CyanogenMod – Dê um up no seu Android

cyanogenmod

Há alguns dias eu comecei a usar, meio que sem querer, a nova versão (10.1) do CyanogenMod no meu celular. Se você não conhece, CyanogenMod é um firmware alternativo para celulares e tablets que utilizam o sistema operacional Android. Ele serve pra livrar o seu aparelho das limitações e amarras impostas pela fabricante ou pela operadora: algumas funcionalidades básicas do Android que são retiradas, a dificuldade de obter atualizações de Sistema Operacional e as – quase sempre horrorosas – skins e pilhas cada vez maiores de bloatwares que só roubam espaço no cartão de memória e ajudam a gastar alguns minutos preciosos de bateria a mais. Afinal, eu não vou deixar de usar o aplicativo oficial do Facebook pra usar um Social Hub aleatório, complicado e cheio de bugs e limitações – estou olhando pra você, Samsung.

“Mas por que ‘meio que sem querer’?”, você pode estar se perguntando. Explico: eu já usava a versão 10 do CyanogenMod há alguns meses e estava bem feliz com ela, que traz o Android 4.1. Mas, sem perceber que uma nova versão havia saído, fiz o download da atualização e instalei no telefone achando que não veria nada de novo, apenas melhorias de performance e correções de bugs. Para minha surpresa, quando liguei meu celular, me deparei com algumas poucas – e boas – novidades presentes apenas no Android 4.2.

Ficou perdido com todos esses números? É, eu entendo, é complicado. Mas calma, primeiro vamos falar sobre o porquê de fazer a mudança, depois a gente lida com esses detalhes.

Ao instalar o CyanogenMod pela primeira vez, logo notei um ganho geral de performance do aparelho. A tela deslizava de maneira mais suave. Também liberei espaço de memória limpando as dezenas de aplicativos desnecessários que a fabricante empurra. Mas o pricipal são as possibilidades que se abrem a sua frente com o novo firmware: novas opções de customização, com novos temas e cores simples de serem instalados, novas funcionalidades possibilitadas também pelo fato do CyanogenMod utilizar o usuário Root (o Administrador) do sistema, incluindo aí a possibilidade de instalar aplicativos no cartão de memória externo, um extra muito bem vindo a donos de telefones com pouco espaço interno, e uma maneira mais fácil de fazer capturas de tela.

Dependendo do modelo do seu aparelho, de quão antigo ele é e do quanto a fabricante dele ama seus consumidores – e, acredite em mim, normalmente elas não estão muito na vibe de espalhar amor -, você pode ficar preso em uma versão ultrapassada do Android para sempre, o que é o grande calcanhar de Aquiles do sistema do Google. Nesses casos, o CyanogenMod pode também ser sua salvação. Por ser mantido por comunidades de desenvolvedores do mundo inteiro, a gama de aparelhos suportados é relativamente grande e a velocidade com que novas atualizações são disponibilizadas é cada vez maior. Mas não se anime muito, normalmente os aparelhos que possuem versões estáveis e garantidas do firmware são os mais populares e com boas vendas, para os quais existe bastante gente interessada ao redor do mundo. E eu considero isso um fator extremamente importante a se considerar na compra de um novo aparelho: quanto mais “famoso” ou “popular” ele for, mais vai ter gente trabalhando em melhorias pra ele e você pode se beneficiar disso por muito tempo. Não é a toa que, até hoje, o Galaxy SII da Samsung, que ultrapassou a barreira das 25 milhões de unidades vendidas, recebe atualizações do CyanogenMod em tempo recorde.

cyanogenmod 10.1

Android 4.2 rodando via CyanogenMod 10.1

Mas voltando a minha experiência… Sem perceber, instalei a versão 4.2 do Android no meu aparelho e tenho certeza que se fosse depender da boa vontade da fabricante iria demorar um bom tempo até conseguir ter acesso a ela, se conseguisse ter. Pude desfrutar de melhorias de performance, do Google Now melhorado, teclado por gestos nativo no sistema, Chrome também nativo, melhorias no App de Câmera e muitas outras novidades. Só não pude utilizar o Photo Sphere, que te ajuda a tirar fotos no estilo Google Street View – em 360°, porque o meu telefone não possui um giroscópio necessário para o encaixe das fotos. Como sempre, limitações de hardware são mais difíceis de superar. Como sou aventureiro da tecnologia, utilizo a versão “nightly” do CyanogenMod, ainda não finalizada: todos os dias saem atualizações para os bugs que vão sendo encontrados até que se chegue a uma versão suficientemente estável. De vez em quando surge um problema com uma versão que gasta bateria demais ou tem alguma incompatibilidade com algum aplicativo mas, em cerca de um ano de uso, nunca tive problemas sérios e sempre é possível voltar para uma versão anterior, ao receber uma atualização problemática.

Se você quiser embarcar nessa aventura, sugiro verificar se seu dispositivo está na lista dos suportados oficialmente, se ele não estiver, ainda é possível atualizá-lo de outras formas, mas sem obter suporte da equipe de desenvolvimento. Saiba também que a maioria das fabricantes invalida a sua garantia caso perceba que você retire a versão do Android que ela instalou para seu aparelho. Leia com atenção as instruções de instalação disponíveis no site do projeto e mãos a obra. Se não se sentir seguro sozinho, sempre é possível encontrar ótimos tutoriais ensinando como fazer a instalação em dispositivos específicos.

Ah, sim, aqueles números complicados… Cada CyanogenMod representa uma versão do Android que ele irá instalar em seu celular ou tablet. Confira na tabela abaixo a relação entre eles.

versões cyanogemmod

Quadro de versões do CyanogenMod e as versões do Android que implementam.

A versão 8, entretanto, nunca foi lançada pois o Google não liberou o código-fonte do Android Honeycomb, específico para tablets. Quanto mais pra baixo você conseguir chegar nesse quadro, mais feliz seu celular irá te deixar. Então corra atrás dessa melhoria e dê uma renovada no seu telefone, você não vai se arrepender.

2 thoughts on “CyanogenMod – Dê um up no seu Android

  1. Meu tablet Samsung Galaxy Tab GT P1000L esta na tela de CyanogenMod por mais de 30 minutos após a atualização para o 4.1.2 e não sai disso. O que faço?

Comments are closed.