”. Sonya inspirou a criação do ícone dos quadrinhos Red Sonja.

Arya Stark

A filha mais nova e a terceira criança de Lady Catelyn e Lorde Eddard Stark. Ela quer forjar seu próprio destino. É fascinada pela guerra e treinamento no uso de armas. Almeja ser como Nyméria, e aprendeu com os Homens Sem Rosto de Bravos a se tornar uma assassina, isso sem contar que ela ainda pode entrar no corpo de sua loba através de sonhos.

Joana d’Arc

Padroeira da França e heroína da Guerra dos Cem Anos, Joana d’Arc foi uma importante chefe militar francesa. Ela foi responsável pela libertação da cidade de Orleans, que estava há meses sob o domínio inglês. Joana chegou a comandar uma tropa de mais de quatro mil homens, obtendo vitórias importantes e o reconhecimento do rei Carlos VII.

Feliz Dia das Mulheres! Guerreiras!

 

O que achou desse post? Diga nos comentários!