[CURIOSIDADES] Quando os heróis são reais (ou quase)

Super-Heróis inspiram. Seja pelo senso de justiça, pela esperança e força (física e de vontade) ou até mesmo pelo fato de terem uma roupa legal, inspiram. Fizemos uma pequena compilação de situações que envolvem “super-heróis” da vida real. Algumas situações bonitas, algumas tristes,  outras engraçadas e outras até mesmo inusitadas. Confira e, se gostou, compartilhe e ajude a espalhar o NerdGeekFeelismo! (Clique nas imagens para ampliá-las)

Super-Heróis doam sangue

Em uma bela sacada de um hemocentro da cidade de Goiânia, Super-heróis foram doar sangue. O idealizador comenta em reportagem de uma afiliada da Globo: “Você hoje pode ser herói, doando sangue, medula.” Mas o “melhor” mesmo é o repórter chamando a turma composta por Batman, Capitão América, Thor, Motoqueiro Fantasma, Spectroman, War Machine e Homem de Ferro de “Liga da Justiça”.

Garotinho tem funeral feito por Super-Heróis

Brayden Denton, um menino de 5 anos de Indiana/EUA, amava o Homem-Aranha e outros heróis também. Então quando ele perdeu a luta para um tumor no cérebro, sua mãe fez um funeral especial, contando com Homem de Ferro, Hulk, Thor, Superman e Batman, além do Homem-Aranha, como carregadores de caixão.

Batkid Salva a cidade

Miles Scott, 5 anos, morador de São Francisco e portador de leucemia, tinha um sonho: ser o Batman. Então a fundação “Make A Wish” atuou e fez o que parecia improvável: transformou São Francisco em Gotham City e Miles Scott em Batman, ou Batkid, termo mais apropriado. A ação emocionou toda a cidade e por todos os lugares onde o garotinho passava as pessoas tiraram fotos e bateram palmas. Até o Pres. Obama fez um vine para congratular o Batkid e um jornal da cidade estampou a manchete: “Batkid Salva a Cidade”, escrita por ninguém menos que Clark Kent. E as outras matérias da capa do jornal foram escritas por Lois Lane, Brenda Starr e Perry White. 

Tudo começou às 9:30 da manhã, quando Miles viu na tv uma reportagem especial onde o chefe de polícia perguntava se alguém na cidade sabia onde estava o Batkid, pois ele precisava de ajuda para resolver um crime e levar os caras maus à justiça. O dia de Miles foi cheio: salvou uma donzela em perigo, amarrada nos trilhos do bonde da cidade, prendeu o Pinguim e o Charada (até o fórum da cidade soltou um comunicado oficial anunciando a prisão dos vilões) e terminou na prefeitura da cidade, onde o prefeito e o chefe de polícia agradeceram a cooperação e lhe deram a chave da cidade.

Limpadores de janela se vestem de super-heróis em hospital infantil

O Hospital Infantil Lurie, em Chicago, vestiu limpadores de janela de super-heróis – Batman, Homem-Aranha, Superman e Capitão América – para animar e surpreender os jovens pacientes do local. Isso se tornou uma tradição, chamada de Dia do Super-Herói. Alguns hospitais já faziam isso há alguns anos e muitos estão começando a fazer em todo o território dos EUA.

Batman Brasileiro Parte I: O Batman dos Protestos

Desde os protestos que começaram em Junho do ano passado, dentre os milhares de brasileiro que saíram às ruas, um se destacou: o Batman. Ele esteve presente em protestos em SP e no RJ (seria o mesmo “Batman”?). Como se não bastasse, ele ainda prendeu um vilão que roubou seu telefone celular e o amarrou. “O ladrão quis roubar o Batman. Dá uma olhada na situação dele”, disse, enquanto mostrava o sujeito amarrado no chão. Mas nem tudo são flores para o Batman – ele também já foi preso por se pendurar em um viaduto, com a ajuda do Homem-Aranha e também por se recusar a retirar a máscara durante um protesto no Rio, quando foi abordado pela PM. Como se isso tudo não bastasse, o Batman tupiniquim também já apanhou feio da polícia.

Batman Brasileiro Parte II: O Batman de Taubaté 

Em 2012 o militar da Marinha aposentado Andy Trevisan resolveu se vestir de Batman para ajudar no combate ao crime na cidade de Taubaté, que havia atingido índices alarmantes. Sua arma é o diálogo. Ele participava de campanhas pela paz em bairros da cidade. Em reportagem do G1 na época, a Comandante da PM de Taubaté disse: “é a figura do herói, despertando no jovem que vale a pena ser do bem, vale a pena ser bom, lembrar de valores positivos de respeito, respeito às leis. E para quebrar um pouco aquela questão do jovem tendo admiração, cultuando líderes negativos e até criminosos”. Com certeza, o Batman inspira mais que a Polícia Militar. Até porque um dos lemas do herói é nunca matar.

Bônus: Jack Sparrow video bomb!

O anti-herói ultimamente anda sumido, mas ano passado ele conseguiu “bombar” em duas reportagens feitas em por uma afiliada da Globo em Minas Gerais. Ele parece perdido e confuso. Hilário.