[CURIOSIDADES] A Velha História dos Piercings moderninhos – ou: Diga para seus pais que é tradicional

Se você nunca pensou em colocar um piercing, um dia pensará. Ainda que logo em seguida afaste a ideia, achando isso uma bobagem.

Digo isso assumindo, claramente, que você não tem nenhum furo além de brincos convencionais.

E ser nerd não tem mais nada a ver com aquele estereótipo todo certinho.

Nerds estão cada vez mais rabiscados e furados. Geeks, nerds… todo mundo, né?

Só na língua eu tive Piercing 3 vezes. E tive que tirar as 3 vezes por pura e simples burrice. 

Claro que existe uma desconfiança muito persistente quanto às joias e perfurações pelo corpo: muitas pessoas têm preconceito por razões diversas.

As razões raramente são estéticas.

A menos que você tenha virado um gigante queijo suíço que fala:

Imagina essa pessoinha gripada…

Quase sempre os motivos desse preconceito é mesmo a falta de conhecimento acerca da origem.

Para esclarecer origens, salientar pontos, trazer curiosidades, e até mesmo para te dar um bom suporte na hora de jogar na cara de sua mãe ou pai que Piercing não é modinha – afinal, é coisa muito antiga, tradicional e que possui um peso histórico muito grande – trouxemos um material que pode valer a pena.

Vamos aos furos, ou aos pontos:

Piercings Auriculares:

Essa coisa fofa aí embaixo é Ozti… Otzi é a múmia mais antiga já encontrada, e ele viveu por volta de 3.300 aC, cerca de 2.000 anos antes de King Tut, outra múmia que também tinha as orelhas furadas.

Antes que os corpos das duas múmias citadas fossem encontrados, não se sabia que havia o hábito de perfuração auricular. Otzi tinha perfurações da orelha de cerca de 7-11mm. Além do Antigo Egito, as perfurações também faziam sucesso na Roma Antiga, sendo Júlio César um dos adeptos.

Oi, Otzi!

Os brincos não eram apenas para pessoas ricas ou membros da realeza. Muitos marinheiros perfuraram seus ouvidos para que os brincos fossem retirados e penhorados para o seu funeral.

Além disso, algumas tribos primitivas acreditavam ter orelhas furadas pois eles acreditavam que poderia protegê-las contra o Diabo (a forma do mal na representação de cada religião). De acordo com suas crenças, o metal poderia afastar o Diabo de falar através dos ouvidos.

No Antigo Egito homens e mulheres apresentavam orelhas furadas, e plugs. Pessoas usavam grandes tampões, medidores e brincos estilo aro. Na época, era um estilo muito popular. Os povos indígenas da América também usavam tampões, como os maias e astecas. Homens incas usavam ouro e prata para representar nobreza. Outras culturas usavam prata, marfim, e até mesmo velas de âmbar.
Piercing no Nariz

Os piercings no nariz foram originalmente trazidos para áreas como a Índia pelos imperadores Mughal e as mulheres usavam em sua narina esquerda. Na cultura indiana, eles acreditam que o lado esquerdo do corpo é feminino, e um piercing no nariz vai diminuir a dor no corpo de uma mulher quando ela está menstruada ou em trabalho de parto. Em certas áreas do Norte de África e no Oriente Médio ainda é costume para os noivos dar à sua noiva um piercing de nariz de ouro no casamento. O tamanho do brinco pode indicar a classe do noivo. Um brinco grande com várias pedras pode indicar um noivo com muitas posses e que é capaz de sustentar a família. Além disso, se o casal se divorciar, a mulher pode vender o brinco para ajudar em seu sustento.

Piercing no Umbigo

Atualmente os piercings no umbigo são comuns. Na verdade, são os mais comuns da atualidade, mesmo que quase todas as pessoas que você conhece utilizem um alargador na orelha ou algo assim. Mas no Antigo Egito, o furo no umbigo, por incrível que pareça, era exclusividade do Faraó.

Talvez isso explique muito, hoje em dia, sobre o dizer ” O mundo não gira em torno do seu umbigo”.

Qualquer outra pessoas que fosse descoberta usando o adereço poderia ser executada. No início dos anos 90, ícones da moda como Christy Turlington, Madonna e Naomi Campbell ostentavam as pedras no umbigo. Mas no início o piercing no umbigo era tabu e lembrava uma vagina.

Piercing nos mamilos (POLÊMICOS)

Anéis nos mamilos começaram como um acessório masculino na Roma Antiga. Homens perfuravam seus mamilos como um ato de camaradagem, e pensavam que as argolas simbolizava a sua vitalidade sexual.

Caro leitor, eu poderia ter colocado alguma imagem NSFW aqui para te alegrar… mas essa imagem ficou tão engraçada… (Mentira… role para baixo)

Até o século 14, a rainha Isabella na França criou vestidos com decotes que caiam até o umbigo de uma mulher. Às vezes, quando as mulheres usavam os vestidos, elas escolhiam brincos de mamilos que combinavam com suas roupas. No início de 1900, piercings nos mamilos voltaram a moda como um meio de estimular sexualmente os mamilos, e os médicos  mesmo recomendavam o uso do piercing para tornar a amamentação mais fácil.
Piercing na Língua.

O Piercing mais Polêmico, conhecido por chocar conservadores por ter uma origem controversa: muitos acreditavam, e acreditam, que sua origem teria se dado por questões puramente sexuais, ou seja, para a prática do sexo oral.

Os antigos Astecas e maias utilizavam piercings na língua em seus rituais de sacrifício de sangue. Os povos antigos perfuravam a língua para criar estados alterados de consciência, e melhorar o fluxo sanguíneo. Também os egípcios tinham parte nisso: apenas os sacerdotes deste povo poderiam ter a língua perfurada, pois isso lhes permitiria comunicar-se com os deuses.

Na década de 1980 o piercing ganhou uma atitude mais rock ‘n roll, graças a uma loja de perfuração de LA, e foi apontado (aí sim…) como uma maneira de chocar os mais conservadores e melhorar no sexo oral.

Para Saber mais sobre Piercings, por que não dar uma lida?

Compre conhecimento aqui: